Banco Industrial e Comercial do Sul, na Avenida Júlio, em 1948 - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória12/09/2019 | 07h00Atualizada em 13/09/2019 | 11h20

Banco Industrial e Comercial do Sul, na Avenida Júlio, em 1948

Agência surgiu em Caxias do Sul em 1938, no trecho entre as ruas Garibaldi e Visconde de Pelotas

Banco Industrial e Comercial do Sul, na Avenida Júlio, em 1948 Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
A fachada do banco em 1948, com parte do casarão da família Sanvitto (à direita) Foto: Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Difícil, para não dizer impossível, reconhecer hoje os traços arquitetônicos art déco do antigo Banco Industrial e Comercial do Sul S.A. (Bic Banco), situado na Av. Júlio de Castilhos, 2.001, entre as ruas Garibaldi e Visconde de Pelotas — atualmente sede da loja Pedrinho Sports.

Colada ao antigo casarão da família Sanvitto e ao Edifício Minas Gerais, a agência teve parte de sua história destacada no álbum Documentário Histórico do Município de Caxias do Sul, lançado em 1950 pelo jornalista Duminiense Paranhos Antunes. 

Casarão da família Sanvitto, na Avenida Júlio, em 1968 

Conforme a publicação, o chamado "estabelecimento de crédito" teve sua origem no Rio de Janeiro em 2 de janeiro de 1919, sob a denominação Casa Bancária Jorge Pfeiffer & Cia — idealizada pelo banqueiro Jorge Marcos de Azevedo Pfeiffer logo após o fim da Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Irmãos Paranhos Antunes visitam Caxias do Sul em 1952 

O texto original da época também destacava o cenário econômico pós-conflito:

"Dez anos após, a 1º de julho de 1929, já com um conceito elevado dentro do Estado, tomava aquela casa bancária a denominação de Banco Pfeiffer S.A. Vencendo a crise econômica mundial (decorrente da quebra da bolsa de valores de Nova York daquele ano), o banco limitou sua atividade ao território gaúcho, ampliando cada vez mais o número de seus estabelecimentos pelo interior do Estado e criando novas agências".

Surgia, assim, a filial caxiense, inaugurada em 5 de maio de 1938, cujo nome seria alterado quatro anos depois.

"Em 1942, resolveu a assembleia de acionistas alterar a denominação do estabelecimento bancário para Banco Industrial e Comercial do Sul S.A., que mais propriamente expressa o seu verdadeiro papel na economia do Rio Grande do Sul, nome esse já firmado e conhecido em todo o território nacional".

Na imagem abaixo, o banco destacado na publicação de 1950.

Leia mais:
Banco da Província do Rio Grande do Sul na Av. Júlio
Caxias das antigas agências bancárias
De volta ao prédio do Banrisul em 1947
Caxias em 1957: A Metrópole do Vinho

O banco destacado na publicação de 1950Foto: Elenira Prux / divulgação
A fachada do banco em 1948, com a inscrição "Getúlio" no canteiro central da rua e parte do casarão da família Sanvitto (à direita)Foto: Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Fotos e detalhes 

Nas imagens desta página, dois registros da fachada do prédio em 1948 (o ano, inclusive aparece na testada do prédio), a sala principal de atendimento e um encontro entre a gerência, políticos e autoridades em 1949. À época, o banco tinha como gerente o senhor Angelo Costamilan e como contador o senhor Ovídio Cogo da Cunha.

Na imagem acima, vê-se também a inscrição "Getúlio" no canteiro central da avenida, uma provável referência a Getúlio Vargas, então recém deposto da presidência da República — e para onde voltaria dali a três anos, em 1951.

Leia mais:
Festa da Uva: Getúlio Vargas no Real Hotel em 1954
Monumento ao Imigrante: histórias dos últimos 60 anos
Getúlio Vargas e o inseparável guardião Gregório Fortunato
Um carro soberano na Festa da Uva de 1954 

O interior da agência bancária em 1948Foto: Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
Em 1949: registro de uma reunião no banco, na época gerenciado por Angelo Costamilan Foto: Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

O casarão da família Sanvitto 

As duas fotos externas acima trazem também parte do antigo casarão da família Sanvitto, construído pelo empresário Guerino Sanvitto entre 1943 e 1946. Moradia da família pelas cinco décadas seguintes, a edificação foi recentemente revitalizada e transformada no coworking Colavoro Sanvitto. 

Em ambas as fotos, à direita, aparece o portão da garagem da residência — por onde pode ser acessado o atual estacionamento dos fundos e o bistrô Amada Cozinha (no subsolo). Nesta sexta (13), aliás, ocorre por lá mais uma edição do encontro Noites de Jazz. A atração será o grupo Brazz Quinteto.  

Informações e reservas de mesas pelo fone (54) 3010.1179.

Leia mais:
Guerino Sanvitto e a Malharia Jane em 1950
O incêndio na firma Guerino Sanvitto & Cia em 1952  
Ferragem Andreazza: uma adega, décadas de histórias
A Praça Rui Barbosa em 1969
Casa Prataviera: um ícone do Centro
Casa Prataviera: o centenário do empresário Francisco Alberti
Família de Raymundo Magnabosco em 1946
Ary De Carli: um anúncio e uma foto premiada em 1955
Lojas Renner: a visita da Miss Brasil em 1961  
Inauguração do Varejo do Eberle em 1949
O incêndio da Ferragem Caxiense em 1952 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros