#juntoscontraovírus: mãos que distribuem segurança - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Solidariedade27/03/2020 | 14h00Atualizada em 27/03/2020 | 14h17

#juntoscontraovírus: mãos que distribuem segurança

Juíza de Bento Gonçalves produz máscaras para profissionais da área da segurança

#juntoscontraovírus: mãos que distribuem segurança Arquivo Pessoal/Divulgação
Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

A atividade que era praticada para desestressar, neste momento de crise ajudou a passar tranquilidade ao próximo. Diante da falta de máscaras no mercado, a juíza Romani Terezinha Bortolás Dalcin, da 3ª Vara Cível de Bento Gonçalves, decidiu costurar o item de proteção e doar para os funcionários do fórum. A iniciativa deu certo, mas a necessidade por máscaras se mostrou ainda maior e ela passou a distribuir o item para vizinhos, policiais e trabalhadores da limpeza urbana. 

Leia mais
#juntoscontraovírus: cervejaria de Gramado agora é linha de produção de álcool gel
#juntoscontraovírus: caxiense ajuda a criar "nova fórmula" para o álcool gel
#juntoscontraovírus: UCS busca doações para produzir álcool gel
#juntoscontraovírus: mãos que produzem protetores faciais
#juntoscontraovírus: mãos engajadas na causa do Hospital São Carlos
#juntoscontraovírus: mãos que fazem TNT virar proteção
#juntoscontraovírus: mãos que costuram solidariedade

Até ontem, já havia distribuído 240 máscaras. A proteção é costurada em tecido TNT com tripla camada e elásticos. A produção acontece apenas à noite, pois a magistrada continua atuando em processos de forma eletrônica.

– Durante o dia estamos trabalhando normal, mas da nossa própria residência. A única pessoa que me auxiliava (com as máscaras) era meu marido, pois estamos em isolamento social. Agora, ingressei em um grupo de voluntários para confeccionar para a rede de saúde de Bento, então recebemos o material cortado, doado pelo empresariado e comunidade, o  que agiliza o trabalho. Mas, continuarei fazendo as minhas – garante.

A juíza conta que costurar lhe ajuda a manter o equilíbrio e a tranquilidade para julgar, e que gostava de fazer roupas de cama para doação. 

– O sentimento é de admiração pela população que entendeu e atendeu a necessidade de isolamento social. Esperança de que sairemos desta situação fortalecidos para enfrentarmos as inúmeras dificuldades que nos aguardam.

Leia também
População ignora riscos de contágio e o movimento aumenta nas ruas de Caxias do Sul
Lotéricas e padarias: confira quais serviços podem reabrir em Caxias do Sul
Novo decreto permitirá funcionamento parcial do comércio em Vacaria

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros