Parque Maria Fumaça, em São Francisco de Paula, recebe licença ambiental - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Atrativo turístico11/07/2019 | 13h41Atualizada em 11/07/2019 | 14h37

Parque Maria Fumaça, em São Francisco de Paula, recebe licença ambiental

Documento permite dar início a outros processos de licenciamento

Parque Maria Fumaça, em São Francisco de Paula, recebe licença ambiental Cláudio Moura/Divulgação
Empreendimento terá ferrovia de 7,2 quilômetros Foto: Cláudio Moura / Divulgação

O parque turístico que deve contar com uma Maria Fumaça, em São Francisco de Paula, recebeu nesta quarta-feira (10) a licença ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade. O documento havia sido protocolado há cerca de um mês e é uma das etapas necessárias para tirar o projeto do papel. O empreendimento, que contará com ferrovia de 7,2 quilômetros, será instalado em uma fazenda de 1,5 mil hectares, próximo às barragens Blang e do Salto.

Leia mais
Empresa solicita licença ambiental para instalação de Maria Fumaça em São Francisco de Paula
Sócios compram terras para implantação de Maria Fumaça na Região das Hortênsias
Empresários planejam criar Maria Fumaça na região das Hortênsias 

Na avaliação de Deivid Palma, sócio do Grupo Pró-Serra, que encabeça o projeto, a agilidade na análise ocorreu porque os estudos prévios na área que vai receber o parque foram realizados de forma bastante detalhada. A equipe analisou todas as características do terreno para evitar alterações, como corte de vegetação ou construção de túneis.

— Fizemos primeiro o estudo geológico e o projeto de engenharia para, depois, negociar a terra. A licença foi rápida porque o processo de estudo foi moroso. Precisamos ir com técnicos até a área mais de 150 vezes — revela Palma.

A obtenção da autorização, segundo o empresário, vai facilitar, a partir de agora, a busca por investidores, além de permitir encaminhar as demais licenças pendentes: de instalação, para que as obras sejam realizadas, e de operação, para que o parque possa funcionar.

— Como tudo o que foi pedido foi entregue, imaginamos que vamos obter as licenças rapidamente.

O projeto começou a ser pensado em 2013 e prevê um investimento de R$ 85 milhões. Além da ferrovia, o parque deve contar com 16 lojas, três restaurantes e galpão para shows e eventos. A expectativa é de que o empreendimento gere 80 empregos fixos e 170 indiretos. Os primeiros passeios estão previstos para o fim de 2020.

Leia também
Fuzil apreendido em Alto Feliz era alugado para assaltos a banco no RS
Cofre encontrado ao lado de homem morto em Caxias do Sul teria sido roubado de residência no bairro Exposição  
Criança de um ano morre afogada em Canela 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros