Hospital Virvi Ramos, em Caxias, realiza a terceira transfusão de plasma convalescente  - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Tratamento da covid-1913/06/2020 | 13h11Atualizada em 13/06/2020 | 14h07

Hospital Virvi Ramos, em Caxias, realiza a terceira transfusão de plasma convalescente 

Homem de 64 anos, morador de Caxias, passou pelo procedimento neste sábado

Hospital Virvi Ramos, em Caxias, realiza a terceira transfusão de plasma convalescente  Andreia Copini/Secretaria Municipal da Saúde
Foto: Andreia Copini / Secretaria Municipal da Saúde

O Hospital Virvi Ramos, em Caxias, realizou, neste sábado (13), a terceira transfusão de plasma convalescente no tratamento da covid-19 no Rio Grande do Sul. Segundo informações da médica intensivista da instituição de saúde, Eveline Correa Gremelmaier, o procedimento aconteceu sem problemas e o paciente não apresentou nenhuma reação adversa durante a infusão.

Durante entrevista à rádio Gaúcha Serra na manhã deste sábado (13), a médica disse a transfusão foi realizada em um homem de 64 anos, morador de Caxias do Sul, que estava internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital. Ele foi submetido à transfusão após autorização da família. Conforme Eveline, o plasma foi doado no Hemocentro Regional de Caxias do Sul (Hemocs), mas ela não soube informar mais dados do doador. 

Leia mais
Família do primeiro paciente que recebeu plasma convalescente se mostra otimista com recuperação
Hemocentro de Caxias recebe 36 candidatos para doação de plasma em tratamento experimental

 — Agora temos três transfusões realizadas. Um homem de 63 anos, natural de Garibaldi, a transfusão de uma mulher de 33 anos ainda na quinta-feira, e a terceira transfusão desse homem de 64 anos. Eu acredito que nos próximas dias a gente terá mais candidatos a receber o plasma — informa a médica.   

DOAÇÕES DE PLASMA DE SANGUE

Quem quiser doar pode agendar atendimento no Hemocs pelos telefones (54) 3290-4543 e (54) 3290-4580 ou pelo WhatsApp (54) 98418-8487. São recebidos homens, de no mínimo 18 e no máximo 60 anos, que tiveram a doença confirmada por meio do teste PCR e estão há mais de 28 dias recuperados.

Por que só homens? O entendimento de médicos é de que mulheres podem apresentar riscos de produzir anticorpos contra as células de defesa por conta de períodos férteis e gravidez ao longo da vida e, por isso, inicialmente, os testes são feitos apenas com homens.

Ouça aqui a entrevista: 

Leia também
Feriado é o melhor momento para o setor de hotéis e restaurantes da Serra desde que começou a pandemia
Movimento acima do esperado fez com que parques nos Campos de Cima da Serra fechassem mais cedo na sexta
Cidades da Serra registram danos devido ao temporal deste sábado

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros