Indústrias e comércios de Caxias em anúncios de 1943 - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória10/06/2020 | 07h00Atualizada em 10/06/2020 | 07h00

Indústrias e comércios de Caxias em anúncios de 1943

Indústrias, comércios e serviços de 77 anos atrás integraram a publicidade da revista "Vida Policial"

Indústrias e comércios de Caxias em anúncios de 1943 Revista Vida Policial / Divulgação/Divulgação
Foto: Revista Vida Policial / Divulgação / Divulgação

Você reconhece o casarão e a esquina do anúncio acima? Trata-se dos primórdios da lendária Ferragem Triches, na Rua Sinimbu, entre a Garibaldi e a Visconde de Pelotas. Destacando tintas, louças, óleos, sanitários e até munições, o reclame foi um dos tantos que estampou a edição de maio de 1943 da revista Vida Policial, definida como o “Órgão Mensal da Repartição Central de Polícia do Rio Grande do Sul”, com sede em Porto Alegre (leia mais abaixo).

Com circulação estadual a partir de 1938, a publicação foi um dos mensários com maior tiragem no Estado nos anos 1940. Tanto que costumava vir recheada de peças publicitários de empresas, fábricas e comércios da capital e de cidades como Caxias, Santa Maria, Santa Cruz do Sul, Santana do Livramento, entre outras com atuação das delegacias. 

Na seleção desta coluna, alguns daqueles locais que boa parte dos moradores de Caxias do Sul acima dos 40 anos conheceu e foi assídua: as tecelagens Panceri e Scavino Bertuzzi, a Metalúrgica Gazola Travi, o Moinho Progresso, a Vinícola Aliança, a Ótica Martinato, a Veronese Produtos Químicos e por aí vai...

Foto: Revista Vida Policial / Reprodução

A revista "Vida Policial"

A primeira edição da revista Vida Policial circulou em agosto de 1938, ao despontar do Estado Novo, implantado por Getúlio Vargas via golpe de Estado em 1937 - e visando, obviamente, fomentar o discurso do regime que se estenderia até 1946. 

A criação da revista está ligada à atuação do delegado Plínio Brasil Milano (1908-1944), patrono da Polícia Civil no Rio Grande do Sul e responsável, entre outras missões, por comandar a organização do serviço que combateu uma rede de espionagem nazista no Rio Grande do Sul. 

A revista também foi tema da dissertação de mestrado defendida pelo pesquisador Tiago Weizenmann em 2008, na Unisinos. A íntegra você confere AQUI.

Foto: Revista Vida Policial / Reprodução
Foto: Revista Vida Policial / Reprodução
Foto: Revista Vida Policial / Reprodução
Foto: Revista Vida Policial / Reprodução
Foto: Revista Vida Policial / Reprodução
Foto: Revista Vida Policial / Reprodução
Foto: Revista Vida Policial / Reprodução

Leia também
A trajetória do bispo Dom Cândido Maria Bampi em Vacaria
A Catedral de Vacaria e a atuação do Frei Efrem de Bellevaux
A despedida do pracinha Anastácio De Déa (1922-2020)

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros