Superlotação leva Hospital Geral a suspender cirurgias eletivas por tempo indeterminado em Caxias  - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Saúde 07/06/2019 | 18h44Atualizada em 07/06/2019 | 19h45

Superlotação leva Hospital Geral a suspender cirurgias eletivas por tempo indeterminado em Caxias 

Decisão foi comunicada aos órgãos responsáveis nesta sexta-feira 

Superlotação leva Hospital Geral a suspender cirurgias eletivas por tempo indeterminado em Caxias  Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

As cirurgias eletivas, que são consideradas não urgentes, estão suspensas por tempo indeterminado, no Hospital Geral em Caxias do Sul. A decisão foi tomada porque os leitos de internação, que recebem os pacientes no pós-operatório estão com ocupação máxima. O hospital comunicou a medida aos órgãos responsáveis nesta sexta-feira. 

 Leia mais
Hospital Geral de Caxias do Sul começa a retomar cirurgias eletivas
Superlotação faz HG suspender cirurgias eletivas em Caxias do Sul 

De acordo com o diretor técnico do HG Alexandre Avino esta é a terceira vez que a entidade precisa cancelar os procedimentos para priorizar pacientes que estão em unidades de emergência e em estado grave. 

— Os pacientes que passaram por cirurgias ficaram na sala de recuperação porque estamos com lotação máxima no hospital. Os casos urgentes serão atendidos, mas as cirurgias não urgentes precisam ser canceladas para não colocarmos os pacientes em risco — ressalta. 

Avino ressalta que a situação dos hospitais é preocupante:

— Os 227 leitos estão ocupados. Estamos com superlotação e o Hospital Geral faz o possível, mas o problema é que os hospitais estão trabalhando no limite. 

O presidente do Conselho Municipal de Saúde Alexandre Silva afirma que a medida é um alerta. 

— O Hospital Geral informou ao conselho que existe há possibilidade de fechamento de leitos a partir de agosto devido a falta de recursos. A situação é complexa porque a demanda é alta. A parte deles o hospital está fazendo — ressalta Alexandre. 

Os procedimentos oncológicos e de urgência, como cirurgias cardíacas não foram afetados pela suspensão, bem como as cirurgias ambulatoriais, que não necessitam de internação. Os atendimentos de emergência no Pronto-Socorro (PS), para pacientes levados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e os casos judiciais também seguem normalmente. 

A medida atinge 49 cidades da região que tem o HG como referência pelo Sistema Único de Saúde (SUS).  Em 12 de setembro de 2018, o hospital já havia cancelado as cirurgias eletivas (não urgentes) devido a superlotação. 

A normalização do serviço só deverá acontecer após a retomada da capacidade física de atendimento do Hospital Geral. 

Leia também
Mistério em centro espírita de Caxias: onde estão os restos mortais de Anna Saldanha?
Após seis anos sem homicídios, Vale Real registra dois assassinatos em menos de um mês
Enteado de homem morto em Vale Real era o alvo dos criminosos

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros