Após parceria com Dnit, Codeca fará conserto emergencial na BR-116, em Caxias - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Por tempo limitado07/07/2020 | 14h17Atualizada em 07/07/2020 | 14h41

Após parceria com Dnit, Codeca fará conserto emergencial na BR-116, em Caxias

Trabalho inclui capina, roçada e tapa-buracos

Após parceria com Dnit, Codeca fará conserto emergencial na BR-116, em Caxias Cristiano Lemos/Agência RBS
Foto: Cristiano Lemos / Agência RBS

Uma parceria com o Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (Dnit) permitirá à Codeca realizar reparos emergenciais no trecho urbano da BR-116, em Caxias do Sul. As intervenções do município foram autorizadas pelo órgão federal no fim de junho e o início do trabalho depende apenas de uma pausa na chuva.

Conforme o diretor administrativo-financeiro da Codeca, Luis Felipe Burtet, a parceria foi negociada pelas secretarias de Trânsito e de Obras a partir de relatos da comunidade de que havia problemas na rodovia, como buracos e mato alto em alguns pontos. As intervenções serão realizadas pela empresa, mas serão pagas com recursos do município. Apesar disso, Burtet ressalta que serão reparos pontuais, especialmente de capina, roçada e tapa-buraco, e não obras de manutenção. Neste momento, equipes realizam um levantamento dos trabalhos a serem realizados.

— São manutenções de custo baixo, mas que têm grande impacto na segurança. O DNIT autorizou a prefeitura a fazer o trabalho emergencial até que a vencedora de uma licitação realizada por eles consiga assumir — destaca o diretor.

A BR-116, na Serra, está sem contrato de manutenção há mais de um ano. Conforme o engenheiro da unidade do Dnit em Vacaria, Daniel Bencke, após o término do contrato anterior, uma série de entraves judiciais atrasaram a nova contratação. Os trâmites, no entanto, já foram concluídos e o contrato com a nova empresa foi assinado na semana passada. Já a ordem de início dos trabalhos deve ser assinada nesta semana. A partir disso, a estimativa é de que a contratação e mobilização dos funcionários leve de 30 a 45 dias. 

Ao contrário da Codeca, que poderá apenas fazer obras pontuais entre o acesso a Ana Rech e a rótula com a Avenida São Leopoldo, a empresa contratada pelo Dnit ficará responsável por 108 quilômetros, entre Campestre da Serra e Nova Petrópolis. O contrato terá duração de três anos e custo aproximado de R$ 40 milhões.

— Vamos começar a colocar a casa em ordem em três ou quatro meses e a rodovia vai estar razoável no fim do ano. É legítima a preocupação do município e a necessidade de fazer algo, por isso o Dnit  não se opôs — afirma Bencke.

Leia também
"A população não está  ajudando", diz prefeito de Caxias sobre medidas contra o coronavírus 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros