UCS terá centro específico para diagnóstico do novo coronavírus em Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Covid-1906/04/2020 | 19h46Atualizada em 06/04/2020 | 19h55

UCS terá centro específico para diagnóstico do novo coronavírus em Caxias do Sul

Objetivo é fazer com que exames tenham resultados em até 48 horas

UCS terá centro específico para diagnóstico do novo coronavírus em Caxias do Sul Claudia Velho/Divulgação
Foto: Claudia Velho / Divulgação

Obter os exames relativos ao coronavírus de forma mais ágil e conseguir ter estatísticas reais são desejos de todos os prefeitos nos próximos meses. Foram quase três semanas em que os testes acabavam represando no Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (Lacen/RS) e os resultados demoravam quase uma semana. Aos poucos, essa realidade está mudando, com o Governo Estadual cadastrando mais centros aptos para realizarem essas provas. A região da Serra vai ganhar mais um local apropriado para isso.

Leia Mais
Caxias registra seis novos casos e já chega a 30 pessoas contaminadas pelo coronavírus

A UCS está encerrando os últimos ajustes para transformar o laboratório do Instituto de Biotecnologia e o Centro de Doenças Infecciosas em um local específico para diagnósticos do novo coronavírus. A expectativa é de que na próxima semana, o que depende muito da chegada da matéria-prima para os reagentes ao vírus, ele esteja funcionando.

— É importante ter esses números mais rápidos para as tomadas de decisões. Não só o isolamento social, mas influi diretamente para o uso de EPIs e de cirurgias que devem ser feitas — explica o doutor Asdrubal Falavigna, diretor da área da vida e coordenador do Programa de pós-graduação da saúde da UCS, que complementa: — Como existe a redução em locais que realizam esse diagnóstico, estamos potencializando esse laboratório para ajudar os hospitais da região para ter os números reais.

Num primeiro momento, a capacidade será para entregar 50 resultados por dia, sendo que a resposta deverá sair em 48 horas. Os testes têm o embasamento no protocolo do Instituto de Virologia de Charité, da Alemanha.

Caso seja necessário aumentar a capacidade para resultados, a universidade irá pedir ajuda para a comunidade na compra de novos aparelhos. Para a primeira arrancada, está tudo praticamente pronto. Basta encerrar os ajustes necessários para que as máquinas consigam entrar em pleno funcionamento.

Leia Também
Mais uma profissional da saúde é diagnosticada com covid-19 em Farroupilha 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros