Restaurante em Gramado se desculpa por cliente que dançou ao som do "meme do caixão" - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Vídeo polêmico12/05/2020 | 07h37Atualizada em 12/05/2020 | 07h37

Restaurante em Gramado se desculpa por cliente que dançou ao som do "meme do caixão"

Caso ocorreu no último sábado (9); proprietário do restaurante lamenta o fato e diz que cena ocorreu sem conhecimento da direção da casa

O vídeo que mostra um cliente dançando em um restaurante em Gramado ao receber um combo de baldes de espumante, no fim de semana, está repercutindo em grupos de aplicativos de mensagens. Na gravação, o homem, que está sem máscara, dança ao som de uma música eletrônica que faz parte de um meme que usa imagens de dançarinos africanos carregando caixões e viralizou nas redes sociais em meio à pandemia de coronavírus. Enquanto seguem o cliente, três garçons usando máscaras também se embalam ao som do hit, simulando o ritual do “meme do caixão”, como ficou popularmente conhecido nas redes sociais. 

A cena foi registrada no Divino Gastronomia & Bar. O proprietário do estabelecimento, Valdemir Ecker, confirma que o caso ocorreu no último sábado (9), mas destaca que foi um “fato isolado” promovido por um cliente e que não obedeceu às normas do restaurante. Segundo Ecker, esse indivíduo pediu para um DJ que estava trabalhando no local tocar a música sem o conhecimento da direção da casa. Questionado sobre os funcionários que aparecem dançando no vídeo, Ecker diz que, por falta de informação, eles não identificaram o que o gesto poderia acarretar. 

— Não é o restaurante em si. Isso tudo foi tudo feito por uma ideia dele. Ele que foi falar com os guris e pressionar. Botou uma pressão em cima dos funcionários, onde não tinha ninguém da (direção), eu não estava, não estava o gerente, não estava o subgerente. Não tinha ninguém, e aí complicou — explicou Ecker. 

O proprietário do restaurante disse que repudia esse tipo de ato e que, desde domingo (10), música ao vivo e o serviço de DJ não estão mais operando na casa. Ecker afirmou que já foi realizada uma reunião com a equipe para evitar que cenas assim se repitam. 

— Tivemos uma reunião no sábado à noite após o fechamento do restaurante, depois que aconteceu esse fato do vídeo. Uma pessoa já foi afastada provisoriamente e foi feita uma reunião no domingo, informando que não teria música. Que nunca mais será feito esse tipo de tratamento com um cliente. Se ele quiser alguma coisa especial, terá de falar primeiro com o gerente da casa — afirmou. 

Ecker disse que lamenta o episódio e pede desculpas aos clientes e a toda sociedade pela falha. O estabelecimento divulgou nota nesse sentido, nesta segunda-feira (11). O empresário entende que o episódio não deve prejudicar a imagem dos serviços no município, pois a comunidade gramadense e os empresários estão seguindo as normas de segurança diante da pandemia.


Prefeitura diz que fiscalizou estabelecimento

Em nota, a prefeitura de Gramado informou que a Vigilância Sanitária fiscalizou estabelecimentos comerciais e gastronômicos no centro da cidade no sábado, exigindo o cumprimento do distanciamento entre as pessoas e a obrigatoriedade do uso de máscaras por parte de colaboradores e de clientes, prevista em decretos. Segundo o Executivo municipal, o local onde o vídeo foi gravado está entre os visitados:

"Tão logo tomou conhecimento do vídeo, a fiscalização da Prefeitura de Gramado esteve no local e orientou o proprietário do restaurante a interromper o uso de som, considerando que o volume e o estilo (revelados no vídeo) afrontavam o momento de apreensão e tristeza que a sociedade vive por conta da epidemia de coronavírus”, informou a prefeitura, por meio de comunicado.

Leia também
Rio Grande do Sul registra 10 mortes em decorrência do coronavírus
Bento Gonçalves tem 93% dos leitos de UTI ocupados, segundo números do Estado
Cidades da Serra apostam em melhoria de hospitais prontos e evitam estruturas temporárias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros