Sem chuva, liberação da ERS-122, em Farroupilha, pode ocorrer na terça-feira - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Trânsito11/11/2019 | 11h46Atualizada em 11/11/2019 | 13h20

Sem chuva, liberação da ERS-122, em Farroupilha, pode ocorrer na terça-feira

Na manhã desta segunda (11), equipes escavam um dos lados da estrada para a colocação de pedras depois da detonação

Sem chuva, liberação da ERS-122, em Farroupilha, pode ocorrer na terça-feira André Fiedler / Agência RBS/Agência RBS
Sem chuva, Daer mantém liberação da ERS-122, em Farroupilha, para terça-feira Foto: André Fiedler / Agência RBS / Agência RBS

A liberação parcial do trânsito no km 43 da ERS-122, entre Farroupilha e São Vendelino, pode ocorrer mesmo na terça-feira (12). A previsão é da Secretaria de Logística e Transportes do Estado, mas até o final da manhã desta segunda (11) não havia confirmação. O trecho está bloqueado há uma semana em função de um desmoronamento de pedras.

A liberação depende autorização do Exército para a detonação das rochas que caíram sobre a pista. Somente após as explosões é que haverá condições de liberar o trânsito para veículos leves.

Leia mais
"A decisão tem que ser técnica, não política", diz secretário de Logística do Estado sobre liberação da ERS-122
Alargamento de pista onde houve queda de barreira, na ERS-122, em Farroupilha, é finalizado
É preciso redobrar os cuidados ao trafegar na ERS-452, em Caxias do Sul

Representantes da Encopav Engenharia, empresa responsável pela manutenção da rodovia, solicitaram autorização para a detonação das pedras ao Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados da 3ª Região Militar do Exército, órgão regional localizado em Porto Alegre, que dá o aval para o uso dos explosivos. Caso a autorização seja concedida ainda ao longo da tarde desta segunda-feira (11), as detonações podem ocorrer no mesmo dia. Nesse caso, a liberação do trânsito ocorrerá somente na terça-feira (12), devido à necessidade de tempo para limpeza da pista. 

Na manhã desta segunda, funcionários da Encopav realizavam escavações na lateral da pista para a colocação das rochas que serão detonadas. As pedras também devem ajudar a conter futuros deslizamentos. Outro funcionário abria trilhas no topo da encosta para verificar a estabilidade do terreno.

Na pista, cones já estão posicionados para sinalizar aos motoristas o sentido de tráfego. Na sexta-feira (6) foi concluída uma faixa adicional provisória, que permitirá a passagem do trânsito nos dois sentidos simultaneamente.

COMO FUNCIONA A DETONAÇÃO

:: A rocha é perfurada e colocado o explosivo ligado a um fio de 1m20cm de comprimento.

:: No momento da detonação, o fio é aceso e queima por cerca de dois minutos até chegar no dispositivo, que explode, fragmentando a pedra. 

:: As partes soltas são retiradas e novo procedimento é realizado até que a rocha fique em tamanho ideal para ser removida.

:: Para a detonação é feito um isolamento de 300 a 400 metros.

Leia também
Show em homenagem a Lucio Yanel reunirá grandes nomes da música regional nesta segunda-feira, em Caxias
Com salários de até R$ 8 mil, confira os concursos públicos abertos na região
Rodoviária de Caxias busca reinvenção para melhorar atendimento ao público

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros