Presidente da Amesne acredita que será possível reverter bandeira vermelha na região de Caxias - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Distanciamento controlado27/06/2020 | 11h47Atualizada em 27/06/2020 | 13h07

Presidente da Amesne acredita que será possível reverter bandeira vermelha na região de Caxias

Recurso coletivo apresentando revisão de dados será enviado neste sábado para avaliação do governo do Estado

Presidente da Amesne acredita que será possível reverter bandeira vermelha na região de Caxias Governo do RS / Divulgação/Divulgação
Foto: Governo do RS / Divulgação / Divulgação

A Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) está reunindo as contestações dos municípios para encaminhar um recurso coletivo ao governo do Estado a fim de mostrar números que comprovem que a Serra tem possibilidade de seguir na bandeira laranja. A macrorregião foi enquadrada na bandeira vermelha na avaliação estadual divulgada nesta sexta-feira (26). O presidente da Amesne e prefeito de Cotiporã, José Carlos Breda, acredita que os dados que serão apresentados no recurso farão o governo do Estado voltar atrás:

_ Palmeira das Missões já conseguiu reverter porque tinha também uma inconsistência. Pela pouquíssima diferença que temos agora, acredito que um ou outro indicador que for acolhido já poderá reverter essa situação.

Saiba mais
Volta da bandeira vermelha na região de Caxias preocupa entidades da indústria, comércio e serviços  

Breda diz que estão sendo checados todos os dados dentro das normativas do plano de distanciamento. Aanálise técnica preliminar, feita pelo Observatório Regional da Saúde, composto por técnicos do Laboratório de Bioinformática e Biologia da UCS, mostram divergências em alguns indicadores. ​É o caso das hospitalizações, leitos clínicos,  internados por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e óbitos. O prefeito diz que os números de leitos de UTI ocupados e de vagas disponíveis estão de acordo.

Conforme o Estado, o indicador de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas nos últimos sete dias reduziu 14% entre as duas semanas, passando de 88 na semana anterior para 76 na atual. Porém, mesmo que o avanço da doença tenha reduzido na velocidade, os números de internados por (SRAG) em UTI (de 50 para 62), de internados em leitos clínicos Covid (de 51 para 57) e de internados em leitos de UTI Covid (de 38 para 40) cresceram.

O indicador de leitos de UTI livres dividido pelos leitos de UTI ocupados por pacientes Covid-19, mensurado para a macrorregião, permanece em situação de risco alto, com bandeira vermelha (com 1,88 leito de UTI adulto livre para cada leito de UTI adulto ocupado por Covid na região). 

O recurso será encaminhado com o apoio da CDP, Consultoria em Direito Público contratada pela Amesne, e deverá ser enviado ao governo do Estado até a noite deste sábado (27).

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros