Saiba os cuidados necessários em supermercados e nos pedidos de delivery em meio à pandemia - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Coronavírus01/04/2020 | 18h13Atualizada em 01/04/2020 | 18h13

Saiba os cuidados necessários em supermercados e nos pedidos de delivery em meio à pandemia

Estabelecimentos e clientes ainda estão em processo de adaptação às normas

Saiba os cuidados necessários em supermercados e nos pedidos de delivery em meio à pandemia Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Ir ao mercado para compra de alimentos e itens de higiene é considerado uma atividade essencial neste período de isolamento social devido à pandemia do coronavírus. Entretanto, para evitar a proliferação do vírus e o aumento de contaminados, existem algumas restrições e precauções para a pessoas que vão se dirigir a um desses estabelecimentos. Entre elas estão a higienização das mãos, antes e depois do deslocamento, a limpeza dos itens adquiridos e o respeito às distâncias entre compradores e funcionários dos mercados. 

— Oriento que pacientes que tenham alguma deficiência imunitária ou idosos evitem ambientes de maior circulação. A preferência é que o adulto sadio vá ao super. Lá, ele deve respeitar as normas de entrada e a quantidade de pessoas, passar álcool gel antes de entrar e evitar contato com muitas coisas. Também manter distância de pelo menos um metro de outras pessoas e respeitar as sinalizações, para não se aproximar muito do atendente. Ao chegar em casa, a orientação é que todos os produtos sejam lavados com água e sabão. Os que forem de papel, descartados no lixo — explica a infectologista Viviane Buffon.

Leia mais
Respirador projetado por voluntários caxienses aguarda autorização para testes clínicos

A escolha de legumes e frutas, ou a hora do pagamento, são momentos em que o comprador tem contato com itens do supermercado. A especialista salienta que a lavagem posterior é essencial para a prevenção e não recomenda o uso de luvas.  

— Máscara apenas para aquela pessoa que está com algum sintoma respiratório. Luvas não recomendo. A escolha das frutas é normal, é apenas necessário que se lave depois, assim como na hora do pagamento. Seja com troco em papel ou moeda, ou em contato com a máquina do cartão, existe a possibilidade de transmissão do vírus. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 01/04/2020 - Fotos para reportagem sobre quais os cuidados que devemos ter para ir ao supermercado e usar delivery, e como os mercados estão agindo com funcionários e clientes. NA FOTO: proteção individyal para caixas de supermercado, e limpeza com álcool gel frequentemente. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14466795) -->
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Os últimos dias foram também de adaptação para os funcionários receberem seus clientes. Os principais estabelecimentos de Caxias do Sul estão disponibilizando álcool gel na porta e têm higienizado cestas e carrinhos com o mesmo produto químico. Há também algumas medidas de proteção aos funcionários, como o uso de máscaras para a proteção do rosto ou uma placa na frente dos caixas, com a mesma finalidade. Além disso, também há marcações no chão para a sinalização de distâncias nas filas. 

— É o primeiro dia em que eu estou saindo. Observei algumas coisas diferentes, mas acho que o pessoal ainda não está tão assustado, porque não anda muito distante. Também imaginava encontrar menos gente no mercado. Estou vendo muita gente na rua — disse a secretária Patrícia Gil de Oliveira, cliente de um dos supermercados da cidade, que saiu de casa pela primeira vez nos últimos 15 dias.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 01/04/2020 - Fotos para reportagem sobre quais os cuidados que devemos ter para ir ao supermercado e usar delivery, e como os mercados estão agindo com funcionários e clientes. NA FOTO: Mercado também restringe número de clientes e aplica alcool gel antes deles entrarem. Caixas também usam máscaras. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14466826) -->
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Com a regulamentação dos supermercados abrirem para apenas 50% de capacidade, filas têm se formado na porta dos comércios. Os clientes são orientados a ficaram distantes em um metro e há sinalização no chão. Contudo, o tempo normalmente gasto para realizar as compras acaba se elevando.

— Estou esperando há 10 minutos, mas é para a saúde de todo mundo, né? Fui no banco e na farmácia e também está assim. Temos é que esperar — comentou Izolete Souza, uma das clientes que estava na fila de um supermercado.

CRESCE A PROCURA POR DELIVERY

Um mercado que cresceu durante o período de isolamento social foi o de delivery, a popular tele-entrega. Somado ao fato dos restaurantes estarem proibidos de receber clientes em seus salões, grande parte dos locais têm disponibilizado entregas de forma gratuita nos aplicativos de alimentação, tornando o pedido mais atrativo financeiramente para os clientes. Na prática, isso afeta os entregadores, que aumentaram a demanda de trabalho.

— Aumentou muito em todos os aplicativos e melhorou bastante para nós. Os restaurantes fazem uma higienização da nossa mochila e nos é disponibilizado álcool gel — Eliezer Marini, motociclista que realiza entregas de aplicativos.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 01/04/2020 - Fotos para reportagem sobre quais os cuidados que devemos ter para ir ao supermercado e usar delivery, e como os mercados estão agindo com funcionários e clientes. NA FOTO: Eliezer Romani, motoboy. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14466834) -->
Eliezer Marini diz que entrega sem contato físico ainda não é uma realidadeFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Os apps têm disponibilizado aos clientes a escolha pela entrega do produto em mãos ou sem contato físico. No entanto, Marini entende que o processo ainda não está funcionando corretamente.

— Comigo não tem dado certo, pois a maioria dos clientes pede sem contato físico, mas pega o produto na tua mão. A nossa orientação é largar o produto e a pessoa pegar.

A infectologista Viviane Buffon afirma que as caixas e sacolas que servem de recipientes para os alimentos devem ser descartados imediatamente após a entrega. E não existe risco de contaminação do alimento.

— A parte da caixa ou pacote do alimento deve ser descartada e as mãos higienizadas. Não há risco de o vírus estar na comida — afirma.

Leia também
Secretária da Educação de Caxias do Sul garante que ano letivo será cumprido

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros