Análise da água de represa onde peixes foram encontrados mortos em Caxias deve ficar pronta em 10 dias - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Meio Ambiente31/07/2019 | 09h33Atualizada em 31/07/2019 | 09h33

Análise da água de represa onde peixes foram encontrados mortos em Caxias deve ficar pronta em 10 dias

Centenas de lambaris estavam boiando na barragem São Paulo na manhã de terça-feira (30) 

Análise da água de represa onde peixes foram encontrados mortos em Caxias deve ficar pronta em 10 dias Lucas Amorelli/Agencia RBS
Ainda não se sabe o que causou a morte dos lambaris Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

A análise da água da barragem São Paulo, onde centenas de peixes foram encontrados mortos na terça-feira (30), em Caxias do Sul, deve ficar pronta em 10 dias, de acordo com técnicos da Divisão de Recursos Hídricos do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae). A amostra será encaminhada nesta quarta-feira (31) para um laboratório para tentar identificar o que causou a morte dos lambaris. O resultado deve sair em até 10 dias. A barragem São Paulo fica ao lado do Jardim Botânico, na Rua Atílio Andreazza, no Loteamento Saint Etienne. Os peixes mortos foram localizados próximo da cascata da represa.

Leia mais  
Represa Dal Bó amanhece com peixes mortos em Caxias  

De acordo com o Samae, a seção de fiscalização não detectou nenhuma anormalidade no entorno da represa, que integra o Complexo Dal Bó, nos últimos dias. No entanto, ações serão intensificadas na barragem e nas proximidades para verificar se há algo que possa ter provocado a morte dos peixes. 

A diretora da Divisão de Recursos Hídricos, Bruna de Araújo, reitera que a morte dos lambaris não interfere na qualidade da água que chega às moradias. Nove bairros são abastecidos pelo sistema.

_ A morte dos peixes ocorreu em lago de água bruta, entre as represas São Paulo e São Pedro. A água do sistema Dal Bó é captada na represa São Miguel, mais abaixo, e depois passa pelo processo de tratamento na Estação Borges de Medeiros. Antes de ser distribuída, ainda passa por análise de diversos critérios, para ter a garantia de que ela atenda a todos os parâmetros de potabilidade exigidos pelo Ministério da Saúde_explica. 

Ainda não há definição sobre a retirada dos peixes mortos da água, mas provavelmente os lambaris, componentes orgânicos, serão deixados na represa, já que, segundo o Samae, em poucos dias eles se depositarão no fundo do lago. Em relação a liberação de pesca nas barragens, apesar da existência de uma placa na represa São Paulo, que indica que a atividade é permitida em épocas regulamentadas, o Samae esclarece que a atividade não é permitida em nenhuma represa de Caxias do Sul, em nenhum período do ano. 

De acordo com a assessoria de imprensa do Samae, há um projeto de lei tramitando na Câmara de Vereadores, que criaria datas específicas para pesca esportiva, mas a matéria ainda não foi votada no legislativo. Por isso, o Samae frisa que nenhuma atividade, inclusive banhos, é permitida nas barragens. A exceção, segundo o município, é o projeto Navegar, realizado pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer.

Abastecimento 

O complexo Dal Bó é responsável pelo abastecimento de nove bairros de Caxias do Sul, o que equivale a 4% da população. Os bairros abastecidos são: Centro (parte), Jardim América (parte), Jardim Margarida (parte), Madureira, Marechal Floriano (parte), Pio X (parte), Primeiro de Maio, São José (parte) e Universitário.

Leia também  
Prefeitura promove melhorias no canil municipal de Caxias
Primeiro semestre registra aumento de passageiros no aeroporto de Caxias do Sul

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros