Hemocentro começa a coletar sangue de curados do coronavírus para tratamento experimental em Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Otimismo19/05/2020 | 13h16Atualizada em 19/05/2020 | 16h44

Hemocentro começa a coletar sangue de curados do coronavírus para tratamento experimental em Caxias do Sul

Plasma de quem já passou por covid-19 poderá ser utilizado em pacientes infectados

Hemocentro começa a coletar sangue de curados do coronavírus para tratamento experimental em Caxias do Sul Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Uma experiência que vem dando resultado em países como os Estados Unidos inicia em Caxias do Sul, na Serra, nesta semana. O procedimento consiste em uma transfusão de plasma entre um paciente curado de coronavírus para outro, ainda infectado. O Hemocentro Regional de Caxias do Sul (Hemocs) começou a coleta de plasma convalescente, como é chamado, para que médicos possam ter a alternativa na diminuição dos sintomas de doentes positivos para covid-19.

O interessado irá doar o plasma do seu sangue através de uma máquina específica e, depois disso, o Hemocs destinará o material a hospitais que tiverem protocolo de estudo para o uso. Segundo a diretora da rede especializada do Hemocs, Cristina Lisot, já é possível testar o formato, caso o médico considere o tipo de tratamento e tenha o aval do paciente.

O plasma contém anticorpos que foram adquiridos por quem enfrentou a doença. A esperança é de que eles forneçam imunidade ao infectado que receber a transfusão. Estudos apontam que o plasma convalescente pode diminuir a mortalidade em pacientes críticos, reduzir a carga viral e causar melhora clínica. Com isso, ocorre diminuição do tempo de ventilação mecânica e  internações em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI).

Equipamento denominado aparelho de aférese será usado para as coletas de plasma no HemocsFoto: Marcos Venicio da Silva Carvalho / divulgação

A seleção dos doadores de plasma passará por uma avaliação rigorosa. Inicialmente, as pessoas recebidas serão homens, de no mínimo 18 e no máximo 60 anos, que tiveram a doença confirmada por meio do teste PCR e estão há mais de 28 dias recuperados. Eles precisam estar sem sintomas e não apresentarem outras doenças infecciosas. Conforme o Ministério da Saúde, a maior preocupação nesses casos é com a qualidade do plasma.

Interessados precisam agendar atendimento no Hemocentro de Caxias pelos telefones (54) 3290-4543 e (54) 3290-4580 ou pelo  Whatsapp (54) 984188487. O Hemocs atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30min às 17h30min e aos sábados das 8h até 12h, na rua Ernesto Alves,2260, ao lado da UPA Central.

Hospital Virvi Ramos é o primeiro a implantar protocolo 

Em parceria com o Hemocentro de Caxias, o Hospital Virvi Ramos adotou um protocolo já aprovado pela Anvisa, para uso de plasma convalescente no tratamento de pacientes internados em estado grave, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em decorrência do coronavírus. Os dados coletados farão parte de uma pesquisa científica. 

—  Esse protocolo já tem sido utilizado em hospitais de referência nos grandes centros do país. Esta  parceria com a  Secretaria Municipal de Saúde, através do Hemocentro,  atesta que Caxias do Sul está na vanguarda, pois dispõe das mesmas qualificações técnicas  para realização, agregando  assim  mais uma alternativa para o tratamento dos caso graves da Covid -19 — explica a diretora do Hospital Virvi Ramos, Cleciane Doncatto  Simsen.

Leia também
Prefeitura de Caxias confirma segunda morte por coronavírus ocorrida na cidade
Ministério da Saúde habilita 20 novos leitos de UTIs em hospitais da Serra

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros