Ministério da Educação libera R$ 11,3 milhões para instituto que tem campi na Serra - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Ensino22/10/2019 | 12h03Atualizada em 22/10/2019 | 12h03

Ministério da Educação libera R$ 11,3 milhões para instituto que tem campi na Serra

IFRS teve todo o orçamento de custeio desbloqueado para este ano

Ministério da Educação libera R$ 11,3 milhões para instituto que tem campi na Serra Anselmo Cunha/Agência RBS
Foto: Anselmo Cunha / Agência RBS

O Ministério da Educação desbloqueou R$ 11,3 milhões do Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), que tem campi na Serra. O valor corresponde a cerca de 20% da verba de custeio do ano, conforme a Reitoria. O recurso estava contingenciado e, na sexta-feira (18), o ministro Abraham Weintraub anunciou a liberação do orçamento total do ano para universidades e institutos federais. Na segunda-feira (21), o sistema já apontava o desbloqueio do dinheiro para o IFRS. 

O instituto tem 17 campi, cinco deles na Serra: em Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Farroupilha, Vacaria e Veranópolis. Conforme o reitor Júlio Xandro Heck, a incerteza a respeito do que ocorreria com o orçamento anual provocou cortes em determinadas áreas que não haverá como recuperar.

— É muito bem-vindo este desbloqueio, mas tem uma série de atividades que não conseguiremos mais executar — resume.

Leia mais
Com liberação de recursos, IFRS garante funcionamento de todos os campi até o final do ano

Entre os prejuízos, Heck salienta os investimentos em projetos de pesquisa e extensão. Além disso, ele explica que insumos de laboratório, ainda que comprados agora, não poderão ser usados neste ano por causa da demora que envolve o rito de compras públicas. Outro aspecto é que visitas técnicas precisaram ser suspensas e não estão mais em tempo hábil de serem realizadas.

Mesmo assim, o reitor diz que os recursos não serão devolvidos ao ministério. A ideia é comprar material para laboratório para o ano que vem e fazer pequenas reformas necessárias que também ficaram suspensas.

Acerca de investimentos, Heck explica que o cenário ainda é pouco otimista. Dos R$ 5 milhões previstos para o ano, o governo liberou apenas R$ 1 milhão para o IFRS. Segundo o reitor, este recurso seria utilizado, por exemplo, na construção de quadras esportivas em campi que ainda contam com a estrutura. 

Leia também
Igreja estende por um ano prazo para posto de saúde ficar em prédio no bairro Vila Lobos, em Caxias  
Acidentes com motociclistas são fruto de despreparo, afirma presidente do Sindimoto/RS
Mais de 2,5 mil crianças já foram vacinadas contra o sarampo em Caxias 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros