Após oito meses, cratera no antigo traçado da RS-122 segue aberta em Bom Princípio - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Infraestrutura 15/07/2020 | 12h34Atualizada em 15/07/2020 | 12h37

Após oito meses, cratera no antigo traçado da RS-122 segue aberta em Bom Princípio

Trecho está obras desde março deste ano, mas trabalhos já foram paralisados primeiro em função da pandemia e agora devido às fortes chuvas da semana passada

Após oito meses, cratera no antigo traçado da RS-122 segue aberta em Bom Princípio Antonio Valiente/Agencia RBS
Trecho está obras desde março deste ano, mas trabalhos já foram paralisados duas vezes Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Uma cratera que abriu em uma das pistas do antigo traçado da RS-122, em Bom Princípio, provoca transtornos e prejudica o tráfego de veículos no município desde novembro de 2019. Há oito meses o buraco, que fica entre a entrada da Rua Irmão Weibert e o acesso à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), obriga motoristas e moradores da cidade e também de Tupandi, cidade vizinha, a usar vias alternativas.

Leia mais
Cratera no antigo traçado da RS-122 prejudica motoristas em Bom Princípio

A interrupção da pista prejudica também a logística do comércio no local, já que os caminhões que precisam fazer entregas ou passar pelo trecho são obrigados a retornar pelo centro da cidade. Os moradores de Tupandi também dependem da via e são prejudicados, já que esse era o acesso mais rápido para que chegassem a cidade.  Moradores reclamam ainda que o bloqueio causa prejuízos aos negócios, porque reduz o movimento no trecho que faz a ligação com RS-122, e onde o fluxo de veículos era intenso.

O mecânico Natan Reinehr, 19 anos, ressalta que agora  os veículos têm de passar por dentro da cidade o que, além de provocar congestionamentos, está deteriorando o asfalto na Rua Guilherme Beno Backes.

Após oito meses, cratera no antigo traçado da RS-122 segue aberta em Bom Princípio. Uma cratera que abriu em uma das pistas do antigo traçado da RS-122, em Bom Princípio, provoca transtornos e prejudica o tráfego de veículos no município desde novembro de 2019. Há oito meses o buraco, que fica entre a entrada da Rua Irmão Weibert e o acesso à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), obriga motoristas e moradores da cidade e também de Tupandi, cidade vizinha, a usar vias alternativas. A interrupção da pista prejudica também a logística do comércio no local, já que os caminhões que precisam fazer entregas ou passar pelo trecho são obrigados a retornar pelo centro da cidade. Os moradores de Tupandi também dependem da via e são prejudicados, já que esse era o acesso mais rápido para que chegassem a cidade.  Moradores reclama ainda que bloqueio causa prejuízos aos negócios, porque reduz o movimento na trecho que faz a ligação com RS-122, e onde o fluxo de veículos era intenso.<!-- NICAID(14545353) -->
Alternativa é a Rua Guilherme Beno Backes onde o asfalto está se deteriorando Foto: Natan Reinehr / Divulgação

- O tráfego de caminhões pesados sobe pela rua em que moro. O asfalto aqui já não é mais novo, tem mais de 20 anos, e está rachando tudo e abrindo buracos. É uma das ruas mais movimentadas do município pois é o morro menos íngreme para chegar ao centro. Antes todo o movimento passava pelo antigo traçado da RS 122.  Em horário de pico das 17h às 19h tem muito movimento na nossa rua - reclama ele.

O QUE DIZ O DAER

A via foi repassada ao município em dezembro, mas o trecho onde o asfalto cedeu ainda é de responsabilidade do Departamento de Estradas e Rodagens (Daer). Por email, o departamento informa que a obra está em andamento e os serviços estão sendo executados pela empresa Encopav. O trabalho no trecho começou em março de 2020, mas em razão da pandemia, a obra foi interrompida e retomada em 18 de maio.  Entretanto, devido às chuvas da última semana, ocorreu nova paralisação. O retorno depende agora da redução do nível do rio Caí onde se encontra a jazida da prefeitura que fornece os insumos para a finalização da recomposição da drenagem e do talude, onde são necessários 11 mil metros cúbicos de aterro.  Após a conclusão da obra, o trecho será repassado efetivamente para o município.

O TRECHO

No final de novembro, os prefeitos Fábio Persch (PSDB) e Hélio Müller (PP), de Bom Princípio e Tupandi, estiveram no Daer para buscar uma solução, mas foram informados que não havia aporte financeiro naquela ocasião para a obra. Um mês depois, em dezembro, foi entregue ao município de Bom Princípio o documento que transferia a responsabilidade do antigo traçado da RS- 122 à prefeitura. A solicitação havia sido feita ainda em 2016.

Na ocasião, o prefeito Fábio Persch, afirmou que assim que o trecho for recuperado será possível fazer a revitalização da via. Ele adiantou que há recursos disponíveis no caixa da prefeitura, vindos de emenda federal, destinada para a obra. O projeto prevê a denominação da via como Avenida da Emancipação e será tirado do papel conforme a viabilidade financeira da prefeitura.

Leia também
Mulher que usava dados de policial militar para aplicar golpes é presa em Caxias
Prefeitura de Caxias do Sul confirma 32ª morte por covid-19
Ponte de acesso a Cotiporã é liberada após ficar submersa duas vezes em uma semana


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros