MP move ação para pedir licitação e futuro da gestão da UPA Zona Norte será discutido na Justiça  - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Indecisão22/06/2020 | 21h10Atualizada em 22/06/2020 | 21h28

MP move ação para pedir licitação e futuro da gestão da UPA Zona Norte será discutido na Justiça 

MPF discorda do convênio feito pela prefeitura com a UCS 

MP move ação para pedir licitação e futuro da gestão da UPA Zona Norte será discutido na Justiça  Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A troca de gestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Norte, em Caxias do Sul, virou um grande problema para a administração pública do município. Nesta segunda-feira (22), o Ministério Público Federal (MP) ajuizou uma ação contra a prefeitura para que o convênio com a Fundação Universidade de Caxias do Sul (FUCS) não seja homologado. O acordo entre o município e a instituição, que iniciaria no dia 1º de julho, dificilmente entrará em vigor na data prevista.

Leia mais
MPF recomenda que prefeitura de Caxias abra licitação para contratar nova gestão da UPA Zona Norte
Protocolado projeto de convênio para a UCS gerir a UPA Zona Norte, em Caxias
UCS assume gestão da UPA Zona Norte a partir de 1° de julho

Segundo o documento, assinado pelo procurador Fabiano de Moraes, a atual administração municipal, comandada por Flávio Cassina (PTB), tinha ciência do aviso prévio do Instituto de Gestão e Humanização (IGH), responsável pela gestão da UPA Zona Norte desde a abertura da instituição, em 2017.

"O contexto trazido aos autos demonstra que a atual administração municipal tinha plena ciência da intenção do IGH em deixar a gestão da UPA Zona Norte desde que assumiu o governo em janeiro desse ano. O próprio município informou que trabalhava com a possibilidade de se instaurar novo chamamento público para a escolha de uma nova entidade. Na melhor das hipóteses, teria até setembro desse ano para organizar uma nova forma de gestão e realizar a necessária abertura de certame, o que não fez." diz a ação movida pelo MP, alegando que "se houvesse um mínimo de intenção ou preparo" para a realização de uma licitação.

Além disso, a ação coloca como responsabilidade da prefeitura estabelecer condições para que os atendimentos na UPA Zona Norte sejam mantidos enquanto não houver uma definição de quem fará a gestão do posto de atendimento. 

O documento de 44 páginas foi encaminhado à Terceira Vara Federal de Caxias do Sul.

Prefeitura diz que acordo com a UCS tem segurança jurídica

Com pouco mais de uma semana para a saída do IGH da administração da UPA Zona Norte, a prefeitura de Caxias do Sul se mostra atenta à situação. Segundo o vice-prefeito Eloi Frizzo, que está à frente das negociações desde o início do governo de Cassina, o acordo com a UCS está bem embasado para que possa ser concretizado.

— Nós não estamos trabalhando com a alternativa de que nós vamos, por conta da ação do promotor, alterar nosso processo. Estamos apostando que a proposta, como encaminhamos, tem segurança jurídica. Então achamos que o entendimento do juiz será nesse sentido — afirmou Frizzo, garantido que permanecer com o IGH após o término do vínculo não é uma opção:

— Podemos garantir que em nenhum momento haverá a solução de continuidade. (Se houver impedimento) Vamos ver outras alternativas.

Além de descartar uma extensão de vínculo com o IGH, Frizzo garante também que não haverá um acordo "tampão" com a UCS. O vice-prefeito afirma que a administração municipal respondeu todas as perguntas feitas pelo MP na recomendação de licitação, feita no dia 12 de junho.

— O contrato mínimo seria de seis meses. Estamos em plena pandemia, processo eleitoral. Tanto que nossa proposta é de convênio de um ano. Assumimos no ofício que encaminhamos ao promotor, que depois poderia ser feito o chamamento público. Ele tem um entendimento diferente. A gente respeita, ele está judicializando, então o município vai se defender do jeito que pode legalmente.

Nesta terça-feira (23), a Câmara de Vereadores fará a votação do projeto de lei 48/2020, onde a prefeitura solicita ao legislativo autorização para a assinatura do convênio. Segundo o presidente da casa, vereador Ricardo Daneluz (PDT), a ação do MP não interfere na votação, que terá primeira e segunda discussão sobre a matéria, além da votação na sessão extraordinária.

Segundo o presidente do legislativo caxiense, o convênio entre a prefeitura e a instituição de ensino é a melhor opção:

— Existem os pareceres jurídicos e todos apontam para uma legalidade desse projeto. Além disso, é uma causa praticamente unânime que é a melhor opção para Caxias fazer essa parceria com a UCS para o funcionamento da UPA Zona Norte. Praticamente toda população concorda com isso.

Leia mais
Mais de 90 mil declarações do Imposto de Renda foram entregues em Caxias do Sul

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros