Idosas de Caxias costuram colcha e vendem por R$ 500 para comprar cestas básicas para necessitados - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Boa ação29/05/2020 | 13h34Atualizada em 29/05/2020 | 13h34

Idosas de Caxias costuram colcha e vendem por R$ 500 para comprar cestas básicas para necessitados

Grupo de Câmbio do bairro Cruzeiro lidera a ação beneficente

Idosas de Caxias costuram colcha e vendem por R$ 500 para comprar cestas básicas para necessitados Deonisio Betto / Divulgação/Divulgação
Eva Borges Betto, 72 anos, uniu todos os quadradinhos de crochê e finalizou a colcha Foto: Deonisio Betto / Divulgação / Divulgação

Uma colcha quentinha pode fazer toda a diferença para quem não tem como se aquecer no inverno caxiense. Mas, e se fosse possível usar a peça para ajudar mais gente ainda? 

Essa foi a ideia do Grupo de Câmbio do bairro Cruzeiro, pertencente ao programa da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Caxias. De quadradinho em quadradinho, costurar uma colcha inteira em crochê e, em vez de doar apenas para uma família, vender e usar o valor para comprar cestas básicas e destiná-las a mais pessoas.

O grupo de câmbio reúne pessoas com mais de 50 anos para praticar esportes adaptados para a idade, mas está com essas atividades paradas em virtude da pandemia:

 — A gente que é mais velho não pode sair de casa. Queríamos aproveitar o tempo que estamos parados — comenta Eva Borges Betto, que reuniu os quadrados de 20x20 cm, produzidos individualmente por ela e outras integrantes, e finalizou a colcha.

A peça levou em torno de três meses para ser concluída e somente três dias para ser comercializada. Eva explica que a divulgação foi feita nas redes sociais dos integrantes do grupo e contou com o apoio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. Cerca de três dias depois, uma interessada já entrava em contato e combinava a retirada pelo valor de R$ 500, marcada para esta sexta-feira (29).

O Grupo de Câmbio do bairro Cruzeiro vai usar o valor arrecadado para adquirir cestas básicas e destiná-las a famílias necessitadas em meio ao cenário da pandemia.

— Aprendi o crochê com minha mãe, faço há mais de 40 anos. É muito gratificante ajudar aqueles que necessitam. O pouquinho que a gente faz já faz a diferença — declara Eva.

Peça foi vendida por R$ 500, valor que será destinado a compra de cestas básicas para famílias necessitadasFoto: Eva Borges Betto / Divulgação

Segundo Eva, são quatro as senhoras no grupo que efetivamente confeccionaram a colcha por saberem a técnica do crochê, mas nem por isso os outros deixaram de participar:

 — No grupo (do WhatsApp), o pessoal foi dando opiniões, apoio. Agora já estamos produzindo uma segunda colcha e, assim, quem não ajuda fazendo contribui com dinheiro e com a lã. Já temos quase 40 quadradinhos prontos — antecipa.

Leia também
Crianças caxienses expressam, com desenhos, o que estão sentimentos durante o distanciamento social
"Ainda existe um crescimento avançado", afirma secretário da Saúde de Bento sobre coronavírus
Pra salvar seu almoço: panqueca de carne com molho de espinafre e nata

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros