Psicólogas de Caxias e Bento atendem voluntariamente para ajudar a controlar ansiedade em meio ao isolamento  - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Covid-19 14/04/2020 | 12h19Atualizada em 14/04/2020 | 12h21

Psicólogas de Caxias e Bento atendem voluntariamente para ajudar a controlar ansiedade em meio ao isolamento 

Serviço é voltado a profissionais que saem para trabalhar, mas deixam a família em casa

Psicólogas de Caxias e Bento atendem voluntariamente para ajudar a controlar ansiedade em meio ao isolamento  Arquivo Pessoal/Divulgação
A psicóloga Gabriela Azevedo (na tela) ajuda a comunidade a conter a ansiedade agravada pelo isolamento Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

O isolamento social foi a medida emergencial adotada pelas autoridades para tentar barrar o avanço do novo coronavírus. Essa nova realidade, que busca segurança para o corpo, pode não causar o mesmo efeito para a mente. Pensando nisso, as psicólogas do projeto Rever Psi, Gabriela Azevedo e Cristina Tristacci, de Caxias do Sul e Bento Gonçalves, prestam atendimento voluntário e acolhimento online para ajudar a comunidade a conter a ansiedade e o medo agravado pelo isolamento. O serviço de apoio vem sendo compartilhado nas redes sociais. 

As duas atendem aos profissionais que saem para trabalhar, mas deixam a família em casa. São consultas voltadas a trabalhadores da área da alimentação, vigilância e limpeza e que precisam conversar sobre medos e angústias. Elas também criaram materiais com orientações, ideias e serviços que estão à disposição da comunidade neste momento de enfrentamento da pandemia.

Leia mais
Projeto Rever Psi promove atendimentos psicológicos mais acessíveis em Caxias
Prefeitura de Bento disponibiliza atendimento psicológico por ligação telefônica

- A ideia surgiu porque percebemos que muitas categorias se uniram para prestar atendimento aos profissionais da área de saúde, mas também é necessário olhar e cuidar daqueles que seguiram a rotina porque atuam em serviços essenciais _ explica Gabriela.

Ela complementa:

-  Eles saem para trabalhar, mas a família fica em casa, em isolamento. O estar em casa, a convivência entre quem fica em casa e quem sai, em uma situação totalmente nova para a maioria das pessoas, muda a dinâmica familiar e até a relação entre os familiares. Não podemos sair de casa por uma questão de segurança. Isso gera medo, ansiedade, insegurança, irritabilidade, cria conflitos, então pensamos em oferecer atendimento voluntário porque ninguém sabe o que vai acontecer e precisamos estar preparados para lidar com as situações.

As três primeiras consultas são voluntárias. A proposta  é orientar as famílias dentro dessa nova dinâmica que se apresenta:

- Não basta organizar a rotina, o tédio vai aparecer e tem de ser aceito, há momentos que precisam ser avaliados e revistos. Também é importante respeitar os espaços e sentimentos de cada um, dividir tarefas e manter o descanso. Temos de adequar essa organização com a realidade e espaço de cada família, porque há moradias, por exemplo, que têm um quarto e outras quatro. Então, cada atendimento é voltado aos anseios daquela pessoa _ aponta Gabriela.

A psicologa finaliza:

- Existe essa imposição social para ser produtivo o tempo todo. As iniciativas são ótimas, mas precisamos respeitar o nosso ritmo e o nosso perfil.

Os atendimentos pretendem proporcionar um auxílio nesse momento, seja de organização da rotina e atividades diárias, bem como suporte familiar e amparo a quem também se encontra em quadros relacionados a ansiedade, depressão e pânico.

Como entrar em contato:
Rever Psi:
(54) 99112-4180
Gabriela: (54) 99186-8019
Cristina: (54) 99641-2535

Leia também
Comércio de Bento poderá receber clientes a partir desta terça para pagamento de contas
Justiça nega liminar para suspensão do funcionamento do comércio em Farroupilha
Duas mortes violentas são registradas em cerca de dez horas em Caxias do Sul 



 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros