Em 90 dias, Farroupilha terá câmeras para identificar suspeitos à distância e veículos roubados - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Monitoramento inteligente18/11/2019 | 17h25Atualizada em 18/11/2019 | 17h25

Em 90 dias, Farroupilha terá câmeras para identificar suspeitos à distância e veículos roubados

Centro de Controle Operacional ocupará prédio da delegacia de polícia ainda neste mês

Em 90 dias, Farroupilha terá câmeras para identificar suspeitos à distância e veículos roubados Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Brigada Militar opera hoje um sistema que não atende às expectativas Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Em breve, Farroupilha terá um sistema de monitoramento inteligente por câmeras que permitirá identificar à distância suspeitos de crimes e carros roubados. O Centro de Controle Operacional (CCO) deve entrar em funcionamento em até três meses, segundo a prefeitura. Hoje, o sistema atual é considerado obsoleto e mais da metade dos 22 equipamentos analógicos estão inoperantes, indicativo de quanto é urgente modernizar esse tipo de controle na cidade que enfrenta alta nos assassinatos e no tráfico de drogas. A novidade também é uma forma de driblar o baixo efetivo da BM.

Leia mais
Cercamento eletrônico de Farroupilha e semáforos inteligentes custarão R$ 234 mil por mês

Ao todo, o CCO terá a incumbência de monitorar até o metade do ano que vem mais de 100 câmeras  em Farroupilha. Na primeira etapa, entrarão em funcionamento equipamentos de alta tecnologia, que fazem o reconhecimento facial e apontam a placa de veículos roubados. Numa segunda etapa, serão incluídas as câmeras de prédios públicos. 

Não é a primeira vez que a prefeitura sinaliza um prazo para qualificar o monitoramento, mas agora o passo é mais concreto, pois o prédio da Delegacia de Polícia na Rua Ângelo Bartelle, no Centro, será desocupado nesta terça-feira, dia 19. A unidade policial mudará para a estrutura do antigo Fórum de Farroupilha, o que abre caminho para a implantação do CCO na antiga DP.

Conforme Vandré Fardin, chefe de Gabinete do município, o centro unirá o Sistema Integrado de Segurança Pública e o Controle de Tráfego. O serviço funcionará 24 horas e com equipe exclusiva. Os dados serão armazenados e compartilhados com os órgãos de segurança. Além de câmeras, o CCO vai monitorar controladores de velocidade, de tráfego e semáforos.

Uma das vantagens será o controle das entradas e saídas do município pelas rodovias. Dezessete pontos na ERS-122, na RSC-453, na Rodovia dos Romeiros e na VRS-813 terão câmeras que identificarão placas de veículos furtados e roubados, além de ocorrências de trânsito. Quatro câmeras de reconhecimento facial abrangerão a área central.

Fardin diz que a implantação do CCO será rápida porque as empresas responsáveis pelo fornecimento da tecnologia e das câmeras já foram definidas via licitação. 

— O contrato já está assinado. Os equipamentos estão sendo montados. Era para ter saído antes, mas houve o atraso na questão da escolha do espaço. Íamos colocar em outro local e ficou definido que será na delegacia. Também teve a questão do convênio com o Daer para a liberação dos locais para o cercamento eletrônico nas rodovias. Isso levou mais de um ano — justifica Fardin.

Farroupilha e Bento na frente de Caxias

O modelo a ser adotado em Farroupilha é semelhante ao de Bento Gonçalves. No final de 2017, o município inaugurou uma central com recursos da iniciativa privada. O software de monitoramento inteligente é o mesmo empregado pelas Forças Especiais de Israel. Se alguém cometeu o crime no ângulo de visão da câmera, o programa procura o suspeito com base nas características — 24 horas de gravação podem ser reduzidas a 24 minutos de busca. É o próprio sistema que alerta se alguma movimentação suspeita está ocorrendo no ponto monitorado. 

Em Caxias do Sul, maior cidade da Serra e com orçamento público municipal de R$ 2 bilhões, o videomonitoramento ainda é manual e depende do olhar atento do policial. As câmeras foram adquiridas com recursos de empresários do comércio em parceria com o Executivo _ as primeiras foram instaladas em 2003 e o último implemento ocorreu em 2012. No total, 51 pontos da cidade são vigiados. Não há informações por parte da prefeitura se haverá projetos ou investimentos para modernizar o sistema. 

Compartilhamento de imagens

A implantação do CCO será tarefa do Consórcio Mobilidade Farroupilha, formado pelas empresas Kapsch Trafficcom Controle de Tráfego e de Transportes do Brasil, Biancar Engenharia Locações e Serviços e Shempo Indústria e Comércio Eireli. O grupo fará a manutenção preventiva e os reparos nos equipamentos de controle de tráfego e das câmeras, além de fornecer o material e a mão de obra pelo período de quatro anos. No total, o sistema custará R$ 2,8 milhões. Vencido o prazo de quatro anos, os equipamentos ficarão com a prefeitura.

Segundo Vandré Fardin, o monitoramento de câmeras será realizado por guardas municipais. Os servidores acionarão a polícia caso necessário. Mas o 36º Batalhão de Polícia Militar (36º BPM) terá acesso às imagens no próprio quartel por meio de espelhamento, exceto do cercamento eletrônico das rodovias. Para o subcomandante do 36º BPM, major Juliano do Amaral, a nova tecnologia é aguardada com ansiedade. A ideia é seguir monitorando pontos estratégicos como rotas de fuga, áreas de comércio e concentração de pessoas. 

— Farroupilha foi uma das pioneiras no monitoramento, mas hoje o sistema já não supre a necessidade. A comunidade nos solicita imagens por algum motivo, mas não conseguimos fornecer porque a gravação não está nítida ou o equipamento não funciona — diz Amaral.

As 22 câmeras analógicas operadas pelo 36º BPM devem ser desativadas, segundo o major. A prefeitura, no entanto, diz que os equipamentos continuarão sendo aproveitados.

 PACOTE

:: Criação do Centro de Controle Operacional (CCO) em até três meses. O local concentrará o monitoramento de câmeras e o controle do tráfego da cidade no prédio da atual Delegacia de Polícia, na Rua Angelo Bartelle, no Centro. As câmeras serão monitoradas por guardas municipais e haverá uma cadeira para a Brigada Militar. As imagens serão compartilhadas com os órgãos de segurança. O 36ºBPM terá acesso às imagens por meio de sistema de espelhamento.

:: Implantação de controladores de velocidade com leitor de OCR (identificador de placas) em 17 pontos de Farroupilha: ERS-122 entre Caxias e Farroupilha, próximo ao acesso à Linha Julieta (quatro equipamentos); em um dos acessos para quem se desloca de Porto Alegre, próximo à empresa Grendene (três equipamentos), e próximo ao acesso ao distrito de Nova Milano (dois equipamentos). RSC-453, próximo à empresa Máquinas Sazi (dois equipamentos), no km 117 ; no entroncamento da RSC-453 com a RS-448, acesso ao distrito de São Marcos (dois equipamentos). Na Rodovia dos Romeiros, a cerca de dois quilômetros da rótula de Nossa Senhora de Caravaggio, próximo ao pronto-atendimento da Unimed (dois equipamentos); na VRS-813, na chegada ao bairro São Francisco, de Farroupilha, para quem se desloca de Garibaldi (dois equipamentos).

:: Instalação de 75 câmeras fixas em prédios públicos e 10 câmeras PTZ (que podem ser manuseadas para monitorar grandes áreas).

:: Implantação de quatro câmeras de reconhecimento facial na área central da cidade. No caso de um suspeito de crime ou foragido for identificado, o sistema também emitirá uma notificação. As imagens também serão usadas em investigações da polícia para identificar autores de crimes.

:: Modernização do sistema de semáforos a partir de controle de tráfego no CCO. Os equipamentos detectam o fluxo e mudam o tempo de abertura do sinal conforme a necessidade e também infrações de trânsito.   

 FARROUPILHA, RS, BRASIL, 13/11/2019 - Reportagem mostra como será o monitoramento na cidade. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)
Centro ocupará prédio da DP, que fará mudança nesta terça-feiraFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Mudança de delegacia

A transferência da sede da Policia Civil farroupilhense para o prédio do antigo Fórum está programada para esta terça-feira (19), segundo o titular da delegacia local, Rodrigo Morale. 

A mudança deve ser realizada num único dia. No período, não haverá plantão ou atendimento da Polícia Civil na cidade. A Brigada Militar (BM) foi orientada a levar presos e registrar ocorrências graves no plantão da Polícia Civil em Caxias do Sul, que atende na Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA). A mesma orientação serve para a população, segundo Morale.

— Quem precisa registrar ocorrência, deve ir a Caxias. Comunicação de casos menos graves podem ser feitos pela internet — esclarece o delegado.

A nova DP será reaberta assim que os sistemas estiverem disponíveis, o que deve ocorrer nesta semana. Como o prédio do antigo Fórum é grande, há espaço até mesmo para a criação futura de outro distrito policial em Farroupilha. Uma das novidades é a abertura de uma sala especializada para casos de violência doméstica. 

FIQUE ATENTO

:: Com o fechamento temporário da DP de Farroupilha para viabilizar a mudança para o antigo prédio do Fórum (Rua Treze de Maio, no bairro São Luiz), o registro de ocorrências graves podem ser feitos na DPPA de Caxias, na Rua Irmão Miguel Dario, 1.061, bairro Jardim América.

::  Pela internet, é possível comunicar furtos, perda de documentos, acidentes de trânsito sem feridos, desaparecimento de pessoas, perturbação do sossego, maus-tratos contra animais, ofensas, brigas e ameaças.

Leia também
Com remoção de rochas prevista para essa segunda, trânsito na ERS-122, em Farroupilha, segue bloqueado
Comissão da Festa da Uva 2021 define data do evento

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros