Concessão do atual aeroporto de Caxias serviria para criar alternativa ao terminal de Porto Alegre - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Em avaliação27/07/2019 | 12h32Atualizada em 27/07/2019 | 12h33

Concessão do atual aeroporto de Caxias serviria para criar alternativa ao terminal de Porto Alegre

Governo do Estado confirmou que vai estudar possibilidade de repasse à iniciativa privada

Concessão do atual aeroporto de Caxias serviria para criar alternativa ao terminal de Porto Alegre ANDRÉIA COPINI/Divulgação
Hugo Cantergiani está sob responsabilidade do Estado, com participação do município na gestão Foto: ANDRÉIA COPINI / Divulgação

O governo do Estado confirmou que estuda conceder o atual aeroporto de Caxias do Sul Hugo Cantergiani à iniciativa privada. A medida, se concretizada, terá o objetivo de transformar o terminal em uma alternativa ao aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre.

Leia mais
Aeroporto Hugo Cantergiani, de Caxias, pode ser privatizado
Privatização do aeroporto regional é rechaçada por ex-administrador

Por meio de nota, a Secretaria Extraordinária de Parcerias do Estado disse que a modelagem da concessão será avaliada pelo corpo técnico do governo e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que vai financiar os estudos de viabilidade. Ainda segundo o comunicado, a parceria seria a forma de ampliar a capacidade operacional do terminal, criando condições de atender parte do público que hoje viaja via Porto Alegre.

Na manhã desta sexta-feira (26), o titular da secretaria, Bruno Vanuzzi, esteve reunido com empresários na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul para tratar da infraestrutura da região. De acordo com o presidente da entidade, Ivanir Gasparin, foi uma visita de cortesia para tratar, principalmente, dos planos para concessão das rodovias da região. O aeroporto, porém, não ficou de fora da conversa.

— O que a CIC pediu para ele é uma melhoria no aeroporto atual. Colocamos a preocupação de que o aeroporto de Caxias poderia ser mais útil do que é hoje. Para chegar ao Salgado Filho pode-se levar de duas a quatro horas. O setor privado poderia fazer obras que o Estado sozinho não consegue. Com R$ 20 a R$ 30 milhões, se colocaria esse aeroporto como alternativa a Porto Alegre — explica Gasparin, que cita o alargamento da pista como uma das necessidades.

A Fraport, empresa alemã que administra o Aeroporto Salgado Filho, também entrou nas conversas. Na última segunda-feira (22), representantes da concessionária visitaram o Hugo Cantergiani e participaram da reunião-almoço da CIC. Em nota enviada à reportagem, a Fraport disse que "está em conversas com o aeroporto Hugo Cantergiani para entender como pode ajudar a melhorar a conectividade da região com Porto Alegre".

Gasparin, porém, afirma que, a longo prazo, a melhoria na infraestrutura de transporte aéreo na região passa pelo aeroporto de Vila Oliva.

— Se Vila Oliva começasse hoje, levaria cinco anos. Infelizmente estamos falando de um horizonte longo — pondera.

Novo aeroporto a partir de 2020

O secretário de Planejamento de Caxias do Sul, Fernando Mondadori, diz que uma eventual concessão do Hugo Cantergiani não está nas negociações para a construção do aeroporto de Vila Oliva. Conforme ele, ainda não está definido se as obras serão realizadas por meio de parceria público-privada, exclusivamente pelo poder público, ou se o terminal será concedido depois de pronto.

— O atual aeroporto é do Estado e ele é que pode tomar alguma ação nesses sentido. Nossa relação com a Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) é para criar um aeroporto novo. Ainda tentamos ver qual é o melhor caminho. Tivemos uma reunião em maio para analisar alguns cases, mas agora estamos focados no licenciamento ambiental — explica.

Outro assunto no qual o município se debruça neste momento é na atualização dos valores para desapropriação da área de 445 hectares para a construção do aeroporto, inicialmente estimada em cerca R$ 20 milhões. A intenção é enviar o orçamento ao governo do Estado em agosto para o Piratini avaliar se tem condições de honrar o compromisso assumido durante o governo Tarso Genro. Se a resposta for positiva, Mondadori acredita que a construção do terminal pode começar já em 2020. Caso contrário, o município teria que buscar recursos.

— Eles vão ter um prazo curto, porque pretendemos ter a resposta em setembro — afirma Mondadori.

Com a desapropriação garantida, o município avalia buscar recursos junto ao governo federal ou órgãos de financiamento internacionais para a construção do aeroporto, caso a obra seja realizada pelo poder público. O orçamento mais atual aponta que o custo do terminal será de R$ 200 milhões.

Além da construção do aeroporto, seguem as conversas para o asfaltamento da estrada que liga Vila Oliva a Gramado. No último dia 19, Mondadori e a secretária de Governança e Desenvolvimento Integrado de Gramado, Simone Bender, se reuniram com o senador Luiz Carlos Heinze (PP). Segundo Mondadori, o objetivo do encontro foi discutir o traçado da estrada, já que o terreno é acidentado e uma nova ponte terá que ser construída. Além disso, ele afirma que o encontro foi importante para demonstrar que as ações para viabilizar o aeroporto estão em andamento.

Leia também
Hospital Pompéia de Caxias ampliará serviços em 2020 
Flores da Cunha enfrenta falta de fraldas geriátricas há quase nove meses 
Projeto Rever Psi promove atendimentos psicológicos mais acessíveis em Caxias   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros