Exército autoriza e detonações de rochas na ERS-122 ocorrem na tarde desta segunda - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Explosivos chegaram11/11/2019 | 14h48Atualizada em 11/11/2019 | 14h57

Exército autoriza e detonações de rochas na ERS-122 ocorrem na tarde desta segunda

Novas explosões estão previstas para a manhã de terça-feira (12)

Exército autoriza e detonações de rochas na ERS-122 ocorrem na tarde desta segunda André Fiedler / agência RBS/agência RBS
Novas explosões estão previstas para a manhã de terça-feira (12) Foto: André Fiedler / agência RBS / agência RBS

O Exército autorizou as equipes que atuam na desobstrução do km 43 da ERS-122, em Farroupilha, a detonar as rochas que desmoronaram sobre a pista há uma semana. O pedido foi encaminhado na manhã desta segunda-feira (11) e o documento com a autorização foi recebido pela equipe que está no local por volta das 13h45min. 

Com o documento em mãos, a equipe da empresa Boqueirão Desmonte, responsável pela detonação, iniciou a instalação dos explosivos. O material chegou ao canteiro de obras por volta das 14h. 

— Se amarra o cordel (pavio) no explosivo encartuchado, como chamamos a banana de dinamite, e depois se coloca a quantidade que se julgar necessária no buraco. Depois se preenche com um tampão, que nada mais é do que brita ou pó de brita para que não haja lançamento do material — explica o técnico em mineração da Boqueirão Desmonte, Francis Lourenzi.

Sem chuva, Daer mantém liberação da ERS-122, em Farroupilha, para terça-feiraFoto: André Fiedler / Agência RBS

Ao todo, devem ser utilizados entre 25kg e 30kg de explosivos para detonar as três maiores pedras que desceram a encosta. A expectativa é que as detonações ocorram entre 15h e 15h30min. 

Leia mais
"A decisão tem que ser técnica, não política", diz secretário de Logística do Estado sobre liberação da ERS-122
Alargamento de pista onde houve queda de barreira, na ERS-122, em Farroupilha, é finalizado
É preciso redobrar os cuidados ao trafegar na ERS-452, em Caxias do Sul

Outras duas pedras menores serão detonadas na manhã desta terça-feira porque as equipes não conseguiram realizar as perfurações para a colocação dos explosivos. Também na terça será avaliada a necessidade de se detonar pedras que ainda não caíram da encosta. A quantidade de explosivos a serem utilizadas na segunda etapa depende do resultado da primeira explosão. 

Para a realização da detonação será isolada uma área de pelo menos 500 metros do entorno da barreira. Moradores das proximidades também estão sendo avisados. Na manhã de segunda, cones foram posicionados para sinalizar aos motoristas o sentido de tráfego, mas foram retirados durante a tarde.

COMO FUNCIONA A DETONAÇÃO

:: A rocha é perfurada e colocado o explosivo ligado a um fio de 1m20cm de comprimento.

:: No momento da detonação, o fio é aceso e queima por cerca de dois minutos até chegar no dispositivo, que explode, fragmentando a pedra. 

:: As partes soltas são retiradas e novo procedimento é realizado até que a rocha fique em tamanho ideal para ser removida.

:: Para a detonação é feito um isolamento de 300 a 400 metros.

Leia também
Show em homenagem a Lucio Yanel reunirá grandes nomes da música regional nesta segunda-feira, em Caxias
Com salários de até R$ 8 mil, confira os concursos públicos abertos na região
Rodoviária de Caxias busca reinvenção para melhorar atendimento ao público

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros