"É um mistério da fé", diz padre de Caxias do Sul procurado por fiéis para a cura de diversos males - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Bênção23/08/2019 | 22h01Atualizada em 23/08/2019 | 22h15

"É um mistério da fé", diz padre de Caxias do Sul procurado por fiéis para a cura de diversos males

Pároco em Galópolis diz usar seu dom para fazer o bem

"É um mistério da fé", diz padre de Caxias do Sul procurado por fiéis para a cura de diversos males Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Padre Paulo Venturin diz usar seu dom para fazer o bem às pessoas que estão em sofrimento por diferentes males de saúde Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Mesmo não sendo uma prática reconhecida oficialmente pela Igreja Católica, muitos símbolos e orações da religião cristã integram os procedimentos de benzedura, sendo comum à maioria o fato de serem praticantes e devotos de santos da instituição.

Em Galópolis, bairro de Caxias do Sul, o próprio padre responsável pela Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, Paulo Venturin, 59, é procurado por paroquianos e pessoas de outras localidades em busca de cura por meio da fé.

Leia mais
De mau-olhado a rendido: benzedeiras ainda são procuradas em Caxias do Sul
Tradição da benzedura vira objeto de pesquisa acadêmica e de montagem teatral na Serra

— A medicina nem sempre consegue resolver e algumas curas realmente são conseguidas só com as bênçãos — afirma o religioso, que não se considera um benzedeiro, apenas uma pessoa que tem o "dom" e que procura usá-lo para o bem.

— Não é benzedura, é uma bênção que eu dou usando o sinal da cruz acompanhado de orações e fórmulas especiais, que estas eu não revelo — explica o padre.

Dependendo do caso, ele também faz uso de água benta e de uma aliança de ouro que Venturin usa no dedo anelar da mão direita desde o dia de sua ordenação, que ocorreu há 24 anos, em Antônio Prado. Na cerimônia, a joia foi abençoada por Dom Paulo Moretto.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 23/08/2019 - Padre Paulo Venturin, 59, pároco em Galópolis, diz ter o dom e abençoa as pessoas que o procuram com uma aliança de ouro, água benta e orações, curando-as de problemas como afta na boca, cobreiro e esporão de galo. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)
Aliança de ouro que Venturin usa no dedo anelar da mão direita desde o dia de sua ordenação é ferramenta para algumas bênçãosFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Inspirado em outros padres reconhecidos em suas comunidades por bênçãos de cura, há 15 anos, Venturin usa seu dom e diz sentir-se realizado por fazer cessar o sofrimento das pessoas que o procuram, em sua maioria, para resolver problemas de aftas na boca, cobreiro e esporão calcâneo - o popular "esporão de galo", uma inflamação que afeta a planta do pé. Pais de crianças agitadas, que não dormem, também o procuram e ele afirma que o resultado é garantido em todos os casos.

— É preciso ter uma espiritualidade muito profunda para dar a bênção e quem recebe precisa ter fé. Dou a benção como um instrumento de Deus. O processo de cura não tem uma explicação, mas ele acontece, é um mistério da fé.

Ele cita um trecho da Bíblia, do capítulo nove de João, no qual Jesus encontra um homem cego de nascença e o faz voltar a enxergar.

— Na passagem Jesus ensina que o homem nasceu cego para que, por meio dele, se manifestassem as obras de Deus, neste caso, a cura. Deus dá o dom e quem o recebe precisa colocá-lo a serviço do bem. Eu sou padre, tenho o dom e acredito que as pessoas que benzem não cometem pecado porque fazem isso para o bem.

 Leia também
Edital suspenso por Bolsonaro pode afetar produção audiovisual da Serra
De pavilhão fabril à casa de hip hop: amigos se unem para oferecer dança, música e poesia para jovens em Caxias
VÍDEO: casal é indiciado por furtar loja de celulares em Caxias do Sul

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros