Caxias do Sul terá mais cinco leitos de UTI para tratamento do coronavírus - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Alívio no sistema03/06/2020 | 22h00Atualizada em 03/06/2020 | 22h00

Caxias do Sul terá mais cinco leitos de UTI para tratamento do coronavírus

Prefeitura colocará em funcionamento as vagas no Hospital Virvi Ramos na primeira quinzena de junho

Caxias do Sul terá mais cinco leitos de UTI para tratamento do coronavírus Antonio Valiente/Agencia RBS
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

O alerta está ligado na macrorregião da Serra Gaúcha. A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 82%, segundo os dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES), atualizados ontem à noite. Farroupilha e Garibaldi têm todas as vagas ocupadas – sendo que a segunda é específica para a covid-19 –, Bento Gonçalves está próximo do limite e, automaticamente, Caxias do Sul começa a ver a incidência de internações aumentar, passando dos 70% – sendo que os 10 leitos específicos para o combate ao coronavírus estão ocupados. Esses dados poderiam levar a região para a bandeira vermelha em breve, na regulamentação proposta pelo Governo do Rio Grande do Sul, mas uma saída deve ser tomada nos próximos dias e aliviar a pressão no sistema.

Leia mais
Decisão sobre interdição da JBS em Caxias do Sul será na sexta-feira
Acompanhe os casos confirmados na Serra

Caxias irá abrir mais cinco leitos de UTI no Hospital Virvi Ramos na próxima semana, específicos para o combate à pandemia. Isso elevará o número de vaga para tratamento intensivo de adultos para 115. Essa medida está sendo antecipada pela Secretaria Municipal da Saúde devido ao aumento que está ocorrendo nas cidades menores. Na atualização municipal de ontem, eram seis pacientes caxienses com covid-19 em UTI e sete de outros municípios. 

Segundo o secretário Jorge Olavo Hahn Castro, a intenção era colocar os cinco leitos em funcionamento no final de junho, mas como os hospitais da cidade estão recebendo muitos pacientes positivos do coronavírus nos últimos dias, será preciso realizar essa alteração de planejamento.

— Aqui em Caxias temos capacidade de aumentar os nossos leitos de UTI rapidamente, não dependemos do material do Governo Federal. Essa não é uma preocupação. Vamos abrir o suficiente para atender a região, mas insistindo que os demais prefeitos também abram seus leitos de UTI, que eles não estão abrindo. Caxias abriu e bancando os leitos, não esperou habilitação, e no Virvi Ramos seguiremos no mesmo caminho, abrir sem a habilitação do Ministério da Saúde — ressalta Castro.

Essa medida poderá reduzir essa taxa que é considerada pela SES e pelo Governo para definir as bandeiras da região. Outro dado é a ocupação em enfermaria, onde Caxias tem 54% de vagas ocupadas. Por isso, Castro acredita ser difícil que o conglomerado da Serra possa ir para a bandeira vermelha – que culmina com o fechamento do comércio e flexibilização de diversos outros serviços, pelo menos, por uma semana:

— É difícil (trocar a bandeira), porque nas enfermarias estamos com grande folga. O mais preocupante são os leitos de UTI, que estamos recebendo pacientes de toda região.

Outro caso emblemático e que demonstra o quanto o coronavírus está se espalhando e levando pessoas a serem internadas em hospitais está em Garibaldi. O Hospital Beneficente São Pedro abriu 10 vagas de UTI para o tratamento da covid-19 no dia 25 de maio. Quatro dias depois, elas estavam lotadas. Os pacientes são de várias cidades: Nova Prata, Carlos Barbosa, Bento Gonçalves e Farroupilha. Apenas um do município. Até uma pessoa de Sapiranga, que pertence à região de Novo Hamburgo, foi levada para a cidade da Serra. 

Uma demonstração de que a pandemia está entrando no seu ápice aqui no Estado neste mês de junho.

Leia também
Caxias realiza entrega de cadeira motorizada para menina de 11 anos
Estudante de Canela foi semifinalista do programa jovem embaixador 


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros