Caxias do Sul deve chegar ao pico de coronavírus na segunda quinzena do mês de julho - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Pandemia30/06/2020 | 23h30Atualizada em 30/06/2020 | 23h30

Caxias do Sul deve chegar ao pico de coronavírus na segunda quinzena do mês de julho

Estimativa é da Secretaria Municipal da Saúde com base nos dados de propagação do vírus

Caxias do Sul deve chegar ao pico de coronavírus na segunda quinzena do mês de julho Antonio Valiente/Agencia RBS
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Maior município da região, Caxias do Sul também vê o crescimento exponencial da sua curva. Ultrapassada a barreira de mil casos confirmados da covid-19 – 1.124 casos e 18 mortes, até terça (30) –, ainda não se pode esperar que esse número vá estabilizar ao longo dos próximos dias. A expectativa é de que esses números possam piorar, por conta das 450 pessoas com a infecção ativa, sendo possíveis transmissores do vírus, sem contar os casos assintomáticos. 

— Estamos na curva ascendente e a piora será na segunda quinzena de julho. Aí nós teremos o pico de casos e internações — projeta o secretário da saúde Jorge Olavo Hahn Castro, que complementa:

— Pelo número de casos que vem crescendo progressivamente, os cálculos apontam para isso.

Leia mais
Serra Gaúcha tem acréscimo de 158% em novos casos de coronavírus no mês de junho
Acompanhe os casos confirmados na Serra
Prefeitura de Caxias do Sul registra 1.124 casos confirmados de coronavírus 
Caxias do Sul recebe quatro respiradores 

O município tinha uma projeção de piora no mês de julho, mas junho ficou fora da curva inicial. O surto de casos no frigorífico da JBS de Ana Rech, ainda não totalmente contabilizado, impactou diretamente nesse crescimento que ultrapassa os 480% de testes positivos. Ainda não se tem como projetar o tamanho do impacto que esse surto teve sobre o número de contaminados na população caxiense, justamente porque a investigação epidemiológica ainda está em curso. 

— A gente só vai saber quando terminarmos uma investigação epidemiológica para saber o quanto isso impactou. A gente vai acompanhar para quantos cada um deles (funcionários positivos) transmitiu — ressalta Castro.

Ainda que os números apontem que o mês de julho será o grande pico, não está claro se a região entrará em bandeira vermelha ou se terá um colapso do sistema de saúde. A Secretaria Municipal da Saúde trabalha com a possibilidade de abertura de mais leitos de UTI – sete serão inaugurados nesta quarta (1º) no Pompeia – e leitos específicos para a covid-19. No entanto, essa resposta depende muito da atitude da população em seguir o distanciamento social, algo mais claro com as medidas impostas nos últimos dias na tentativa de coibir aglomerações, com a proibição de frequentar parques para lazer e fechamento de mercados e padarias aos domingos. No entanto, o resultado dessas medidas só deverão aparecer nos próximos 10 dias. Por enquanto, existe a promessa de que todos terão estrutura para tratamento.

— Se continuarmos com a restrição de movimentação social ainda vai ter aumento de casos, a mortalidade também vai aumentar. Porém, conseguiremos dar atendimento adequado a todos os pacientes — garante Castro.

Leia também
Corpo de adolescente que estava desaparecida é encontrado em riacho de São Marcos
Vento de mais de 90 Km/h destelharam mais de cem casas em Vacaria
Hospital de Caxias do Sul chega a oito transfusões de plasma convalescente no tratamento contra a covid-19

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros