Guaritas foram derrubadas pela maré alta em Arroio do Sal - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Litoral Norte23/02/2020 | 14h10Atualizada em 23/02/2020 | 14h30

Guaritas foram derrubadas pela maré alta em Arroio do Sal

Estruturas caíram na areia entre a madrugada e a manhã deste domingo 

Guaritas foram derrubadas pela maré alta em Arroio do Sal Ivanete Marzzaro / Agência RBS/Agência RBS
A queda de uma das guaritas na manhã deste domingo, no centro da cidade, assustou veranistas, mas ninguém se feriu Foto: Ivanete Marzzaro / Agência RBS / Agência RBS

Quatro guaritas de guarda-vidas foram derrubadas pela maré alta entre a madrugada e a manhã deste domingo (23) em Arroio do Sal. A praia é um dos destinos mais procurados pelos caxienses no Litoral Norte.

Leia mais
Arroio do Sal tem novidades para os veranistas

Conforme o comandante dos guarda-vidas do município, Fabiano Pereira, quando os profissionais chegaram à praia, por volta das 6h, perceberam que três estruturas estavam caídas na areia – as de números 26, 29 e 31. Uma quarta, a 37, que fica no centro, caiu durante esta manhã, quando já haviam pessoas nelas. Os guarda-vidas pularam antes que a guarita despencasse. Apesar do susto, nenhum deles ficou ferido e nenhum banhista foi atingido.

Ainda segundo Pereira, outra duas foram isoladas porque correm risco de queda, as de número 36 e 35. O problema ocorreu segundo o bombeiro militar que tem 25 anos de experiência como guarda-vidas, porque com a maré alta, a água do mar frouxou os palanques que servem de sustentação para as guaritas e ficam enterrados na areia. A estrutura, de fato, fica a cerca de três metros de altura para permitir visibilidade aos profissionais.

O comandante afirma que os guarda-vidas seguem na praia. Sem as guaritas, o trabalho é de patrulha na beira-mar. Eles também fixam pontos junto aos quiosques, caso algum veranista precise contatá-los. As bandeiras que indicam as condições da água ficam fixas na areia.

O prefeito de Arroio do Sal, Affonso Flávio Angst (MDB), disse que é preciso esperar a maré baixar para iniciar o serviço de recolocação das guaritas, mas que é possível que isso ocorra a partir da manhã desta segunda-feira. Algumas estruturas, segundo ele, podem ser reaproveitadas, outras não. Existe uma guarita reserva que pode ser usada para substituição e uma ou duas estruturas do modelo antigo que podem servir temporariamente.

– Amanhã (segunda) de manhã, vamos fazer essa reposição e o conserto das guaritas que estão estragadas, se o mar deixar. 

Sobre as duas que correm risco de cair, Angst diz que é difícil e arriscado qualquer trabalho de homens e máquinas na água, por isso, um reforço nas estruturas está descartado por enquanto. Haverá uma reunião entre equipes da prefeitura, na tarde deste domingo, para avaliar os locais e definir ações.

Conforme o prefeito, os palanques estavam cerca de um metro enterrados, profundidade bem maior do que as anteriores. Ele considerou a situação como atípica: 

– As guaritas que tínhamos antes eram bem mais frágeis e não acontecia o que aconteceu agora. Não é normal, principalmente, nessa época do ano.

A quantidade de guaritas do novo modelo foi ampliada neste veraneio, passando de quatro existentes na temporada anterior para 23 espalhadas ao longo dos 27 quilômetros de praia. Uma empresa foi contratada por meio de licitação para a instalação. O prefeito disse que vai analisar o contrato assinado com a empresa e os termos da licitação com o setor jurídico da prefeitura para ver se será tomada alguma providência.

Leia também:
Domingo será de sol e temperaturas amenas na Serra 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros