Família de garoto que doou R$ 21,45 para hospital de Antônio Prado ganha casa nova  - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Boa notícia14/04/2020 | 16h28Atualizada em 14/04/2020 | 16h28

Família de garoto que doou R$ 21,45 para hospital de Antônio Prado ganha casa nova 

Com auxílio da Defensoria Pública, eles devem ficar na moradia por um ano com auxílio do aluguel social

Família de garoto que doou R$ 21,45 para hospital de Antônio Prado ganha casa nova  Antonio Valiente/Agencia RBS
Léo, 11 anos, e o irmão Eduardo, quatro, na frente da casa nova da família no bairro Panorâmico Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

O menino Leonardo Cambruzzi Maziero, 11 anos, que ganhou destaque na última semana após doar R$ 21,45 ao Hospital São José, de Antônio Prado, já está morando na casa nova. A família começou a mudança na quinta-feira (9) e já passou o domingo de Páscoa sob um teto confortável, livre de frestas. A história do garoto ficou conhecida depois que ele coletou latinhas de alumínio, vendeu e doou a quantia arrecadada para o único hospital da cidade com o objetivo de colaborar no combate à pandemia de coronavírus.

 Leia mais
Menino de 11 anos doa R$ 21,45 para o hospital de Antônio Prado 

Léo, como é conhecido pela família e amigos, morava em uma casa simples, alugada na Linha Scavuzzi, com a mãe Zuleide Cambruzzi, o pai, Adair Maziero e os irmãos Eduardo, quatro, e Rafael, 13. A família havia recebido ordem para deixar a moradia e recorreu à Defensoria Pública, que intermediou o caso junto à administração municipal. A família, segundo a mãe, conta com auxílio do Bolsa Família, no valor de R$ 212, e o Benefício de Prestação Continuada à Pessoa com Deficiência, que equivale a um salário mínimo.

Conforme a defensora pública Danusa Antonia Ceccato, a família recebe o acompanhamento da assistência social desde fevereiro, bem antes de o menino praticar o gesto solidário.

— A assistência foi até o local e atestou que era bem precário. No início de março, meu colega entrou com uma ação judicial pedindo direito à moradia. Em Antônio Prado, o pedido foi indeferido em função da legislação eleitoral. Mas recorremos ao Tribunal de Justiça e, no dia 25 de março, houve a determinação para que eles fossem inseridos num programa habitacional ou que o município concedesse o aluguel social — explica Danusa.

Segundo a defensora pública, a família ficará na nova moradia por um ano com o auxílio do aluguel social, arcado pela prefeitura. Após, a expectativa é que Léo, os pais e os dois irmãos devam entrar em algum programa habitacional do município para garantir uma residência fixa.

— Pelo menos, momentaneamente, eles vão ter essa moradia digna — reforça a defensora pública.

“Agora a gente consegue apreciar a chuva”

ANTÔNIO PRADO, RS, BRASIL (14/04/2020)A família do Léo, o menino que doou R$ 21 pro hospital de Antônio Prado, ganhou casa nova com ajuda da Defensoria da cidade. (Antonio Valiente/Agência RBS)<!-- NICAID(14476661) -->
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Se antes a chuva era vista como um grande sofrimento para a família Cambruzzi Maziero, agora as pequenas gotas são celebradas. Zuleide conta que a moradia nova em nada lembra a casa antiga, cheia de frestas. A casa atual, no bairro Panorâmico, tem dois quartos, sala, cozinha e banheiro.

 —  Teve uma noite dessas, depois da mudança, que estava chovendo e a gente levantou para apreciar a chuva, sem se molhar. Antes, quando chovia, tínhamos que abrir o guarda-chuva dentro de casa. Agora, a vontade é de chorar, mas de alegria — se emociona Zuleide.

— Não chove dentro — completa, timidamente, Léo, por telefone.

Segundo Zuleide, após a repercussão da doação dos R$ 21,45 do Léo para o hospital, a família recebeu doações de móveis e também de alimentos. Quem ainda quiser ajudá-los pode entrar em contato pelos telefones (54) 99648-6677 e 9182-7449.

Hospital segue com campanha 

O Hospital São José segue com a campanha para arrecadar recursos para a compra de respiradores. O movimento para auxiliar a instituição é liderado pela Câmara de Indústria, Comércio, Serviços e Agropecuária (CIC) de Antônio Prado, e a Associação Industrial, Comercial, Serviços e Agricultura (Acisa) de Ipê. As duas entidades também doaram R$ 130 mil para a compra dos equipamentos.

Como ajudar:
Banco: Sicredi
Razão social: Sociedade Hospitalar São José
Agência: 0259
Conta: 31983-0
CNPJ: 87.277.000/0001-11

Leia também
Câmara de Vereadores de Caxias retoma sessões presenciais em 23 de abril
Prefeitura de Canela desliga estagiários e renegocia contratos para economizar recursos
Número de acidentes de trânsito cai 70% na primeira quinzena de abril em Caxias do Sul

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros