Supermercados de Caxias do Sul restringem acesso em função de decreto contra o coronavírus - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Prevenção19/03/2020 | 14h54Atualizada em 19/03/2020 | 18h54

Supermercados de Caxias do Sul restringem acesso em função de decreto contra o coronavírus

Em algumas lojas da rede Andreazza, pessoas precisam esperar um grupo sair para poderem entrar

Supermercados de Caxias do Sul restringem acesso em função de decreto contra o coronavírus Lizie Antonello / Agência RBS/Agência RBS
Em algumas lojas da rede Andreazza, pessoas precisam esperar um grupo sair para poderem entrar Foto: Lizie Antonello / Agência RBS / Agência RBS

Alguns supermercados de Caxias do Sul já estão colocando em prática medida determinada por decreto municipal de manter 50% da capacidade do local. Com isso, em horários de grande fluxo, como final da manhã e e fim de tarde, o acesso está controlado por funcionários na porta.

Leia mais
Tire suas dúvidas: tudo que você quer saber sobre o coronavírus
Infectologista de Caxias explica o que é o coronavírus e como se prevenir
Shoppings de Caxias fecham após decreto municipal de prevenção ao coronavírus
Multas de até R$ 34 mil: saiba como a prefeitura de Caxias fiscalizará normas de decreto

Funciona assim: quando o número de clientes chega ao máximo permitido dentro do estabelecimento, é preciso esperar sair um grupo para que outro entre. Em algumas lojas da rede Andreazza, os consumidores formaram filas no final da manhã desta quinta-feria (19).

– Vamos cumprir a norma que a prefeitura decretou, de 50% da capacidade do alvará. Todas as lojas do grupo estão seguindo essa determinação do poder público. É uma questão de saúde. Temos que um proteger o outro. As pessoas precisam comprar, mas eu preciso proteger meus clientes. Tem álcool em gel para os funcionários, para os clientes... estamos tomando todas as medidas cabíveis – declarou Jaime Andreazza, diretor da rede.

De acordo com o presidente do Sindigêneros, Eduardo Slomp, no início da manhã desta quinta houve um acúmulo maior de clientes que procuraram os mercados e, por isso, teria sido necessária a restrição. Esse movimento maior tem ocorrido desde a última segunda-feira, principalmente, nos finais de tarde, mas ele acredita que a situação irá se normalizar nos próximos dias.

– Os mercados estão fazendo o controle. Se precisar, fecham as portas e controlam a entrada e saída. Mas, por enquanto está normal – disse Slomp.

A determinação segue o cálculo de uma pessoa a cada 10 metros quadrados. Então, um mercado com área de mil metros quadrados comportaria 100 pessoas, explica Slomp.

Em um outro mercado da rede Andreazza, ao entrarem na loja, aos clientes era disponibilizado álcool gel e eles também recebiam um panfleto com orientações.

Outra rede de supermercados da cidade, o Super Qualibem, também elaborou uma material de divulgação pedindo que as famílias restrinjam a ida ao mercado a uma pessoa, que não levem crianças, que idosos e pessoas dos grupos de risco evitem ir aos mercados, que dentro das unidade os consumidores mantenham distância de um metro umas das outras, que cubram a boca com o braço ao tossir ou espirrar e que prefiram a utilização de cartão de crédito para reduzir contato com os operadores de caixa.

A rede também determinou novo horário de funcionamento: de domingo a domingo, das 8h30min às 12h e das 14h30min às 19h30min, sendo que a primeira hora após a abertura pela manhã e pela tarde será de atendimento exclusivo para idosos e pessoas dos grupos de risco.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros