De pavilhão fabril à casa de hip hop: amigos se unem para oferecer dança, música e poesia para jovens em Caxias - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Projeto social23/08/2019 | 15h30Atualizada em 23/08/2019 | 15h30

De pavilhão fabril à casa de hip hop: amigos se unem para oferecer dança, música e poesia para jovens em Caxias

Fluência abrirá as portas neste domingo para atividades gratuitas 

De pavilhão fabril à casa de hip hop: amigos se unem para oferecer dança, música e poesia para jovens em Caxias Arquivo pessoal/Divulgação
Voluntários posam para foto antes da reforma. Visual do pavilhão só será mostrado para a comunidade na tarde deste domingo (25) Foto: Arquivo pessoal / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

A Fluência Casa Hip Hop abrirá as portas neste domingo (25) num evento cercado de expectativas. Os moradores da Zona Norte da cidade poderão vislumbrar, pela primeira vez, a transformação de um pavilhão fabril na sede do projeto social e artístico que englobará música, dança, poesia e pintura. Para garantir a surpresa, os idealizadores evitaram divulgar fotos em redes sociais e nos veículos de comunicação. A atividade é gratuita e aberta a qualquer morador de Caxias do Sul. 

O projeto no loteamento Colina do Sol, região do bairro Santa Fé, é uma iniciativa das irmãs Franciele e Priscila Minuzzo e dos amigos Geovani de Gregori, Kamila Marina Bazzo e Mônica Cristina Nicolao. Toda a mobilização é voluntária e atenderá gratuitamente crianças e jovens da zona norte. O principal objetivo da Fluência é promover transformações pessoais e valorizar a cultura hip hop, que tem naquela região um dos pontos de maior engajamento. 

Inicialmente serão atendidos entre 50 e 60 crianças e jovens sempre na quarta e na sexta-feira. O grupo foi selecionado em outros projetos sociais das comunidades do entorno como Belo Horizonte, Santa Fé, Vila Ipê, Canyon, Colina do Sol e Fátima Baixo

— Fomos até as entidades, fizemos audição com crianças e adolescentes e houve a seleção. Ainda estamos vendo a questão do transporte. Uma ideia discutida, mas não definida, é que ele passe em dois pontos fixos para pegar as crianças e trazer até nosso espaço. Depois, elas voltariam para seus projetos de origem para fazer o lanche e ir para casa — comenta Franciele.

A ampliação do atendimento será desenvolvida aos poucos, com ofertas de oficinas e workshops de grafite, MC e DJ. A longo prazo, a meta é oferecer turno integral para a gurizada, o que inclui outras atividades como aulas de inglês e a abertura de uma pequena biblioteca. 

Aos finais de semana, a casa será aberta para a comunidade. São 288 metros quadrados com mezanino e ambientes diferentes, com maior espaço para as aulas de dança. O projeto foi viabilizado por meio de doações e os organizadores continuam buscando parcerias para garantir as oficinas e os atendimentos futuros. Uma ideia é contar com padrinhos.

— Claro, será feita a devida prestação de contas de quem nos ajudar. A intenção também é buscar recursos por meio de editais públicos e privados — diz Franciele.

Sonho realizado

A ideia da Fluência nasceu da percepção de Geovani, educador social. Da infância vivida no Cruzeiro, moldou a adolescência em projetos sociais nas comunidades do norte da cidade. Ele quis retribuir o aprendizado com algo que proporcionasse aos jovens a mesma experiência positiva adquirida por meio do hip hop. 

Encantadas com a proposta, as irmãs Minuzzo e as amigas Kamila e Mônica e se uniram para tirar os sonhos do papel. Mônica acabou sendo personagem-chave ao abraçar a concepção do projeto arquitetônico. 

Os demais integrantes do projeto tiveram suas missões para abrir as portas da Fluência e desempenharão novas atividades a partir deste domingo. Geovani, por exemplo, será o representante da cultura hip hop. Kamila fará o atendimento psicossocial. Franciele ficou responsável pelo setor administrativo e financeiro e Priscila divulgará os projetos e fará a interação com o público nas mídias sociais.

PARTICIPE

:: A inauguração da Casa Fluência Hip Hop terá shows de rap e DJ's, exposição de boombox, cyphers de dança, grafite, caricaturas e produtos Fluência. O evento ocorre neste domingo (25), das 15h às 18h. 

:: A entrada é gratuita, mas a organização pede a doação de alimentos não perecíveis

:: A Fluência fica na Rua Francisco Barbosa Velho, 131, próximo ao mercado Vantajão do loteamento Colina do Sol, região do Santa Fé. 

:: Mais informações pelo telefone (54) 99637-1566.

Leia também
Educar sem punição ou recompensas: treinamento em Disciplina Positiva será oferecido em Caxias do Sul
Venda de sanduíches Big Mac deste sábado será revertida para entidade que ajuda crianças com câncer em Caxias
Gramado terá Parque da Mônica

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros