Sósias de Shazan e Xerife agitam Flores da Cunha em 1973 - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória06/05/2020 | 07h00Atualizada em 06/05/2020 | 07h00

Sósias de Shazan e Xerife agitam Flores da Cunha em 1973

Luiz Molon e Floriano Ângelo Marini deram vida aos personagens vividos na TV e marcaram o segundo desfile da Fenavindima

Sósias de Shazan e Xerife agitam Flores da Cunha em 1973 Acervo pessoal de Floriano Marini/Reprodução
Luiz Molon e Floriano Ângelo Marini encantaram o público durante o desfile da Fenavindima de 1973 Foto: Acervo pessoal de Floriano Marini / Reprodução

A morte do ator Flávio Migliaccio, aos 85 anos, na segunda-feira, motivou milhares de lembranças e compartilhamentos sobre sua trajetória na tevê e no cinema. Um papel em especial tem ligação direta com a Fenavindima e o município de Flores da Cunha, conforme a coluna recordou em 2016, a partir da colaboração da colega Bruna Marini. Confira o texto original a seguir:

Os desfiles da segunda edição da Fenavindima, em 1973, foram um dos pontos altos da festa que movimentou o município de Flores da Cunha. Entre as alegorias, uma em especial não passou despercebida pelo público: a camicleta. O “carro’’, uma espécie de caminhão-bicicleta, era o meio de transporte utilizado pela dupla de mecânicos Shazan e Xerife, no programa Shazan, Xerife & Cia, exibido pela Rede Globo entre 1972 e 1974. Os amigos Luiz Molon e Floriano Ângelo Marini, moradores da comunidade de São Gotardo, deram vida aos personagens interpretados por Paulo José e Flávio Migliaccio, respectivamente. Nos episódios, os protagonistas viviam à procura de uma peça mágica para construir uma bicicleta voadora. Porém, algo sempre dava errado e eles eram desviados de seu objetivo. O enredo do desfile não foi diferente. Os sósias Luiz e Floriano chamaram a atenção tanto pela irreverência quanto pela semelhança com os atores.

A camicleta improvisada, um caminhão antigo emprestado pela Fábrica de Móveis Toigo, continha vária acessórios que a deixaram a cara da original: penico, chaleira, pneu, sino e, claro, frases como “Eu já fui boa”, “Só Deus sabe nosso destino” e “Conserta-se tudo”.

– Quando o motor pifava, nós jogávamos talco para fazer de conta que era fumaça. Era a maior graça – lembra Floriano.

A fama deu-se porque a dupla já havia desfilado pela Avenida 25 de Julho com o grupo de jovens. O sucesso foi tanto que o organizador do corso de carros alegóricos da Fenavindima, Alberto Mattioni, convidou-os para integrar a festa.

– Depois dos desfiles, não conseguíamos nem caminhar, uma multidão se aglomerava ao redor – recorda.

A dupla causou a maior confusão nas ruas centrais da cidade, pois as pessoas realmente pensavam que eles eram os personagens reais do seriado.

– Quando ia para alguma festa no interior, eu não pagava ingresso para entrar. Até hoje o pessoal se lembra e me chama de Xerife – ri.

Aos 61 anos (hoje 64), Floriano não esconde seu lado ator. Até hoje, em época de desfiles da Fenavindima, ele interpreta ora o prefeito ora o mágico da velha História do Galo...

Leia mais
Festa da Uva 1972: o último ano do pavilhão da Alfredo Chaves
Praça Dante durante a Festa da Uva de 1937
Lourdes: o álbum da família Demori

A saber: Shazan e Xerife surgiram originalmente na novela O Primeiro Amor, de Walter Negrão, e encantaram a infância de quem foi criança no início dos anos 1970. Com o sucesso, a Rede Globo resolveu dar continuidade às aventuras da dupla em um seriado após o fim da trama.

Sósias de Shazan e Xerife fazem sucesso no desfile na Fenavindima de 1973.<!-- NICAID(12368763) -->
Luiz Molon e Floriano Ângelo Marini deram vida aos personagens interpretados por Paulo José e Flávio MigliaccioFoto: Acervo pessoal de Floriano Marini / Reprodução

Leia também
Lourdes: o álbum da família Demori
Lembranças de moradores "raiz" de Lourdes
#tbt's em tempos de isolamento social 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros