Música para o coração acalma pacientes internados em hospital de Caxias - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Empatia07/10/2019 | 12h26Atualizada em 07/10/2019 | 13h30

Música para o coração acalma pacientes internados em hospital de Caxias

 Duo de violinos do grupo de câmaras da Orquestra da UCS tocou na manhã desta segunda-feira para pessoas internadas no HG 

Música para o coração acalma pacientes internados em hospital de Caxias Lucas Amorelli/Agencia RBS
Duo de violinos do grupo de câmaras da Orquestra da UCS tocou na manhã desta segunda para pessoas internadas no HG Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Internada no Hospital Geral, em Caxias do Sul, há 13 dias, Eufrásia Nadir de Jesus, 68 anos, não segurou o choro na manhã desta segunda-feira (7). A emoção foi provocada pela apresentação do Duo de violinos do grupo de Câmaras da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (UCS).

— Gosto de música, mas não sei explicar porque chorei. É algo que tocou e mexeu comigo — disse com as mãos próximo ao coração.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 07/10/2019Orquestra da UCS passa pelos quartos do Hospital Geral(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Internada no Hospital Geral, há 13 dias, Eufrásia Nadir de Jesus, 68 anos, não segurou o choro Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Melodias como Aleluia, Somewhere Over the Rainbow, de Mágico de Oz, Pequena Serenata Noturna, de Mozart e clássicos dos Beatles emocionaram pacientes e funcionários. A ideia é levar, por meio da música, alegria e conforto capaz de amenizar o sofrimento de quem encara problemas de saúde.

Zenilde Souza, 44, contemplava os músicos com emoção.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 07/10/2019Orquestra da UCS passa pelos quartos do Hospital Geral(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Zenilde Souza, 44, contemplava os músicos com emoçãoFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

—  Foi tão lindo! Para quem assim como eu, está internada, com dor e angustiada, a música acalma a alma e motiva a se animar, com certeza ajuda a melhorar — emociona-se.

Moradores de Esmeralda, Dalva Antunes dos Santos, 57, e Moacir Mapelli, 58, ficaram encantados com a apresentação. Ela aguardava procedimento e conta que a música a deixou confiante:

— Emociona muito e tranquiliza para ir para o bloco cirúrgico com calma e a fé renovada.

O marido dela não escondia a emoção.

— Para muitas pessoas assistir, mesmo que por pouco tempo, a apresentação de parte de uma orquestra é um sonho. A música é um dom divino e um presente para quem não pode ir até ela — acredita ele.

A paciente Saionara Batista, 35, também aguardava cirurgia:

— Ouvir Aleluia emociona e mexe demais. A música traz alegria e motivação. Cura a alma — afirma emocionada.

Arsênio de Souza, 69, era um dos pacientes mais animados e compenetrados na apresentação.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 07/10/2019Orquestra da UCS passa pelos quartos do Hospital Geral(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Arsênio de Souza, 69, era um dos pacientes mais animados e compenetrados Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

— Faz bem a alma — disse encantado.

No mesmo quarto, Antônio Branchi também estava empolgado com o espetáculo:

—  Anima e cura a alma. Quem se sente mal, até melhora mais rápido.

MÚSICAS PARA TOCAR O CORAÇÃO

Não são apenas os pacientes que emocionam-se. Para Wagner Ismael Ferreira Rezer, 30 e Carlos Eduardo Zinani, 43, o momento é único:

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 07/10/2019Orquestra da UCS passa pelos quartos do Hospital Geral(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Duo de violinos do grupo de câmaras da Orquestra da UCS tocou na manhã desta segunda para pessoas internadas no HG Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

— Quando chegamos e tocamos no corredor, a reação dos pacientes é emocionante. Os que podem saem dos quartos e quando entramos nos leitos percebemos o quanto a música toca cada de uma maneira diferente. Muitos demostram alegria, e até uma certa melhora no ânimo. É uma troca sensacional, e em locais em que os pacientes estão mais debilitados percebemos a troca de energia e o quanto eles gostam de nos ouvir. Mexe conosco, também emociona-se Carlos.

Wagner concorda. Para ele, levar a música até os pacientes é uma maneira de confortar as pessoas e de motivar os pacientes a seguir em frente em momentos difíceis.

—  A música energiza, emociona e anima. É uma maneira de ajudarmos as pessoas que estão enfrentando doenças e de fortalecer essa capacidade de continuar e seguir em frente. Ouvir música toca as pessoas. É sensacional observar a expressão dos pacientes. Conseguimos sentir o que os pacientes sentem e criar momentos únicos.

PROJETO INÉDITO 

A proposta conta com o apoio do Sindipetro de Caxias do Sul e Região. O sindicato patrocinará materiais de divulgação do projeto. Também serão colocadas caixas para o troco solidário em 30 postos de combustíveis para arrecadar recursos para o programa. A ideia é promover apresentações mensais ou duas vezes por mês. Se o projeto tiver aceitação o 'Música para o Coração' levará apresentações para pacientes internados em outros hospitais da cidade, e demais locais, conforme a demanda.

O coordenador do UCS Cultural, Charles Tonet, conta que a ideia foi inspirada em um projeto europeu. Denominado, Música para o Coração, o programa será lançado oficialmente em novembro. O projeto piloto já realizou três apresentações no HG. Em abril, ele recebeu um vídeo onde músicos realizavam um concerto em um hospital. Em uma conversa com Moacir Lazzari, que coordena o Setor de Desenvolvimento Cultural da UCS, e decidir implantar a ideia.

— A Universidade e o Hospital Geral aceitaram a ideia, e a iniciativa também teve aceitação dos músicos e começamos com o projeto piloto. Acredito que é inédito no país, nesse estilo, com músicos de uma orquestra. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 07/10/2019Orquestra da UCS passa pelos quartos do Hospital Geral(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Duo de violinos do grupo de câmaras da Orquestra da UCS tocou na manhã desta segunda para pessoas internadas no HG Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Ele ressalta ainda que os músicos e o repertório são selecionados levando em conta o espaço onde vão tocar:

— Se apresentar em um palco é diferente de tocar para pessoas que enfrentam momentos delicados. Então selecionamos músicos do Duo de Violinos da Orquestra que tenham perfil para se apresentar para os pacientes. Não é apenas tocar, é preciso ter mais sensibilidade, empatia e conexão com os pacientes. A música contribui para a melhoria dos pacientes e esse contato sensibiliza ainda mais os músicos.

Leia também
Jantar beneficente arrecada fundos para castração de animais em Caxias
Blues Art Ville abre inscrições para artistas que querem expor no MDBF 2019

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros