A trajetória de Valdir José Zurlo - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória07/04/2020 | 12h34Atualizada em 07/04/2020 | 12h48

A trajetória de Valdir José Zurlo

Fundador da Zurlo Implementos Rodoviários, empresário morreu no dia 1º de abril

A trajetória de Valdir José Zurlo Acervo de família/Divulgação
Valdir Zurlo (à esquerda, com o tempero do menarosto) confraternizando com a família e os amigos em 1965 Foto: Acervo de família / Divulgação

Falecido na última quarta-feira (1º), aos 78 anos, o empresário Valdir José Zurlo recebe novas homenagens nesta terça-feira, durante a transmissão online da missa de sétimo dia. A celebração pode ser acompanhada a partir das 18h30min, no Facebook da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes.  

Fundador da Zurlo Implementos Rodoviários em 1987, seu Valdir nasceu em 6 de janeiro de 1942, em Antônio Prado, e chegou a Caxias aos 15 anos, para atuar na área da metalurgia – ramo que moldaria sua vida profissional pelas seis décadas seguintes. Informe especial publicado pelo jornal Pioneiro em 21 de dezembro de 2002, quando o empreendimento celebrava 15 anos no mercado, destacou parte dessa trajetória:  

"Com larga experiência no setor de implementos rodoviários como empregado em departamentos de ferramentaria e co-fundador de outras empresas do segmento, Valdir José Zurlo convidou o filho, Ivan José Zurlo, o genro, Demétrio Ávila, e o amigo Luiz Cabral para se unirem a ele na construção de um novo empreendimento.

Era novembro de 1987. E assim se iniciou o primeiro capítulo da Zurlo Implementos Rodoviários. Em um pavilhão no bairro Santa Catarina, o quarteto passou a produzir suspensores pneumáticos de eixos para caminhões. Foram pioneiros nesse segmento no Rio Grande do Sul, assim como na fabricação dos foles pneumáticos (borracha). Um do marcos do crescimento da Zurlo ao longo dos anos seguintes foi a transferência para o pavilhão às margens da RS 453 (Rota do Sol), no bairro Santo Antônio. A aquisição de máquinas e o ótimo período de expansão do mercado de implementos rodoviários foram também impulsos para o desenvolvimento da empresa".

A reportagem de 2002 também destacava a presença e a importância da família na condução dos negócios: os filhos Ivan, Sandra, Marta e Suzana, e a esposa Jovelina Pellini, com quem seu Valdir casou em 24 de outubro de 1961. São do álbum de fotos dos Zurlo alguns dos registros desta página, destacando vários momentos das décadas de 1950, 1960 e 1970  – em especial a chegada do garoto Valdir a Caxias, em 1957.

Matéria sobre a empresa  Zurlo Implementos Rodoviários publicada no Pioneiro em 2002 por ocasião dos 15 anos da empresa.<!-- NICAID(14470166) -->
Matéria sobre a empresa Zurlo Implementos Rodoviários publicada no Pioneiro em 2002Foto: Jornal Pioneiro / Reprodução

Lembranças

Dois dias após a morte do pai, os filhos Suzana, Ivan, Sandra e Marta reuniram-se em casa, junto da mãe, dona Jovelina, para recordar dos momentos em família. Entre eles, as constantes viagens ao Litoral e as caçadas.

"Costumávamos viajar muito para a praia. Temos uma lembrança muito bacana de uma das vezes em que descemos pela Serra do Pinto, ainda estrada de chão, paramos numa "cascata" para assarmos um churrasco. Íamos de Aerowillys, em seis e sem cinto, mais as comidas, bebidas, roupas, roupa de cama… Quando voltava da caça, toda a família se envolvia para os preparativos do grande almoço, quando reuniam-se com os amigos. Faziam massa com molho de perdiz e marreca, polenta frita com queijo, radicci com toucinho e vinho".

Valdir José Zurlo, a esposa Jovelina e os filhos em Torres em 1977.<!-- NICAID(14470157) -->
Valdir e Jovelina com os filhos em Torres em 1977Foto: Acervo de família / Divulgação

A família
Seu Valdir lutava contra um câncer desde julho de 2019 e faleceu em casa, junto da família. Além da esposa Jovelina e dos filhos Ivan, Sandra, Marta e Suzana, ele deixa seis netos: Adriano, Amanda, Luana, Vítor, Leonardo e Guilherme. 

Leia mais
#fiqueemcasa: registros do passado entre quatro paredes
Caxias em 1918: as medidas públicas para conter a Gripe Espanhola
Gripe Espanhola: os conselhos de 102 anos atrás
Gripe Espanhola de 1918: relatos das famílias Rovea, Peretti e Rosa

Seu Valdir Zurlo em 2014.<!-- NICAID(14470165) -->
Seu Valdir Zurlo em 2014Foto: Acervo de família / Divulgação
Valdir Zurlo e Jovelina Pellini Zurlo na Itália em 2011.<!-- NICAID(14470164) -->
Valdir e Jovelina na Itália em 2011Foto: Acervo de família / Divulgação
O casamento de Valdir José Zurlo e Jovelina Pellini em 1961.<!-- NICAID(14470163) -->
O casamento de Valdir José Zurlo e Jovelina Pellini em 1961Foto: Acervo de família / Divulgação
Seu Valdir Zurlo (agachado, de branco) em 1957, quando chegou a Caxias.<!-- NICAID(14470159) -->
Seu Valdir em 1957, quando chegou a CaxiasFoto: Acervo de família / Divulgação
Valdir Zurlo e Jovelina Pellini em 1960, no Recreio Guarani.<!-- NICAID(14470162) -->
Valdir Zurlo e Jovelina Pellini em 1960, no Recreio GuaraniFoto: Acervo de família / Divulgação
Valdir Zurlo na escadaria do Clube Guarani em 1960<!-- NICAID(14470161) -->
Valdir Zurlo na escadaria do Clube Guarani em 1960Foto: Acervo de família / Divulgação
Valdir Zurlo durante uma caçada em 1975.<!-- NICAID(14470160) -->
Valdir Zurlo durante uma caçada em 1975Foto: Acervo de família / Divulgação

Leia também
Secretaria de Urbanismo de Caxias atende média de 40 a 50 reclamações por hora
Tradicional venda de peixe terá mudanças em Caxias do Sul por conta de pandemia de coronavírus
Simecs estima que o retorno ao trabalho não movimente mais de 3,5 mil pessoas na região





 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros