Três municípios mais populosos da Serra têm média de oito casos de violência contra a mulher por dia - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Em janeiro10/02/2020 | 16h38Atualizada em 10/02/2020 | 16h38

Três municípios mais populosos da Serra têm média de oito casos de violência contra a mulher por dia

Dado faz parte de levantamento da Secretaria de Segurança Pública

Três municípios mais populosos da Serra têm média de oito casos de violência contra a mulher por dia Rodrigo Philipps/Agencia RBS
Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

O primeiro mês de 2020 encerrou com 243 casos de ameaça, lesão corporal, estupro e tentativa de assassinato de mulheres registrados junto à polícia nos três municípios mais populosos da Serra. É isso que aponta o levantamento feito pela Secretaria de Segurança Pública do Estado, divulgado nesta segunda-feira (10). Somados os casos de Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Farroupilha, a média é de oito casos por dia.

O crime mais comum é o de ameaça, com 156 registros. Em seguida, está o de lesão corporal, com 81. Foram ainda cinco estupros e uma tentativa de feminicídio. Os dados mostram uma redução nos registros em relação a janeiro de 2019, quando foram 285 casos. 

A titular da Coordenadoria da Mulher em Farroupilha, Fernanda Camargo da Silva, diz que os casos levados à polícia ainda estão abaixo do número de mulheres que de fato são vítimas de violência.

— Para ser uma ameaça, não precisa ser de morte. Pode ser ameaça de retirar o filho, por exemplo. Esse tipo de violência muitas vezes não é registrado — exemplifica Fernanda.

A delegada Deise Salton Brancher Ruschel, da Delegacia da Mulher de Bento Gonçalves, conta que, além da subnotificação, é muito comum que mulheres que fizeram a ocorrência tentam retirar a queixa.

— Metade ou mais querem retirar a ocorrência (depois do primeiro registro) — comenta, ao explicar que isso só pode ser feito em audiência no Judiciário.

Leia mais
Mulher é morta a facadas em Nova Petrópolis
Morre mulher que foi baleada em frente a mercado no centro de Canela
Ex-namorado usou ácido fluorídrico para matar venezuelana em Caxias
Homem mata namorada e o tio dela a facadas em Guaporé
Mulher morre dois dias após ser espancada pelo namorado em Bom Jesus, mas delegado descarta feminicídio
"Foi um minuto de bobeira", diz acusado de atear fogo em bebê e ex-esposa em Caxias do Sul

Conforme a delegada, essa medida só pode ser tomada em determinados casos. Por exemplo, crimes de lesão corporal e tentativas de feminicídio sempre são investigados.

Feminicídios

Os três municípios mais populosos da região não tiveram nenhum feminicídio em janeiro, mas na Serra foram dois casos: em Canela e em Nova Petrópolis. Em janeiro de 2019, uma mulher foi morta por violência relacionada ao gênero na Serra. O crime foi em Garibaldi.

Denúncias

Para denunciar casos de violência contra a mulher, é possível ligar para o Disque 100 ou para o Disque-Denúncia pelo telefone 181. Além disso, há os Centros de Referência da Mulher, delegacias especializadas e a Defensoria Pública.

Quando buscam ajuda, as mulheres também podem ser encaminhadas para projetos que buscam encerrar o ciclo de violência. Em Farroupilha, por exemplo, a Coordenadoria da Mulher em parceria com psicólogas voluntárias oferece sessões de terapia gratuitas.

Outra forma de fazer com que as mulheres não consigam romper o relacionamento ocorre quando os homens as forçam a deixar o mercado de trabalho ou impedem que busquem formação para conseguir uma vaga de emprego. Em Caxias, a coordenadoria tem parcerias para encaminhar vítimas de violência para colocação em empresas e instituições de ensino.

Leia também
Suspeito de atropelar e matar mulher em Gramado deve se apresentar à Polícia Civil até a terça-feira
Imagens auxiliarão polícia a identificar autores de assassinato de jovem de 17 anos em Bento
Mulher morre depois de ter sido atropelada no sábado, em Gramado

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros