Mais peixes são encontrados mortos em represa de Caxias  - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Meio Ambiente09/08/2019 | 11h44Atualizada em 09/08/2019 | 12h06

Mais peixes são encontrados mortos em represa de Caxias 

Samae ainda desconhece causa da morte de lambaris em barragem do sistema Dal Bó 

Mais peixes são encontrados mortos em represa de Caxias  Antonio Valiente/Agencia RBS
Mais peixes são encontrados mortos em represa de Caxias Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Entre essa quarta (7) e quinta-feira (8), centenas de peixes foram encontrados mortos na barragem São Paulo, que fica ao lado do Jardim Botânico, na Rua Atílio Andreazza, no Loteamento Saint Etienne, em Caxias do Sul. Esta é a segunda vez em 10 dias que os animais são vistos boiando na água da represa que integra o complexo Dal Bó. No dia 30 de julho, a barragem também amanheceu com lambaris mortos. 

Leia mais  
Análise da água de represa onde peixes foram encontrados mortos em Caxias deve ficar pronta em 10 dias
Represa Dal Bó amanhece com peixes mortos em Caxias   

A reportagem foi contatada nessa semana por uma frequentadora do Jardim Botânico que está preocupada com a situação. Michele Pelissari, 31 anos, conta que costuma levar as filhas para passear no local. Ela afirma que na terça-feira (6), por volta das 14h45min, passou pela barragem e sentiu um cheiro forte e percebeu que os peixes estavam mortos. No dia seguinte, ela passou à tarde pelo local e constatou que os lambaris, novamente, pareciam se debater contra a água: 

— O cheiro já estava bem forte. A represa está tomada por algas. Até comentei com o rapaz que trabalha na limpeza da água para que retirem as algas, pois acredito que seja a infestação que esteja retirando o oxigênio da água e ocasionando as mortes dos peixes.

Veja o vídeo 

CONTRAPONTO 

O que diz o Samae 

A morte dos lambaris é apurada pela Divisão de Recursos Hídricos do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae). Contudo, ainda não há informação do que pode ter causado a morte dos animais. A bióloga Patrícia Buffon estava na barragem para medir o oxigênio da água na manhã desta sexta-feira (9). Ela explica que a medição estava dentro dos padrões, mas esclarece que não há como saber como estava a oxigenação da água em outros dias.  

— Medimos o oxigênio próximo ao ponto onde os peixes estão morrendo e registrou 6,48 mg/l. O ideal é acima de 5 mg/l. Então, hoje, o oxigênio não está abaixo do previsto. Não há como saber a medição da quarta-feira, então poderia ser falta de oxigênio, mas não há como afirmar o que tem provocado a morte, por enquanto é inconclusivo. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (09/08/2019)Peixes seguem morrendo em represa do Complexo Dal Bó em Caxias. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Mais peixes são encontrados mortos em represa de Caxias Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Ela ressalta ainda que as amostras coletadas ainda estão em análise em um laboratório externo. Patrícia ressalta que é importante que a comunidade comunique o Samae, pelo telefone 115, caso observe alguma ação que possa provocar a morte dos peixes.

Ainda de acordo com o Samae, a morte dos peixes não afeta a qualidade da água fornecida à população. A morte foi registrada no lago de água bruta, entre as represas São Paulo e São Pedro e a água do sistema Dal Bó é captada na represa São Miguel, mais abaixo, do ponto onde os lambaris foram encontrados mortos. Depois da captação, a água passa pelo processo de tratamento na Estação Borges de Medeiros e antes de ser distribuída ela passa pelo processo de tratamento e por análises rigorosas de potabilidade até chegar nas torneiras das casas. 

Abastecimento 

O complexo Dal Bó é responsável pelo abastecimento de nove bairros de Caxias do Sul, o que equivale a 4% da população. Os bairros abastecidos são: Centro (parte), Jardim América (parte), Jardim Margarida (parte), Madureira, Marechal Floriano (parte), Pio X (parte), Primeiro de Maio, São José (parte) e Universitário. 

Leia também
Aprovados R$ 3 milhões para construção do centro de bem-estar animal em Caxias
Estudante mais idosa do UCS Sênior de Canela, Roma Vaccari celebra 90 anos 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros