Secretário garante que as pedras na Rota do Sol serão retiradas até  março - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Rodovias21/01/2020 | 20h25

Secretário garante que as pedras na Rota do Sol serão retiradas até  março

Rochas na pista completam oito meses. Daer não divulga data de início da remoção

Secretário garante que as pedras na Rota do Sol serão retiradas até  março Antonio Valiente/Agencia RBS
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O secretário de Transportes do Estado, Juvir Costella, afirmou, no início da noite desta terça-feira (21), que as obras de retirada das rochas e de contenção definitiva da encosta no Km 4 da RS-486 (Rota do Sol), em Itati, começam ainda no primeiro trimestre deste ano.

— Até o final de fevereiro, será anunciada a empresa responsável pelos trabalhos — adiantou.

O Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), no entanto,  diz não ter previsão para início das obras. O trecho que está parcialmente bloqueado há oito meses fica próximo ao Viaduto da Cascata.

Por meio de nota, o Daer informa que as rochas devem permanecer no local até que seja feita a obra de contenção do maciço. O projeto foi entregue no fim de 2019. "Essa etapa engloba inúmeras questões, como o levantamento de cotações de preços com três fornecedores", diz a nota. 

O Daer garante que está empenhado em concluir o orçamento o mais rápido possível, mas não estipula prazo.  Informou que não será necessário realizar licitação, pois a obra será incluída, via aditivo, ao contrato já existente com uma empresa responsável pela contenção de encostas da Rota do Sol. 

No último domingo, o estreitamento de pista no local colaborou para um grande congestionamento de quem retornava do litoral norte, em direção a Caxias do Sul. 

As pedras caíram sobre a rodovia há oito meses,  após redes de contenção fixadas na encosta se romperem no dia 22 de maio do ano passado. Dez dias depois, também durante um período chuvoso, rochas voltaram a rolar e, desde então, ficaram sobre a pista.

Na época, o Daer informou que deixaria as pedras no local para amortecer a possível queda de outros materiais que poderiam despencar, o que evitaria um risco maior aos motoristas que trafegam pela região.

Leia também
Feridos em explosão de posto de Caxias seguem internados



 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros