O quiosque de Andrea Benetti na Praça Dante em 1909 - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória02/06/2020 | 07h01Atualizada em 02/06/2020 | 07h01

O quiosque de Andrea Benetti na Praça Dante em 1909

O local funcionava próximo à esquina da Rua Sinimbu com a Marquês do Herval

O quiosque de Andrea Benetti na Praça Dante em 1909 Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami/Divulgação
O quiosque de Andrea Benetti em 1909, na esquina das ruas Sinimbu e Marquês do Herval. À esquerda, o prédio do Hotel Bella Vista, pertencente à família Grossi Foto: Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / Divulgação

Encerrando a série sobre os antigos quiosques da Praça Dante, em parceria com o Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, trazemos hoje parte da história do quiosque do comerciante Andrea Benetti, localizado próximo à esquina da Rua Sinimbu com a Marquês do Herval.

O contrato para a construção do espaço foi assinado pelo Intendente Municipal José Cândido de Campos Júnior e pelo ferreiro Andrea Benetti em 18 de julho de 1899 e vigoraria pelo prazo de 12 anos, contados a partir de 18 de janeiro de 1900. Conforme João Spadari Adami, autor do livro História de Caxias do Sul, 1864-1970, o quiosque abrigava uma ferraria e, junto a ela, um mercadinho de doces e frutas, o que não foi possível comprovar por documentos.

Leia mais
O quiosque de Vittorio Chittolina na Praça Dante em 1904
Anuncio Ungaretti e o segundo quiosque da Praça Dante em 1898
Os antigos quiosques da Praça Dante Alighieri
Francisco Dal Prá e o primeiro quiosque da Praça Dante 

Assim como os estabelecimentos similares mantidos por Francisco Dal Prá, Vittorio Chitolina, Adelino Sassi e Anuncio Ungaretti, o negócio funcionou por cerca de 10 anos. O contrato com Benetti foi rescindido pela Intendência Municipal por meio do “Acto” nº 08, de 12 de abril de 1909, publicado no jornal “O Brazil” de 17 de abril daquele ano. 

Segundo edição de 29 de janeiro de 1910 de “O Brazil”, Benetti recorreu ao Conselho Municipal para que “lhe fosse dado o referido kiosque, como medida de equidade, visto como, tendo-o arrendado pelo prazo de doze anos, vê-se forçado em virtude da determinação da Intendência, a desocupá-lo muito antes do tempo marcado no contrato. O Conselho deu ao peticionário despacho favorável, atendendo às suas precárias condições pecuniárias”.

Curiosidades

:: O primeiro quiosque a ser extinto na Praça Dante pertencia ao negociante Francisco Dal Prá e estava localizado na esquina da rua Dr. Montaury com a Avenida Júlio de Castilhos. A demolição ocorreu em dezembro de 1909.

:: Em 15 de janeiro de 1910, o jornal O Brazil, noticiou: “Foi já removido da Praça Dante o quiosque outrora ocupado pela firma Viúva Chittolina & Sassi. Brevemente serão vendidos os dois quiosques restantes (Benetti e Ungaretti), ficando a praça liberta dos inestéticos pavilhões de madeira. A intendência municipal está ajardinando um dos ângulos da praça e, dentro em pouco, mandará proceder ao nivelamento projetado, fazendo destruir a pedreira existente defronte ao correio”.

Leia também
Giovanni Toigo e a construção da Catedral de Vacaria
A Kombi de Oscar Boz e a neve em 1965
O quiosque de Vittorio Chittolina na Praça Dante em 1904
Domingos Mancuso e uma imagem de exatos 110 anos

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros