Com ajustes de operação, aterro sanitário de Caxias pode receber lixo nos próximos meses sem ampliação emergencial - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Sobrevida29/06/2020 | 13h21Atualizada em 29/06/2020 | 13h21

Com ajustes de operação, aterro sanitário de Caxias pode receber lixo nos próximos meses sem ampliação emergencial

Município também solicitou autorização para aumentar a capacidade no longo prazo

Com ajustes de operação, aterro sanitário de Caxias pode receber lixo nos próximos meses sem ampliação emergencial Marcos Cardoso/Divulgação
Foto: Marcos Cardoso / Divulgação

Ajustes operacionais realizados no Aterro Sanitário Rincão das Flores, em Caxias do Sul, vão permitir que a área siga recebendo lixo nos próximos meses sem a necessidade de uma ampliação emergencial. O aumento na capacidade havia sido cogitado em fevereiro, após a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) constatar que o espaço disponível para o depósito de lixo se esgotaria em maio.

Leia mais
Aterro sanitário de Caxias está no limite
Fepam aguarda documento da prefeitura de Caxias para liberar ampliação de aterro sanitário

Na época, a intenção era solicitar à Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) o aval para aumentar a quantidade de lixo que poderia ser depositada na atual área de 10 hectares. Enquanto isso o município trabalharia em um projeto para ampliação da área disponível no aterro em 20 hectares, que demandaria captação de recursos.

De acordo com o secretário do Meio Ambiente de Caxias, Nerio Susin, técnicos da Codeca e da secretaria passaram a adotar técnicas que permitiram melhor compactação do lixo. Além disso, o nível de preenchimento do aterro estava menor do que o previsto.

— O resíduo vai baixando ao longo do tempo, vai se transformando em gás, escorrendo o chorume (líquido gerado pelo lixo) — explica Susin.

Com os ajustes, a área atual ganhará uma sobrevida pelo menos até o fim do ano, o que permite ao município se debruçar sobre a solução definitiva: a ampliação da área do aterro.

Na sexta-feira (26), a Semma protocolou junto à Fepam o projeto que amplia em 20 hectares a área disponível para o depósito de lixo. Os estudos foram realizados por uma empresa terceirizada e passarão por análise do órgão estadual, responsável por emitir a Licença de Instalação, que Susin espera ter em mãos até outubro. A ampliação ocorrerá em etapas, a primeira de cerca de 25 mil metros quadrados, mas dará tranquilidade no processamento de resíduos do município pelos próximos oito anos, desde que sejam mantidos os níveis atuais.

Para tirar o projeto do papel, contudo, são necessários cerca de R$ 44 milhões. Em abril, a Câmara de Vereadores de Caxias do Sul aprovou uma lei que permite o município contratar um financiamento de R$ 12,1 milhões. De acordo com Susin, o pedido já foi encaminhado à Caixa Econômica Federal (CEF), mas ainda está em análise.

— Não adianta pegar o empréstimo de R$ 44 milhões agora para usar (nas etapas) em 2026, mas podemos preparar a área agora — explica o secretário.

Leia também
Colina Grill encerra as atividades após 24 anos de atuação em Caxias do Sul
Prédio histórico que abrigou cantina em Caxias do Sul ganhará wine bar e cafeteria
Padaria de Caxias pode perder 20% da receita mensal com fechamento aos domingos 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros