Prefeitura de Farroupilha fará estudo para estimar custo de rompimento de contrato com a Corsan - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Avaliação14/12/2019 | 12h04Atualizada em 14/12/2019 | 12h04

Prefeitura de Farroupilha fará estudo para estimar custo de rompimento de contrato com a Corsan

Administração municipal demonstra insatisfação com serviço e propostas da companhia estadual

Prefeitura de Farroupilha fará estudo para estimar custo de rompimento de contrato com a Corsan Luciano Moraes/Agencia RBS
Foto: Luciano Moraes / Agencia RBS

Ainda insatisfeita com a proposta apresentada pela Corsan para continuidade do serviço de saneamento básico, a prefeitura de Farroupilha fará um estudo para avaliar quanto custaria o rompimento de contrato com a companhia estadual. Uma licitação será lançada, ainda em data indefinida, para contratar a empresa responsável pelo levantamento. O objetivo é determinar qual foi o investimento feito nesta área em Farroupilha e avaliar o que já pertenceria ao município na capacidade instalada.

Leia mais
Insatisfeita com a Corsan, prefeitura de Farroupilha quer ouvir moradores sobre abastecimento de água
Farroupilha recebe duas propostas para tratar esgoto e acabar com a falta de água
Prefeitura de Farroupilha notifica Corsan por descumprimento de contrato
Prefeitura de Farroupilha abre sindicância para avaliar contrato com a Corsan
Início de obras de adutora para melhorar abastecimento de água está atrasado em Farroupilha  

O prefeito Claiton Gonçalves (PDT) diz que este estudo deve garantir inclusive a segurança jurídica para o caso de ocorrer o rompimento contratual. No mês passado, a Corsan apresentou à prefeitura um documento com propostas para a melhoria no abastecimento de água e início do tratamento de esgoto no município. No entanto, o prefeito reclama que ainda há falta de prazos determinados para cumprir as propostas.

— Até maio, temos de ter este estudo entregue para tomar a decisão mais correta (sobre o rompimento ou não do contrato) neste momento — diz Claiton Gonçalves.

Entre as propostas apresentadas pela Corsan no mês passado, estão o aumento da capacidade de produção e reserva de água para garantir o abastecimento sem problemas ao menos pelos próximos oito anos. Em relação ao esgoto, a companhia estadual propõe que 40% da quantidade produzida seja tratada em cinco anos.

Leia também
Construtora abre 73 vagas de emprego em Caxias
Veranópolis ganha uma casa para a longevidade
Só três vereadores abrem o voto sobre denúncia contra o prefeito de Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros