"Estamos dispostos a ajudar sem esperar nada em troca", diz escoteiro que participou de ações comunitárias em Caxias - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Mutirão05/10/2019 | 14h56Atualizada em 06/10/2019 | 15h33

"Estamos dispostos a ajudar sem esperar nada em troca", diz escoteiro que participou de ações comunitárias em Caxias

Cerca de 380 pessoas de diversas cidades e estados brasileiros se reuniram em escolas, entidades ou igrejas para se dedicar a atividades em prol da comunidade

"Estamos dispostos a ajudar sem esperar nada em troca", diz escoteiro que participou de ações comunitárias em Caxias Aline Ecker/Agência RBS
Cerca de 380 pessoas se reuniram em escolas, entidades ou igrejas para se dedicar a atividades em prol da comunidade Foto: Aline Ecker / Agência RBS

Escoteiros do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul se reuniram em Caxias do Sul neste sábado (5) para colocar em prática a essência do escotismo: servir a comunidade. A cidade foi palco de um mutirão de ação comunitária realizado pelos Escoteiros do Brasil. O evento, chamado AstroMut, contou com a participação de cerca de 380 jovens e adultos, que se dedicaram a atividades em 13 pontos da cidade para transformar a realidade de escolas, entidades e comunidades caxienses. 

Leia mais
Mutirão comunitário com 380 escoteiros ocorre neste final de semana em Caxias 
"Somos sonhadores mudando a nossa realidade", diz presidente de bairro em ação comunitária em Caxias
Ação Social da UCS promove integração entre pais e escola em Caxias

O grupo atuou junto a crianças, idosos, portadores de necessidades especiais, moradores de áreas de vulnerabilidade social e promoveram melhorias em escolas. Entre as principais ações, destacam-se a pintura das paredes da Escola Estadual de Ensino Fundamental José Venzon, no bairro Bela Vista; manutenção, confecção e pintura de casinha de cachorros, visita e atividades no Lar da Velhice São Francisco de Assis; pintura de telas na Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Visuais (Apadev); preparação de refeições para moradores carentes na região do Esplanada; arrecadação e separação de tampinhas para a Domus; recreação na Estrela Guia; e organização de brechó beneficente para a Associação Criança Feliz.

Caxias do Sul já recebeu dois mutirões escoteiros nesse formato, o primeiro em 2011, a nível regional, e o segundo em 2013, a nível interamericano. Em ambos os eventos foram aproximadamente 300 participantes que realizaram atividades comunitárias. O mutirão regional pioneiro é realizado duas vezes ao ano, em cidades diferentes do Rio Grande do Sul.

Integração e inclusão social

Na Apadev, dez deficientes visuais pintavam telas com o auxílio de um grupo de escoteiros. Uma das mais animadas e concentradas na atividade, Carla Facchin, 54 anos, ressalta que a ação é uma maneira de incentivar a inclusão social:

Mutirão comunitário com 380 escoteiros ocorre neste final de semana em Caxias
Na Apadev, dez deficientes visuais pintavam telas com o auxílio de um grupo de escoteirosFoto: Aline Ecker / Agência RBS

— Eu adoro pintar. Gosto de esculturas, de arte e de culinária. Sabemos nos virar, mas a maioria das pessoas não nos vê assim. Claro que há dificuldades, mas conseguimos viver bem, e são ações como essa que ajudam e incentivam essa vida em sociedade — afirma Carla.

A escoteira Betina Guerra Godoy, 20, se emociona ao contar que entrar para os escoteiros, há dois anos e meio, mudou a vida dela.

— A maioria está nos grupos desde pequeno, e eu entrei pouco antes dos 18. Minha mãe insistiu para que eu entrasse nos escoteiros porque era tímida e tinha poucos amigos. Esse contato que tenho hoje com a sociedade mudou a minha visão de mundo. Vivemos em uma bolha, e poder se doar para outras pessoas é transformador— diz Betina, sorrindo.

Servir, cuidar e fazer parte da transformação da sociedade 

Mais de 60 jovens confeccionavam e pintavam casinhas na  Escola Estadual de Ensino Fundamental José Venzon, no bairro Bela Vista. Felipe Machado Feijó, 20 anos, coordenava o grupo. Para ele, a participação de escoteiros de diversas cidades e estados mostra que é possível acreditar em um mundo melhor:

Mutirão comunitário com 380 escoteiros ocorre neste final de semana em Caxias
Mais de 60 jovens confeccionavam e pintavam casinhas na Escola Estadual de Ensino Fundamental José Venzon Foto: Aline Ecker / Agência RBS

— Ajudar ao próximo é gratificante. Estamos dispostos a ajudar sem esperar nada em troca e esse é o nosso lema: servir a comunidade e cuidar uns dos outros. Essa transformação é possível e nos faz acreditar que o mundo pode ser melhor a cada dia — orgulha-se Felipe. 

A mãe de Felipe, Fabiana Machado Feijó, 43, acompanha o filho desde que ele ingressou nos escoteiros, aos sete anos. As irmãs de Felipe, de 16 e nove anos, também fazem parte do escotismo.

Mutirão comunitário com 380 escoteiros ocorre neste final de semana em Caxias
Mais de 60 jovens confeccionavam e pintavam casinhas na Escola Estadual de Ensino Fundamental José Venzon Foto: Aline Ecker / Agência RBS

— Nos apaixonamos por esse ideal e temos muito orgulho do conceito e do lema do escotismo. Conviver com os meus filhos e com os demais jovens que estão nos grupos de escoteiro é inspirador, porque sei que são pessoas do bem, pessoas que transformam a sociedade e que vão se doar durante a vida toda ao próximo. Eles levam esse cuidado para a vida e melhoram a vida das comunidades — acredita Fabiana. 

Separação de tampinhas e almoço para moradores do Esplanada

Vinte e dois escoteiros separavam tampinhas na Domus para ajudar crianças e adolescentes que lutam contra o câncer. Para Leonardo Barbosa Giasson, de 20 anos, a experiência é transformadora.

Mutirão comunitário com 380 escoteiros ocorre neste final de semana em Caxias
Vinte e dois escoteiros separavam tampinhas na Domus para ajudar crianças e adolescentes que lutam contra o câncerFoto: Aline Ecker / Agência RBS

— Ajudo a Domus, mas hoje conseguimos reunir pessoas diferentes, de fora da cidade e do Estado, e juntamos um número maior de voluntários para se dedicar a uma causa tão importante, que é combater a doença. A dedicação ao próximo é uma experiência única, pela qual todos deviam passar — diz Leonardo. 

No salão da Igreja Frei Pio, no bairro Esplanada, 30 escoteiros estavam desde cedo com a mão na massa para preparar um almoço para 275 moradores da região. Guilherme Rudzewicz, 20 anos, coordenava o almoço e esperava ansioso o momento de servir a comunidade.

Mutirão comunitário com 380 escoteiros ocorre neste final de semana em Caxias
Um grupo de 30 escoteiros estavam desde cedo com a mão na massa para preparar um almoço para 275 moradores da regiãoFoto: Aline Ecker / Agência RBS

— Sou escoteiro desde pequeno, mas esses momentos são emocionantes, porque nos colocamos no lugar do outro e acreditamos na mudança quando ajudamos o próximo e estamos dispostos a ajudar — ressalta Guilherme.

Daniela Arcanjo de Vargas, 23, também acredita na transformação. Moradora do Esplanada, ela estava com a mãe dela, Marisnete Gomes de Arcanjo, de 44 anos, e a filha, Vitória Rafaela de Vargas, de três, esperando para almoçar.

— Essas ações mudam um pouco o dia das pessoas que vivem nessa região, porque precisamos ajudar, e são os pequenos atos que transformam o mundo — disse, sorrindo.

As ações seguem até às 14h30min deste domingo (6). 

Leia também
Peça chave da cena caxiense
Caxias do Sul terá passe livre em dia de eleição do Conselho Tutelar
Incêndio destrói casa no bairro Esplanada, em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros