Faltam vacinas nos postos de Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Saúde26/11/2019 | 10h29Atualizada em 26/11/2019 | 10h29

Faltam vacinas nos postos de Caxias do Sul

Imunizações que estão em falta são contra difteria, tétano e coqueluche

Faltam vacinas nos postos de Caxias do Sul Cleber Gomes/Agencia RBS
Foto: Cleber Gomes / Agencia RBS

Os pais que estão levando os filhos para se vacinarem contra difteria, tétano e coqueluche nos postos de saúde de Caxias do Sul estão voltando para casa sem conseguir imunizar as crianças. O motorista Rubem de Oliveira, 37 anos, levou o filho de 1 ano e três meses na UBS Reolon para cumprir o calendário de vacinação da criança. Ele precisava de três vacinas, mas apenas duas foram feitas. Faltou a imunização contra o tétano.

— Os pais têm que seguir o calendário de vacinação, mas, quando precisamos da imunização para nossos filhos, as doses estão em falta.

Leia mais
Vacina é a melhor maneira de prevenir meningite
Segunda etapa da campanha de vacinação contra o sarampo começa segunda-feira

Ele contatou por telefone a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) que confirmou que não há vacinas no estoque.

— O que mais me indignou foi a atendente falar que a vacina contra o tétano está em falta e que devo cuidar para o meu filho não se machucar. Procurei o Conselho Tutelar para denunciar a falta de doses na cidade, porque as crianças precisam estarem protegidas contra as doenças.

Em Caxias do Sul, a demanda é de 2 mil doses mensais da pentavalente. A imunização garante a proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo B, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta. Deve ser aplicada aos 2, 4 e 6 meses de idade.

Já a vacina tríplice bacteriana (DTP) produz imunidade contra difteria, tétano e coqueluche. A dose é aplicada nas crianças com 15 meses e 4 anos, como reforço em relação à pentavalente.

CONTRAPONTO

A assessoria da Secretaria de Saúde confirma que a vacina está em falta em Caxias do Sul. A responsabilidade pela compra e fornecimento de todas as vacinas é do Ministério da Saúde, sendo que os municípios só aplicam as doses na população.

A 5ª Coordenadoria Regional de Saúde (5ª CRS), também confirma a falta das vacinas. A assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Saúde afirma que a distribuição destas vacinas ainda não está normalizada. A expectativa é que ainda em novembro o Ministério da Saúde consiga regularizar a distribuição aos estados. No entanto, o ministério ainda não enviou as doses de novembro.

A PENTAVALENTE E DTP

A vacina pentavalente está em falta em várias cidades brasileiras porque o produto, que era importado da Índia, foi reprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De acordo com o Ministério da Saúde foram devolvidas 3 milhões de doses. Após o problema, o Ministério da Saúde solicitou a reposição do fornecimento à Organização Mundial da Saúde/ Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), mas não há disponibilidade imediata desse produto no mundo. De acordo com a pasta, as 6,6 milhões de doses compradas começaram a chegar em agosto no Brasil.  

Em relação a DTP, foram enviadas 2,4 milhões de doses aos estados brasileiros. A distribuição foi reduzida devido a um problema de variação de temperatura no transporte para o Brasil.

A normalização nos estoques está prevista para dezembro. 

Leia também
Mulher denuncia estupro durante festa, em Caxias do Sul
Trânsito é bloqueado na ERS-122 em Antônio Prado para remoção de carreta
Na Cozinha: saiba como fazer yakisoba em 20 minutos

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros