Solidariedade transforma vidas em Bento Gonçalves - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Amparo 04/10/2019 | 08h25

Solidariedade transforma vidas em Bento Gonçalves

Lar do Ancião precisa de ajuda da população para retomar equilíbrio financeiro

Solidariedade transforma vidas em Bento Gonçalves Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

A solidariedade muda a vida das pessoas. Pode parecer um conceito batido, mas basta um olhar mais atento para perceber que ao estender a mão ao próximo, tanto quem doa como quem recebe é tocado por uma sensação de paz e de realização. O Lar do Ancião, em Bento Gonçalves, é um dos exemplos de que a união e a generosidade da comunidade fazem a diferença.
Idealizado por uma das figuras mais cativantes da cidade, Anna Tedesco Variani, que morreu em 2009 aos 98 anos,  a casa de repouso foi construída com doações da população. Passados 28 anos da construção, a ajuda diminuiu e a entidade precisa acionar novamente a rede de solidariedade para reequilibrar as contas. Atualmente, 51 pessoas, com idades de 70 a 98 anos, residem no Lar do Ancião.

Um grupo de três empresários com a ajuda de 14 diretores voluntários assumiu a administração do lar em março deste ano. Deste então, uma série de melhorias foram promovidas e a entidade recebeu doações que ajudam a cortar gastos. Entre as principais medidas está o projeto Mil Amigos, que busca doadores que contribuam com pelo menos R$ 25 por mês. Até o momento, 200 pessoas fazem doações mensais.

O Lar do Ancião também ganhou uma câmara fria para armazenar alimentos e conseguiu implantar placas para energia fotovoltaica, que vai gerar economia com eletricidade – hoje o gasto gira em torno de R$ 10 mil por mês. Também são realizadas campanhas em conjunto com mercados e farmácias para arrecadar alimentos e artigos de higiene. As fraldas são adquiridas junto ao município.

A casa de repouso também ganhou um carro para realizar uma rifa para pagar o salário dos 45 funcionários, que tem atrasado todos os meses. Além disso, a comunidade realiza eventos para arrecadar recursos.

Déficit chega a R$ 15 mil por mês

BENTO GONÇALVES, 24/09/2019Lar do Ancião(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Atualmente, o déficit mensal do Lar do Ancião chega a R$ 15 mil. Em maio do ano passado, o valor era de R$ 60 mil. O custo para manter os idosos é de R$ 170 mil mensais – desses somente R$ 70 mil são provenientes dos idosos.

— Por isso precisamos de mais doadores — pede o presidente do Lar, José Foresti.

Para ele, o segredo para buscar o equilíbrio é se doar. A vice-presidente Marinete De Carli concorda:

—  O segredo é ser inteligente, montar projetos viáveis e buscar tudo com muita credibilidade.

Uma casa de histórias

BENTO GONÇALVES, 24/09/2019Lar do AnciãoLourdes Vargas, 75 anos(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Uma das idosas “adotadas” pelo Lar do Ancião é Lurdes Vargas Schütz, 75. Lurdinha acorda cedo e ajuda nas tarefas. Sem família, é considerada um patrimônio da casa. Colorada, tem uma TV no quarto para ver os jogos do Inter:

— Todos me tratam com carinho e eu cuido de quem mora aqui com amor e respeito. É o meu lar — conta, feliz.

BENTO GONÇALVES, 24/09/2019Domingos Passaia, 82 anos(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Domingos Passaia, 82, mora no Lar desde 2011. É um dos idosos que foi adotado por uma gatinha que mora na casa de repouso. Tímido, não disfarça o carinho pela felina, que o acompanha pelos corredores e senta ao seu lado no sofá. A gata recebeu o nome de Aninha, em homenagem a fundadora da casa, Anna Variani.

BENTO GONÇALVES, 24/09/2019Lar do AnciãoVictoria Lazzaroto Gréggio, 87 anos(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Ao contrário de Passaia, Victória Lazzarotto Greggio, 87 anos, adora uma boa conversa. Mantém a elegância ao caminhar e escolher um banco ao sol. Com um terço em mãos, e acariciando uma cachorrinha que foi abandonada, ela é viúva há 24 anos, tem  filhos, netos e bisnetos, mas escolheu morar na casa de repouso.

—  Trabalhei na paróquia de Botafogo por 60 anos e quando decidi me mudar,  tive uma linda festa de despedida — relembra.

 BENTO GONÇALVES, 24/09/2019Lar do AnciãoGemma Guggel, 87 anos(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Já Gemma Gugel , 87, passa boa parte do dia costurando. A produção é vendida para as idosas do lar e os visitantes.

— Faço fuxicos há 30 anos–conta, orgulhosa.

BENTO GONÇALVES, 24/09/2019Lar do AnciãoJosé Fiorotto, 75 anos(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Um dos moradores mais falantes é José Fiorotto, 75. Ele gosta de relembrar o passado e conta que na juventude optou por cuidar dos pais. Com glaucoma, Fiorotto foi para a casa de repouso em 2009. 

— As histórias de quem vive no lar são sensacionais. Eu sei que  direção faz o impossível para manter um bom atendimento para todos. Nunca nos falta nada porque somos uma família —  ressalta Fiorotto. 

 BENTO GONÇALVES, 24/09/2019Lar do Ancião(Completar com os nomes)(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Cães e gatos abandonados também são acolhidos no Lar do Ancião. Eles têm casinhas, comida e água. Marinete afirma que os animais ajudam na recuperação dos idosos.

Saiba como ajudar 

Para participar do projeto Mil Amigos basta entrar em contato com Simone (54) 99963-6486 ou Jussara no (54) 98141-2361. As doações podem ser via boletos, depósito bancário e transferências. Detalhes sobre como ajudar em lardoanciaobg.com.br, no link “doações” ou pelo telefone (54) 3451-3444.

 Leia também
Comunidade de Linha 40 fica sem energia elétrica após acidentes em Caxias do Sul
Cão é abandonado em lixeira da Praça Dante Alighieri , em Caxias do Sul
Lançada em Caxias do Sul a Feira Internacional de Turismo de Gramado
 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros