Prefeito ignora bandeira vermelha e comércio segue aberto em Vacaria - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Que decreto?17/06/2020 | 15h29Atualizada em 17/06/2020 | 15h29

Prefeito ignora bandeira vermelha e comércio segue aberto em Vacaria

Movimento foi intenso no Centro da cidade durante esta quarta-feira 

Prefeito ignora bandeira vermelha e comércio segue aberto em Vacaria Porthus Junior/Agencia RBS
Lojas funcionavam sem restrições na área central na manhã de quarta-feira Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Centro movimentado, lojas abertas e algumas pessoas circulando sem máscaras. Esse era o cenário na manhã desta quarta-feira (17), em Vacaria. A cidade segue com o comércio e os serviços em funcionamento normal, mesmo com a determinação de bandeira vermelha na região. 

O prefeito Amadeu Boeira (PSDB) fez um requerimento para o governador Eduardo Leite, do mesmo partido, tirar os Campos de Cima da Serra da região de Caxias do Sul. Ele alega que os casos estão controlados na cidade, onde seis pessoas já morreram em função da covid-19. O pedido, no entanto, não foi atendido pelo Estado. Isso significa que o que está em vigor é a classificação de risco alto para a cidade.

Nas ruas e lojas da área central de Vacaria o movimento era intenso por volta das 11h. Para a costureira Clarice Kramer, 48 anos, a decisão do prefeito de manter bandeira laranja e contrariar o decreto estadual está correta.

- O prefeito é quem determina as regras. É ele que conhece a cidade e determina o melhor. A solução não é fechar o comércio - acredita.

Marlene Ramos Miranda, 58 anos, também costureira, concorda:

- O prefeito é quem manda. Cada um tem que se cuidar. A vida segue, com cuidados, mas segue. 

Iraci Luis dos Santos, 64, é pintor. Ele está no grupo de risco, mas se sente tranquilo.

- A cidade está bem, todos se cuidam. É diferente da situação de Caxias do Sul, que é maior. Depende de cada um se cuidar para sair às ruas - defende.

VACARIA, RS, BRASIL, 17/06/2020. Prefeito de Vacaria ignora bandeira vermelha e comércio segue aberto na cidade. comerciante Noemi Broglio Gasperin 67  (Porthus Junior/Agência RBS)<!-- NICAID(14524155) -->
Mesmo sendo do grupo de risco, Noemi Broglio Gasperin, 67, trabalhava normalmenteFoto: Porthus Junior / Agencia RBS

Comércio aberto

A comerciante Noemi Broglio Gasperin, 67, trabalhava normalmente. Ela também é do grupo de risco. Na entrada da loja dela há um tapete para limpar os pés, álcool gel na porta e só entra quem estiver de máscaras.

- Me sinto tranquila, não tenho cardiopatias ou problemas de saúde. Se tiver alguém sem máscaras, doamos. Sempre temos aqui. Também higienizamos o balcão. Vamos aguardar se o prefeito vai manter as regras próprias. O nosso comércio tomou todas as medidas para combater o vírus - garante ela.

 VACARIA, RS, BRASIL, 17/06/2020. Prefeito de Vacaria ignora bandeira vermelha e comércio segue aberto na cidade. (Porthus Junior/Agência RBS)<!-- NICAID(14524166) -->
Gerente de loja, Jonas Schultz, 29, concorda com as determinações do prefeito Amadeu BoeiraFoto: Porthus Junior / Agencia RBS

Perto dali, em outra loja, o aviso na porta lembra que o uso de máscaras é obrigatório. Pedestres circulavam entre um estabelecimento e outro. Para o gerente Jonas Schultz, 29, a decisão do prefeito é a mais acertada.

- A economia vai desestabilizar com o comércio fechado. O nosso hospital está bem equipado e tem condições de atender aos pacientes. Não voltaremos à normalidade, mas temos que nos adaptar a uma nova realidade. E acredito que temos que nos cuidar e as pessoas também precisam fazer isso.

 VACARIA, RS, BRASIL, 17/06/2020. Prefeito de Vacaria ignora bandeira vermelha e comércio segue aberto na cidade. Na foto, João Alfredo Acauan Filho, secretário de planejamento e hurbanismo.  (Porthus Junior/Agência RBS)<!-- NICAID(14524168) -->
Secretário João Alfredo Acauan Filho destacou que município só utilizará regras da bandeira vermelha se for notificadoFoto: Porthus Junior / Agencia RBS

O que diz o município

O prefeito Amadeu Boeira passou a manhã de quarta-feira em reunião. A reportagem foi recebida pelo secretário de Planejamento e Urbanismo, João Alfredo Acauan Filho. Ele garante que a cidade segue em bandeira laranja. Mas, se o município for notificado judicialmente, irá passar a seguir a determinação do governo do Estado:

- Se formos notificados judicialmente vamos cumprir a lei. Nós vamos contestar a decisão, mas seguir a lei.

Ele explica que ainda no dia 6 de maio, o município encaminhou um ofício ao Estado. No documento, solicitava a retirada do Campos de Cima da Serra da região de Caxias do Sul, considerada para mapear na covid-19.

- Já prevíamos o impacto em Vacaria pela questão da população de Caxias do Sul e Bento Gonçalves. Na nossa região, Vacaria é a cidade polo, as outras são pequenas. Ninguém é contra a vida. Ela está em primeiro lugar. Mas acreditamos que agora não é o momento de fechar os Campos de Cima da Serra. Em Caxias, talvez seja. Apesar dos óbitos, não temos problemas de lotação no hospital. São seis leitos de UTI e 30 normais. Em momento algum todos os leitos foram preenchidos - considera. 

O secretário também frisa que o município está discutindo porque o Hospital Nossa Senhora da Oliveira não informou a existência de seis leitos para a covid-19, mas, sim, apenas dois. E considera normal que ocorra uma lotação na região nessa época do ano, não apenas por pacientes com coronavírus. Acauan Filho aproveita também para cobrar o governador:

- Em maio, em uma videoconferência, ele prometeu oito respiradores para Vacaria e até agora nada. Estamos esperando.

Leia também:
Campanha do Agasalho de Bento Gonçalves usará sistema de drive-thru para aumentar doações
Soldados voluntários do 3º GAAAe realizam limpeza no antigo prédio do INSS em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros