Decisão sobre interdição da JBS em Caxias do Sul será na sexta-feira - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Surto de coronavírs03/06/2020 | 18h31Atualizada em 03/06/2020 | 18h47

Decisão sobre interdição da JBS em Caxias do Sul será na sexta-feira

Justiça do Trabalho marcou audiência para tratar do caso que envolve primeiro surto de covid-19 em local fechado na cidade 

Decisão sobre interdição da JBS em Caxias do Sul será na sexta-feira Porthus Junior/Agencia RBS
Unidade da JBS em Ana Rech tem 1.699 funcionários. Segundo a prefeitura, 22 deles teriam sido contaminados Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Ficou para sexta-feira a decisão da Justiça sobre a ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) que pediu a interdição da unidade da JBS no bairro Ana Rech, em Caxias do Sul.

Leia mais
Ministério Público do Trabalho pede fechamento da JBS em Caxias na Justiça
Ministério Público do Trabalho propôs TAC com frigorífico que tem surto da covid-19 em Caxias do Sul
Acompanhe os casos confirmados na Serra

O ajuizamento ocorreu na manhã desta quarta-feira (3), depois que a empresa informou ao MPT que não tem interesse em firmar o Termo de Ajustamento de Conduta proposto pelo Ministério com as medidas a serem adotadas para conter o surto de covid-19 registrado no local. O juiz da 6ª Vara da Justiça do Trabalho, com sede em Caxias, deu prazo de 48 horas para a empresa se manifestar e marcou audiência, às 15h de sexta, com os envolvidos. Depois, irá decidir se aceita ou não o pedido de liminar, ou seja, se o frigorífico será interditado imediatamente, enquanto transcorre a ação para posterior julgamento.

A ação interposta pelo MPT traz relatórios das fiscalizações feitas no frigorífico pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest/Serra) e da Gerência do Trabalho (antigo Ministério do Trabalho e Emprego). As vistorias realizadas em abril apontaram diversas irregularidades, como distanciamento entre funcionários menor do que o recomendado na linha de produção e entre mesas no refeitório; não observância do limite de 50% de passageiros sentados nos transportes para os operários; não afastamento de todos os trabalhadores pertencentes ao grupo de risco; ausência de investigação sobre os afastamentos ocorridos em março e abril relativos à síndrome gripal, ausência de testagem e controle sobre eventuais contactantes, entre outras.  

A ação pede que a empresa pague R$ 10 milhões. Segundo a procuradora do Trabalho, Priscila Dibi Schvarcz, o valor se refere a "indenização por dano moral coletivo em decorrência das irregularidades praticadas e do grande número de adoecimentos na aunidade".  Após a decisão da Justiça, caberá a qualquer um dos envolvidos recorrer se desejar.

Nesta quarta, foram confirmados mais quatro casos positivos entre os funcionários, elevando para 23 o total de infectados entre os 1.699 trabalhadores do frigorífico.

Durante a tarde, a direção da empresa esteve novamente reunida com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Segundo a SMS, o encontro teria sido uma nova tentativa de reverter o pedido feito pela prefeitura de fechamento da unidade para implementação da testagem em massa dos operários e desinfecção geral do local. Porém, o município manteve a decisão. Outro parecer pela interrupção da produção foi emitido na última segunda-feira pelo Conselho Municipal de Saúde.

 Por meio de nota, a JBS disse que não comenta ações judiciais em andamento e reiterou as medidas de prevenção e segurança adotadas durante a pandemia. 

Confira a nota na íntegra:

A JBS não comenta sobre processos judiciais em andamento. A Companhia reitera que tem como objetivo prioritário a saúde de seus colaboradores e ressalta que desde o início dessa pandemia tem adotado um rígido protocolo de prevenção contra a Covid-19 na sua unidade de Caxias Sul (RS) e em todas as suas plantas no Brasil, conforme as orientações dos órgãos de saúde e do Hospital Albert Einstein, além de especialistas médicos contratados pela Companhia para apoiar na implantação rigorosa de medidas para a proteção de seus colaboradores.

Entre as ações adotadas pela Companhia, estão:
-  afastamento de pessoas que fazem parte do grupo de risco como maiores de 60 anos, gestantes e todos os que tiveram recomendação médica;
-  ampliação da frota de transporte;
-  desinfecção diária das unidades;
-  medição de temperatura de todos antes do acesso às fábricas;
-  vacinação contra gripe H1N1 para 100% dos colaboradores;
-  ações de distanciamento social;
-  forte comunicação de prevenção e cuidados, entre outras.

Todas as medidas adotadas pela JBS estão a de acordo com os mais altos padrões. Saiba mais sobre as medidas de saúde e segurança adotadas pela JBS: https://bitlybr.com/r8hN

Leia também:
Cerca de 40% dos hotéis de Gramado reabriram em maio

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros