Trânsito de veículos na ERS-122, em Farroupilha, não tem previsão de liberação - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Por segurança06/11/2019 | 18h32Atualizada em 06/11/2019 | 18h39

Trânsito de veículos na ERS-122, em Farroupilha, não tem previsão de liberação

Daer ainda precisa posicionar equipamento para quebrar pedras que ameaçam cair

Trânsito de veículos na ERS-122, em Farroupilha, não tem previsão de liberação Porthus Junior/Agencia RBS
Daer ainda precisa posicionar equipamento para quebrar pedras que ameaçam cair Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Até o início da noite desta quarta-feira (6), o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) não tinha previsão para liberar o fluxo de veículos parcialmente no km 46 da ERS-122, trecho bloqueado por uma queda de barreira

Durante a tarde, começaram os trabalhos para viabilizar a remoção de parte da encosta que ainda ameaça desabar na rodovia. Equipes da Encopav, a empresa contratada para efetuar o serviço, reconstruíram uma valeta de água de uma estrada vicinal na região superior da encosta.  Pela manhã, o secretário de Logística e Transportes do Estado, Juvir Costella, disse que havia a possibilidade de liberação de uma pista ainda nesta quarta, o que não se confirmou.

As fortes chuvas que geraram o desabamento de pedras na noite da última segunda-feira romperam o canal paralelo à via e direcionaram a água para a encosta, o que, segundo o Daer, foi um dos motivos que gerou a queda das pedras sobre a pista.

O trabalho de remoção começou pouco antes das 10h, após sofrer atraso devido a um acidente ocorrido na noite desta terça-feira (5). 

Leia mais
Acidente com caminhonete atrasa início da limpeza da ERS-122, em Farroupilha
Trabalho para liberação da ERS-122 é retomado na manhã desta quarta na Serra
Limpeza da ERS-122 começa, mas não há previsão de liberação parcial do trânsito

A próxima etapa é a construção de uma espécie de "rampa" formada com pedras para que seja posicionado o chamado martelete hidráulico junto à parte superior da encosta. Esse equipamento vai quebrar as pedras que apresentam risco de queda. Segundo o Diretor de Operação Rodoviária do Daer, Sandro Wagner, essa medida é fundamental para que a máquina permaneça em uma posição estável e o trabalho seja realizado de uma forma segura.  

— Temos que garantir a segurança dos trabalhadores. O martelete tem que estar na rampa posicionado acima da parte que será quebrada, caso contrário, as pedras podem cair sobre o equipamento — ressalta.

Três caminhões realizavam o transporte das pedras para a construção da rampa na tarde de quarta. Ainda de acordo com Wagner, não existe estimativa de quanto tempo vai durar o processo, que pode se estender ao longo dos próximos dias.

Os desvios recomendados pelo Grupo Rodoviário da Brigada Militar são pela RSC-453 até a BR-470 e depois acessando a ERS-446, até São Vendelino retornando à ERS-122; ou pela BR-116, até Vila Cristina, em Caxias, seguindo pela ERS-452, até Bom Princípio, acessando novamente a ERS-122. 

Leia também
18 famílias estão desabrigadas em função da cheia do Rio Caí
Nova Bassano decreta situação de emergência após fortes chuvas

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros