Grupo RBS, Renner e Lebes unidos contra o coronavírus - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Iniciativa09/05/2020 | 15h42Atualizada em 09/05/2020 | 15h42

Grupo RBS, Renner e Lebes unidos contra o coronavírus

Estão previstas ações de comunicação e distribuição de máscaras em comunidades de vulnerabilidade do Estado

Pioneiro
Pioneiro

Grupo RBS, Renner e Lebes estão juntas para incentivar o uso correto de máscaras para evitar a contaminação pelo coronavírus. O objetivo das três grandes marcas é mobilizar os gaúchos a aderirem às máscaras, a partir da crença de que cada um de nós tem um papel fundamental no combate à pandemia e para acelerar o encerramento da crise.

A iniciativa leva em conta as orientações dos órgãos oficiais, prevê ações de comunicação em todos os veículos da RBS e distribuição de máscaras em comunidades em situação de vulnerabilidade do Estado. O projeto foi pensado de forma conjunta pelos CEOs da RBS, Claudio Toigo Filho, da Renner, Fábio Faccio, e da Lebes, Otelmo Drebes. 

Além de aproximar as empresas das comunidades onde atuam e contribuir de forma efetiva no combate à disseminação do coronavírus, a ação busca apoiar uma parte da cadeia produtiva do Estado que está sofrendo diretamente com a crise econômica: as pequenas e médias empresas do setor têxtil.

– Acredito que a melhor forma para enfrentar essa pandemia, proteger a saúde dos gaúchos e conseguir retomar nossas rotinas da forma mais segura possível é através da educação e da solidariedade. É preciso unir forças, habilidades e expertises para levar informação a todos os cantos e conscientizar as pessoas de que cada um precisa fazer a sua parte. Todos nós: empresas, governos e comunidades. Por esta razão, a Lebes abraçou o Projeto Solidariedade com o Grupo RBS e a Renner. É preciso comprometimento de todos, um importante pilar desse grande projeto. Esperamos assim mobilizar os gaúchos e transformar o uso correto das máscaras em um hábito diário. Queremos também inspirar outras empresas para que se juntem a nós nesta grande causa – comenta Otelmo Drebes, presidente da Lojas Lebes.

Foco nas comunidades em situação de vulnerabilidade

No momento em que o Rio Grande do Sul vive a possibilidade de flexibilizar o isolamento social com o novo modelo em implementação no Estado, o papel de cada cidadão passa a ser mais decisivo para evitar o contágio e superar a crise econômica. Por isso a escolha por comunidades em situação de vulnerabilidade para a entrega de 200 mil máscaras. São locais onde falta informação e, também, recursos para a prevenção.

– Estar próxima das comunidades onde atua sempre foi um valor da RBS e de nossos acionistas. Temos apoiado com doação de mídia, a partir da cobertura editorial e em campanhas publicitárias inúmeras ações positivas de combate à doença e à crise, mas queríamos fazer algo proprietário, com nosso envolvimento direto. Cada gaúcho terá um papel fundamental a partir de agora, para que possamos evoluir. Por isso, decidimos, junto com parceiros que têm uma visão semelhante, dedicar esforços a conscientizar todos sobre a importância da prevenção – destacou o CEO da RBS, Claudio Toigo Filho.

A RBS participará da ação por meio da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho (FMSS), marca social da companhia.

A distribuição será realizada em parceria com a CUFA em Porto Alegre, Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas e Santa Maria. Mas o convite é para que outras empresas façam também parte do projeto, permitindo ampliar o número de máscaras doadas, comunidades atingidas e municípios cobertos pela iniciativa.

– Desde o início da pandemia, a Renner vem atuando em diversas frentes para preservar a saúde e o bem-estar de colaboradores, clientes, parceiros de negócio e comunidades. A situação exige diálogo, transparência e serenidade, pois todos temos que vencer um inimigo em comum, que é o coronavírus. Atuar em uma grande corrente de colaboração, como essa com a RBS e a Lebes, nos permite multiplicar resultados, otimizando os cuidados a quem mais precisa de nós neste momento. Por isso, convocamos outras empresas a se juntarem a esta rede e ficamos à disposição daqueles que queiram construir em conjunto outras alternativas de apoio – diz o diretor presidente da Lojas Renner, Fabio Faccio.

RBS, Renner e Lebes estão trabalhando em força-tarefa para organizar a logística, que deve se iniciar ainda em maio.

Outras medidas que essas empresas já tomaram durante a pandemia para amenizar a crise:

Grupo RBS
Desde o começo da pandemia, a RBS está apostando seus esforços na missão de manter a informação certificada à disposição do público. O lançamento semanal de novos produtos e o acesso gratuito a conteúdos de serviço sobre a pandemia em GaúchaZH e no Pioneiro digital são exemplos disso. A partir da força dos seus veículos, com cobertura, mobilização dos comunicadores e publicidade, a empresa tem reverberado o apelo para que os gaúchos sigam todas as recomendações necessárias, a partir da mobilização 360º #juntoscontraovírus. Adicionalmente, a RBS tem dado visibilidade, em seus espaços editoriais e a partir da doação de mídia, às ações positivas que estão contribuindo para a solução da crise do coronavírus. Com esse objetivo, o equivalente a mais de R$ 4,6 milhões foi cedido em chamadas de TV, rádio, jornal e digital para a divulgação de projetos e causas sociais.

Renner
A Lojas Renner vem desenvolvendo uma série de iniciativas de responsabilidade social para atuar no combate à crise gerada pelo coronavírus, somando um investimento que ultrapassa os R$ 5,5 milhões. Por meio do Instituto Lojas Renner, mobilizou uma rede de colaboração com o objetivo de apoiar hospitais em diferentes regiões do país e comunidades em situação de vulnerabilidade. Isso inclui a doação de 1,3 milhão de unidades de EPIs para instituições de saúde, fabricadas pelos próprios fornecedores da Renner. A varejista também lançou a plataforma Inovação do Bem, em parceria com o Hospital Albert Einstein, para conectar hospitais a produtores de EPIs e uniformes. Em paralelo, a Lojas Renner está implementando ações com foco na preservação dos empregos de seus mais de 23 mil colaboradores e no suporte à toda sua cadeia de fornecimento, incluindo a disponibilização de subsídio e consultoria a micro e pequenas empresas em seis estados brasileiros.

Lebes
A Lojas Lebes foi uma das primeiras redes de varejo do sul do país a fechar suas portas para proteger clientes e colaboradores contra o coronavírus. Isto ocorreu no dia 21 de março, antes mesmo do decreto do governador Eduardo Leite, que definiu o fechamento do comércio no Rio Grande do Sul. Na semana seguinte, com toda a operação parada (170 lojas no RS e SC), a empresa aproveitou sua fábrica de confecção New Free, localizada no município de São Jerônimo, para produzir 30 mil máscaras de proteção para serem doadas. A ideia surgiu de um grupo de costureiras da fábrica, que trabalharam de forma voluntária, junto com a direção da empresa. Os equipamentos foram destinados a comunidades carentes e secretarias de saúde de 17 municípios do Estado.

Leia também:
Corpus Christi terá procissões motorizadas na Serra devido à pandemia
Mais dois shoppings de Caxias do Sul adotam o sistema drive-thru de atendimento


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros