"Ele saiu contente e não voltou vivo para casa", desabafa esposa de homem que morreu após ser atropelado em Caxias - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Despedida 22/07/2019 | 10h04Atualizada em 22/07/2019 | 10h16

"Ele saiu contente e não voltou vivo para casa", desabafa esposa de homem que morreu após ser atropelado em Caxias

Motorista que atropelou Claudino da Silveira, de 62 anos, fugiu sem prestar socorro 

"Ele saiu contente e não voltou vivo para casa", desabafa esposa de homem que morreu após ser atropelado em Caxias Acervo Pessoal/Divulgação
Foto: Acervo Pessoal / Divulgação

Apaixonado pelo Grêmio, caseiro e um homem bom. É assim que a esposa de Claudino da Silveira, de 62 anos, descreve o marido, que morreu por volta das 00h55min desta segunda-feira (22) no Hospital Pompéia, em Caxias do Sul. Ele não resistiu aos ferimentos após ter sido atropelado horas antes, na ERS-452, em Vila Cristina. 

Leia mais
Homem de 62 anos morre no hospital após ser atropelado em Caxias

Aposentada, Vanir Andrioni da Silveira, 58, conta que ela e o marido passavam bastante tempo juntos desde que ela deixou de trabalhar:

— Ele era um homem bom. Torcedor apaixonado pelo Grêmio, ficava muito feliz com as vitórias, mas bravo quando o time perdia. Também era um bom pai. Ficávamos bastante juntos em casa, ele cuidava dos cachorros e íamos bastante na casa da minha mãe. Foram 27 anos de casados. Todos os dias ele ia no mercadinho comprar pão para tomarmos café. 

Ainda abalada com a situação, Vanir afirma que, no domingo, almoçou com Claudino na comunidade de Tirol. Logo depois que chegaram em casa, ele saiu a pé, como costumava fazer com frequência. 

— Moramos perto de onde era o desvio do pedágio e ele saiu para caminhar, como fazia sempre. O Claudino saiu contente e não voltou vivo para casa _desabafa. 

Ela conta ainda que ficou no hospital até receber a notícia de que ele havia morrido, na manhã desta segunda:

— Essa situação revolta a gente. Ele foi atropelado e deixado ali porque o motorista fugiu sem oferecer socorro. Foi o carro de trás que parou para prestar socorro. 

Claudino será velado na Capela Viva Maria, em Vila Cristina, e o sepultamento está marcado para as 9h desta terça-feira (22), no cemitério da localidade. Ele deixa a esposa Vanir e os filhos Marcos, 24, e Marlon, 20.

Leia também
Homem perde R$ 1,5 mil em assalto a mão armada em Caxias do Sul  
Identificada jovem encontrada carbonizada no prédio do antigo INSS em Caxias 
Homem é preso tentando furtar ar condicionado do Centro de Cultura Ordovás em Caxias 


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros