Representantes de hospitais e deputados vão cobrar do Estado habilitação de UTIs - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Pandemia07/05/2020 | 13h13Atualizada em 07/05/2020 | 13h13

Representantes de hospitais e deputados vão cobrar do Estado habilitação de UTIs

Reunião com demanda ocorre na tarde desta quinta-feira

Representantes de hospitais e deputados vão cobrar do Estado habilitação de UTIs Porthus Junior/Agencia RBS
Hospital Pompéia aguarda equipamentos para montar nova UTI voltada a pacientes com coronavírus Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Representantes de hospitais e cinco deputados estaduais da Serra se reúnem virtualmente na tarde desta quinta-feira (7) com o governador Eduardo Leite (PSDB). Entre as demandas da região, está a habilitação de leitos de UTI. Conforme a 5ª Coordenadoria Regional de Saúde, a capacidade demonstrada pelos hospitais é de oferecer 71 novas vagas na terapia intensiva. Parte deles está pronta ou em processo de montagem, mas outra parcela precisa receber aparelhos do Ministério da Saúde. O governo federal também tem de habilitar os leitos para que ocorra o pagamento das internações e os representantes da região querem que o Estado ajude a pressionar a agilidade no processo ou mesmo passe a financiar a ampliação. 

Participam da reunião representantes de nove hospitais de Caxias do Sul, Garibaldi, Vacaria, Farroupilha, Bento Gonçalves e Gramado. Um deles é o Pompéia, que tem previsão de receber 10 novos leitos do governo federal. Conforme Francisco Ferrer, consultor da instituição que estará do encontro virtual, a preocupação é com a possibilidade da situação se agravar diante de um pico da doença, previsto pelo próprio governador para o fim de junho.

— Entendemos que a nossa região necessita urgentemente mais leitos de UTI — comenta o ex-superintendente do Pompéia.

Leia mais
Leitos de UTI servirão para isolamento enquanto hospital de Garibaldi aguarda habilitação de novo serviço
Serra tem 16 leitos de UTI prontos à espera de habilitação do Ministério da Saúde 

Ferrer explica que no hospital a taxa de ocupação das três UTIs está em 90% dos 30 leitos disponíveis. A taxa é alta porque os demais problemas de saúde que demandam terapia intensiva, como casos de traumatologia por acidentes, continuam. Outra situação enfrentada pelo Pompéia é que uma das unidades, com 10 vagas, foi destacada apenas para casos de covid-19. No entanto, o valor pago para o tratamento não foi atualizado: para casos de coronavírus, o governo federal paga R$ 1,6 mil, enquanto para as demais paga R$ 800.

O Estado anunciou que vai destinar recursos para o funcionamento de UTIs em alguns hospitais, mas nenhum na Serra. Diante disso, a reunião também deve servir para pedir a extensão da medida para a região. A pauta contempla ainda a solicitação de equipamentos de proteção para os profissionais da Saúde e de testes para rastreabilidade do coronavírus, além de recursos para custeio, contratação de profissionais e leitos ambulatoriais.

Leia também
Câmara aprova prorrogação de contrato com a Visate por mais um ano
Uso de máscara na rua é obrigatório em oito dos 10 municípios mais populosos da Serra Gaúcha
Câmara aprova isenção de pagamento de água para famílias pobres de Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros