Alunos com síndrome de Down têm aulas recheadas de culinária, amor e carinho em Caxias - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Inclusão 10/07/2019 | 09h00Atualizada em 10/07/2019 | 09h07

Alunos com síndrome de Down têm aulas recheadas de culinária, amor e carinho em Caxias

Projeto Vivendo Amores Especiais ensina culinária para crianças e adultos com Síndrome de Down

Alunos com síndrome de Down têm aulas recheadas de culinária, amor e carinho em Caxias Antonio Valiente/Agencia RBS
Ansiosos, os alunos observam atentamente os ensinamentos do chef Rafael Traiber Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Uma pitada de carinho, duas doses de amor, uma xícara de tranquilidade e uma porção de sorrisos. Junte a isso 12 pares de olhos brilhando e acompanhando, atentamente, cada movimento dos chefs de cozinha. Curiosos e disciplinados, Enzo Mattana, 12 anos, Heitor Fachinelli Deschamps, 14, Marina Tonin Bonatto, 26, Matheus Fiorio Generosi, 34, Diego Ismael Lins, 38, e Leonardo Jardim Machado, 39, prestavam atenção a cada detalhe, desde a separação dos ingrediente até o ponto certo do brigadeiro feito na aula de culinária Downchefs – Vivendo Amores Especiais. 

A ansiedade seguiu durante a segunda receita, uma massa com molho branco. Atentos aos ensinamentos do chef  Rafael Traiber, os aprendizes não escondiam a animação quando eram chamados para misturar a farinha de trigo, a manteiga e o leite para não perder nenhuma informação repassada pelo professor. 

O projeto vai ensinar receitas a 22 alunos com Síndrome de Down. Eles têm entre 10 e 49 anos e frequentam a Comunidade  Down de Caxias do Sul. A ideia de promover aulas para esse público foi criada por Rafael  e Kaká Cassol em uma conversa entre amigos. Os chefs Guilherme Guarnieri e Patrícia Boschetti também se uniram ao curso, e os quatro vão dividir conhecimento e experiências com os alunos até novembro. 

As aulas começam oficialmente no próximo sábado (13), mas o teste ocorreu na segunda-feira (08), no Espaço Gourmet cedido pelo Sindicato de Hotelaria e Gastronomia de Caxias. O encontro foi recheado de entusiasmo e disciplina.  

“Estou muito feliz com a aula”, conta Marina 

Marina  era uma das mais atentas durante a aula. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (08/07/2019)Projeto Downchefs ¿ Vivendo Amores Especiais ensina culinária para crianças e adultos com Síndrome de Down. Na foto, Marina Tonin Bonatto, 26 anos. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Marina não escondia a alegria ao participar da aula de culinária Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

– Adoro cozinhar. Estou feliz com a aula. Em casa ajudo a minha mãe. Sei fazer pizza, pão de queijo e torta de bolacha – contava, sorridente. 

Heitor provou a massa assim que o chef liberou o prato que ajudou a fazer:

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (08/07/2019)Projeto Downchefs ¿ Vivendo Amores Especiais ensina culinária para crianças e adultos com Síndrome de Down. Na foto, Heitor Fachinelli Deschamps, 14 anos. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Heitor prestou atenção a cada detalhe durante a aula Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

– Hum... Está muito bom!

O menino, que personificou o mascote da entidade, o Super XXI, criado para aproximar e integrar crianças e adolescentes, ao visitar escolas de Caxias, não escondeu a realização com o preparo.

– Estou gostando de aprender a misturar os ingredientes. Em casa, ajudo a pegar os alimentos, arrumar a mesa, lavar a louça, guardar e fazer o café – disse, sorrindo.

A mãe de Heitor, Fabiana Zanela Fachinelli, não escondia o orgulho ao ver o filho aprendendo. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (08/07/2019)Projeto Downchefs ¿ Vivendo Amores Especiais ensina culinária para crianças e adultos com Síndrome de Down. Na foto, Fabiana Zanela Fachinelli, 50 anos.  (Antonio Valiente/Agência RBS)
Mãe de Heitor acompanhou orgulhosa o aprendizado do filho Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

– Ele faz o próprio lanche e arruma o quarto. Iniciativas como essa mostram a todos que eles podem aprender e fazer tudo – exemplificou. 

Sorriso no rosto também é uma das características de Enzo. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (08/07/2019)Projeto Downchefs ¿ Vivendo Amores Especiais ensina culinária para crianças e adultos com Síndrome de Down. Na foto, (E) Kaká Cassol, 30 anos, Diego Ismael Lins, 38 anos, Enzo Mattana, 12 anos e Leonardo Jardim Machado, 39 anos. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Enzo quer aprender a fazer pizza, um dos seus pratos favoritos Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

– Quero aprender a fazer pizza de calabresa que é a minha preferida. Uso os garfos e facas com cuidado e sei lavar a louça. 

Enquanto ele aprendia a cozinhar, mandava beijos para a mãe, Tatiana Piccolli Mattana: 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (08/07/2019)Projeto Downchefs ¿ Vivendo Amores Especiais ensina culinária para crianças e adultos com Síndrome de Down. Na foto, Tatiana Piccolli Mattana, 51 anos. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Mãe de Enzo aprova a ideia para que o filho tenha ainda mais autonomia Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

– Essa ideia é fantástica para que ele tenha mais autonomia. Com o tempo as dificuldades aumentam e é preciso vencer essas etapas. O Enzo está empolgado. Se vira sozinho, mas diante do fogão demonstra insegurança, que irá perder com as aulas. O curso é um passo para buscar a igualdade. 

Para a presidente da Comunidade Down de Caxias, Tânia Rocha, permitir que eles cozinhem é uma oportunidade de mostrarem seu potencial.

“Muito mais do que ensinar, aprendemos muito”

A ideia não poderia surgir em outro lugar que não fosse a cozinha. Entre as panelas, os amigos Kaká e Rafael pensaram em proporcionar experiências a alunos com Síndrome de Down. Em menos de um mês, o projeto saiu do papel. Separar os ingredientes, sovar a massa, mexer o molho na panela e provar para ver se está bom. Cada etapa é realizada com muito cuidado . 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (08/07/2019)Projeto Downchefs ¿ Vivendo Amores Especiais ensina culinária para crianças e adultos com Síndrome de Down. Na foto, (E) Heitor Fachinelli Deschamps, 14 anos, Diego Ismael Lins, 38 anos, Matheus Fiorio Generosi, 34 anos, Marina Tonin Bonatto, 26 anos, Enzo Mattana, 12 anos, Leonardo Jardim Machado, 39 anos e Rafael Traiber, 39 anos. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Pensando nesse carinho que os chefs têm ao cozinhar, os amigos pensaram em dividir experiências gastronômicas: 

– Gosto de ensinar e compartilhar conhecimento. Todos sabem que para criar receitas e colocar a mão na massa é preciso amor. Cozinhar é um ato de amor. Pensamos em dividir essas experiências com pessoas mais que especiais, Muito mais do que ensinar vamos aprender muito com eles: 

O encerramento do projeto será emocionante, antecipa o chef: 

– É quando os aprendizes vão trocar os aventais pelo tão esperado dolmã, que é o símbolo de ser um chef – conta. 

Como ajudar 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (08/07/2019)Projeto Downchefs ¿ Vivendo Amores Especiais ensina culinária para crianças e adultos com Síndrome de Down. Leonardo Jardim Machado, 39 anos. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Projeto precisa de apoiadores para doações de ingredientes e insumos Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Mesmo com inúmeras parcerias, o projeto ainda precisa de apoiadores para doações de ingredientes e insumos. Quem quiser ajudar pode entrar em contato pelo telefone (54) 98419-6701 ou acessar o link vakinha.com.br/vaquinha/616282.  As doações serão usadas para que o Downchefs - Vivendo Amores Especiais possa ter continuidade e contemplar novas turmas. A comunidade também pode doar ingredientes para o projeto.

Cromossomo do Amor 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (08/07/2019)Projeto Downchefs ¿ Vivendo Amores Especiais ensina culinária para crianças e adultos com Síndrome de Down. Na foto, (E) Diego Ismael Lins, 38 anos e Matheus Fiorio Generosi, 34 anos. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Alunos ficaram atentos a cada detalhe da aula de culinária Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

A síndrome de Down é causada pela presença de três cromossomos 21 em todas ou na maior parte das células de um indivíduo. Tal condição genética acontece na hora da concepção de uma criança. As pessoas com síndrome de Down, ou trissomia do cromossomo 21, têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46, como a maior parte da população. Eles têm algumas características físicas e comportamentais semelhantes e, geralmente, são muito afetuosos, por isso as pessoas fazem uma analogia do cromossomo a uma porção extra de amor, e identificam a síndrome como o Cromossomo do Amor. 

Leia também
Pacientes reclamam da falta de preservativos nas UBSs em Caxias 
Três moradores de Canela morrem em colisão entre caminhonete e carreta em Novo Hamburgo
Polícia procura por motorista de carro que atropelou criança na Avenida São Leopoldo em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros