Vereadores de Caxias do Sul declaram apoio à greve de servidores do Judiciário - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Paralisação17/10/2019 | 18h13Atualizada em 17/10/2019 | 18h13

Vereadores de Caxias do Sul declaram apoio à greve de servidores do Judiciário

Moção de autoria coletiva foi aprovada por unanimidade na sessão desta quinta-feira (17)

Vereadores de Caxias do Sul declaram apoio à greve de servidores do Judiciário Milena Schäfer/Agência RBS
Em Caxias do Sul, cerca de 45 servidores aderiram à paralisação que ocorre desde o dia 24 de setembro Foto: Milena Schäfer / Agência RBS

A Câmara de Vereadores de Caxias do Sul declarou apoio à greve realizada por uma parcela de servidores do Poder Judiciário motivada pelo projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa com a proposta de extinguir e substituir a função de oficial escrevente no Tribunal de Justiça do RS.

O movimento, que também abraça outras demandas dos servidores, foi pauta na sessão ordinária desta quinta-feira (17), quando os vereadores aprovaram por unanimidade a Moção nº 18/2019, em apoio à greve. O documento teve autoria coletiva e foi votado em regime de urgência.

Em Caxias do Sul, cerca de 45 servidores aderiram à paralisação que ocorre desde o dia 24 de setembro. Na última  terça-feira (15), os grevistas participaram de uma manifestação em Porto Alegre, em frente ao Palácio Farroupilha e ao Tribunal de Justiça (TJ) do Estado. Pela quarta vez, o Projeto de Lei 93, de 2017, foi retirado da pauta da Assembleia.

Leia mais
Greve dos servidores do judiciário deve se intensificar nos próximos dias
Em uma semana de greve, mais de 80 mil movimentações já deixaram de ser feitas em processos de Caxias do Sul
Sem acordo e com votação de projeto adiada pela Assembleia, servidores mantêm greve em Caxias do Sul
Servidores realizam nova ação e pretendem seguir em greve no Fórum de Caxias do Sul
Servidores do judiciário na Serra aderem à paralisação estadual  

Os servidores que participam do movimento também pedem reajuste salarial que reponha perdas inflacionárias, equiparação do valor de auxílio-refeição em relação ao que recebem os juízes, entre outros itens, além de protestarem contra a carga de trabalho frente ao número de servidores.

Mesmo com a paralisação, os servidores devem respeitar a manutenção de pelo menos 30% do efetivo trabalhando. Na região, o movimento teve adesão total (mantendo os atendimentos de urgência) ou parcial em pelo menos 11 comarcas. Houve paralisação também em São Marcos, Bom Jesus, Vacaria, Nova Prata, Gramado, Garibaldi, Antônio Prado, Guaporé e Nova Petrópolis.

Leia também
Caixa terá atendimento estendido nesta sexta-feira e sábado para saque do FGTS

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros