"Nosso principal compromisso é respeitar o isolamento", afirma arquiteto caxiense que se recupera do coronavírus - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Covid-1925/03/2020 | 12h27Atualizada em 25/03/2020 | 12h27

"Nosso principal compromisso é respeitar o isolamento", afirma arquiteto caxiense que se recupera do coronavírus

Matias Vazquez, 40 anos, sentiu sintomas após retornar da Espanha

"Nosso principal compromisso é respeitar o isolamento", afirma arquiteto caxiense que se recupera do coronavírus Arquivo Pessoal/Divulgação
Matias Vazquez, 40 anos, começou a sentir os sintomas após retornar da Espanha Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

No dia 3 de março, o arquiteto caxiense Matias Vazquez, 40 anos, retornou com a família de uma viagem à Espanha. Naquele período, o país não apresentava um grande número de casos de coronavírus. Ainda assim, nove dias depois de chegar em casa, ele passou a ter tosse. No dia seguinte, dia 13, também apareceu a febre alta, que perdurou por um semana. Desconfiado de que poderia estar com covid-19, Vazquez, a esposa e a filha optaram realizar o isolamento domiciliar de forma voluntária. Ainda assim, o arquiteto fez o exame no dia 14 e resultado, divulgado na última segunda-feira (23), confirmou as suspeitas de coronavírus.

Leia mais
Confirmada primeira morte por coronavírus no RS; Serra tem 21 casos
Igrejas da Diocese de Caxias do Sul ficarão fechadas e missa de Páscoa não terá fiéis
Com infância confinada pelo coronavírus, pais precisam ter atenção e sensibilidade para orientar filhos

Já recuperado dos sintomas e concluindo o período de quarentena, Vazquez relatou em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, da Rádio Gaúcha, que não sabe identificar o momento em que foi contaminado, embora suspeite que possa ter ocorrido no aeroporto. Ele afirma que os sintomas que teve foram leves, mas que considera o problema grave especialmente pelo nível alto de contágio. Por isso, ele defende o isolamento como forma de evitar que pessoas mais vulneráveis desenvolvam a doença.

— Não é diferente de outras gripes ou outras doenças que já tive. A única diferença é o alto nível de contágio. As pessoas que são imunodepressivas ou idosas precisam se resguardar. Os casos que vêm aparecendo são extremos, infelizmente, por causa dos grupos de risco, e aí vem toda a preocupação. Pode ter certeza que existe um número muito maior de pessoas infectadas, mas que não têm essa informação e passam bem. Nosso principal compromisso, principalmente estando fora do grupo de risco, é ter a consciência de que devemos respeitar o isolamento — afirma.

Sobre a reação das pessoas ao saberem que ele estava infectado com o coronavírus, Vazquez disse que teve auxílio de muitas pessoas, mas outras adotaram um comportamento mais distante:

— Há um receio pelo desconhecido. Amigos se colocam em uma situação de preocupação, de querer ajudar, mas algumas pessoas ficam arredias, se apavorando demais e criticando. É importante se informar e não ter medo das coisas. Fico pensando em pessoas que têm outras doenças, como AIDS, como elas devem sofrer no momento em que mais precisam de apoio. A maioria das doenças têm cura e com o coronavírus não vai ser diferente — espera.

O arquiteto disse ainda que, embora sejam inevitáveis, haverá prejuízos econômicos, mas acredita que a tecnologia está ajudando nesse processo: 

— O mundo não para totalmente. A economia continua, continuamos trabalhando.

Sobre a experiência de ficar trancado em casa, Vazquez diz ter situações boas e ruins, mas conclui que não é tão desagradável como muitos podem avaliar.

— Tem um lado bastante positivo que é poder estar mais próximo da família, mas claro que chega o momento que você fica "saturado da bolha" por estarmos há tanto tempo confinados no mesmo espaço. É engraçado, é uma dinâmica nova, mas não é tão ruim, não precisamos exagerar — destaca.

Leia também
Visate não garante pagamento integral da folha do mês de março a funcionários
Sessões na Câmara de Vereadores de Caxias serão retomadas após o dia 5 de abril
Secretarias municipais confirmam mais dois casos de coronavírus na Serra Gaúcha

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros